quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Ações de prevenção a Aids continuam em Volta Redonda

Ações de prevenção a Aids continuam em Volta Redonda

Matéria publicada em 6 de dezembro de 2019, 19:03 horas

 


Distribuição de preservativos e testagem rápida são algumas das atividades realizadas
(Foto: Divulgação- Secom PMVR)

Volta Redonda- Dando continuidade ao Dezembro Vermelho, que é o mês de luta e combate à Aids, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está realizando diversas atividades durante todo o mês. O objetivo das ações é reforçar na população a importância de se fazer a prevenção.

Neste sábado, dia 14, será realizada durante todo o dia uma capacitação da equipe multiprofissional do programa IST/HIV/AIDS de Volta Redonda, patrocinado pela iniciativa privada. No mesmo dia, uma equipe do programa estará durante a madrugada em uma boate que tem como público principal LGBTQIA+ distribuindo preservativos, folders com orientação e voucher, orientando que todas as unidades de Volta Redonda realizam testagem.

Já na segunda-feira, dia 16, o documentário Carta para Além dos Muros, dirigido por André Canto, um apanhado de três décadas de história do HIV e da AIDS no Brasil, será exibido no Grêmio Artístico e Cultural Edmundo de Macedo Soares e Silva (Gacemss), na Vila Santa Cecília, para acadêmicos das diversas faculdades de Volta Redonda e funcionários das secretarias municipais de Saúde e Cultura.

O filme mostra a cronologia da epidemia de HIV no país por meio de relatos de especialistas e ativistas de diversas gerações e é conduzido por uma narrativa inspirada no trabalho de Caio Fernando de Abreu, que deu nome ao filme. Através da costura desta complexa colcha de retalhos, o filme investiga e expõe o estigma e a discriminação como produtos de uma sociedade que insiste em manter marginalizadas as pessoas que vivem com HIV, mesmo 30 anos depois do início da epidemia.

O longa tem cerca de uma hora e meia de duração e reúne depoimentos de mais de 30 pessoas que fazem parte dessa história, como o médico e escritor Drauzio Varella, a mãe do cantor Cazuza, Lucinha Araújo, além de pessoas que vivem com HIV e trabalham para acabar com o estigma da doença.

O secretário Municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, destacou que, além dessas atividades, o município vem intensificando as testagens para HIV. “Os testes podem ser realizados nas 46 Unidades de Saúde do município, além do Centro de Doenças Infecciosas (CDI). É importante que a população aproveite e faça o teste”, avisou o secretário.

O programa 

O IST/HIV/AIDS de Volta Redonda teve início na década de 80 com o início da epidemia sendo à época, utilizado como referência de CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento). A missão do CTA é promover a equidade do acesso ao aconselhamento, ao diagnóstico do HIV, Hepatites B e C e Sífilis, bem como a prevenção dessas e das demais DST, favorecendo segmentos populacionais em situação de maior vulnerabilidade, com respeito aos direitos humanos, à voluntariedade e a integralidade da atenção, sem restrições sócias ou culturais recebendo as demandas encaminhadas por serviços da Atenção Básica, Média e Alta complexidade, e também as demandas espontâneas e referências da rede privada de saúde.

Com a descentralização do serviço de teste rápido, atingindo toda a Atenção Básica e Unidades de Urgência e Emergência, melhorou a captação e o diagnóstico precoce. O programa hoje conta com equipe completa multidisciplinar como médico clínico, infectologista, psiquiatra, pediatra, dermatologista, dentista, assistente social, psicólogo, enfermeiros, técnicos de enfermagem e farmacêutico.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document