domingo, 17 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Copa do Mundo 2018 / Croácia: Ótimo meio-campo e defesa exposta

Croácia: Ótimo meio-campo e defesa exposta

Matéria publicada em 13 de julho de 2018, 13:54 horas

 


Croácia foi a grande e grata surpresa da Copa do Mundo da Rússia


Moscou (Rússia) –
Sem sombra de dúvidas, a campanha da Croácia na Copa do Mundo é surpreendente. O time chegou ao Mundial cotado para fazer um bom papel. No entanto, poucos imaginavam que a equipe chegaria até a decisão, diante da França.

Os croatas contam com um talento ímpar no meio-campo, o setor mais importante do jogo. Rakitic e Modric são responsáveis por organizarem a saída de bola do time, e armar as principais jogadas. Enquanto o meio-campista do Barcelona joga um pouco mais recuado, o meia do Real Madrid, é o cerebral dos comandados de Zlatko Dalic.

Com esse excelente meio-campo, que ainda conta com Brozovic na sustentação, a Croácia tem como principal virtude o bom toque de bola. Porém, o time joga muito pouco pelo centro, e sempre busca a virada de jogo, com os laterais Vrsaljko e Strinic.

Os laterais, aliás, são fundamentais nos cruzamentos para a área. A Croácia explora muito bem os levantamentos, devido a precisão de Vrsaljko e Strinic. Nas duas ocasiões, saíram os gols na vitória histórica contra a Inglaterra. Nos escanteios, o time também se mostra perigoso.

Mesmo com o meio-campo técnico, quando precisou de fato propor o jogo, a Croácia mostrou extremas dificuldades. Diante da Dinamarca e da Rússia, o time foi pobre em termos criativos, e sofreu muito com as chegadas do adversário ao ataque. Os dinamarqueses finalizaram 15 vezes, 10 delas no gol de Subasic.

Aguentar três prorrogações, e duas disputas por pênaltis é tarefa de extrema dificuldade. Por essa razão, a Croácia deverá sentir na parte física, pois é como se o time tivesse um jogo a mais em relação ao adversário (a França não jogou uma prorrogação sequer), e terá um dia a menos de preparação para o duelo

Nos confrontos eliminatórios, os croatas mostraram alma. O time se sacrificou em campo, pois saíram atrás do marcador contra Dinamarca, Rússia e Inglaterra. Nas três ocasiões, a equipe conseguiu sua classificação. Diante dos franceses, vontade não faltará, mesmo se sair perdendo.

Uma das grandes preocupações do técnico Dalic é o elenco. As peças de recomposição não estão à altura dos titulares. Kramaric, que às vezes está no banco de reservas é a melhor opção, caso o treinador queira reverter alguma situação. Dessa forma, os suplentes podem não dar conta do recado, caso sejam exigidos na final.

Lovren e Vida formam a dupla de zaga croata. Os dois, constantemente estão expostos nos ataques adversários, pois, os laterais sobem o tempo todo. Rakitic e Modric não são marcadores. Brozovic fica sozinho para marcar. Dessa forma, os defensores ficam em situações desconfortáveis em quase todos os jogos.

No entanto, é de ressaltar os pontas. Rebic e Perisic podem ser decisivos para os croatas, especialmente o último, que com dribles e vontade foi o melhor em campo contra o English Team. Quando o time está sufocado, os jogadores procuram os externos em busca da jogada individual, buscando o fundo do campo e quebrar as linhas de defesa adversária.

Por fim, a Croácia chega a sua primeira final de Copa do Mundo da história. Com uma camisa que não tem tanto peso, o time pode sentir a magnitude do jogo, e assim, não conseguir executar os pontos fortes. A obrigação de erguer a taça é da França, e os comandados de Dalic chegam como franco-atiradores.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document