terça-feira, 12 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Apae-VR cria novas ações para arrecadação e reduz despesas

Apae-VR cria novas ações para arrecadação e reduz despesas

Matéria publicada em 28 de julho de 2019, 09:30 horas

 


Nova gestão conseguiu equilibrar contas, mas ressalta que apoio externo ainda é fundamental

Apae de Volta Redonda é uma das mais tradicionais do país (Foto: Júlio Amaral)

Volta Redonda –  A Apae de Volta Redonda (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) foi criada há 63 anos, com o objetivo de atender pessoas com deficiência intelectual e com síndrome de Down, em todos os seus graus de deficiência. Após passar por um período de grandes dificuldades financeiras, a instituição já respira mais aliviada.

Fruto de uma nova gestão, que encontrou salários atrasados e fim de convênios. Graças a uma readequação do quadro de funcionários e a criação de programas de incentivo a doações, a entidade está conseguindo se reerguer e recuperar suas finanças. Outro trabalho fundamental foi reduzir as despesas em 50%.

De acordo com o coordenador João Namastê, são assistidas aproximadamente 280 pessoas nas diversas atividades oferecidas pela Apae. Há ensino pedagógico através de uma escola regulamentada; atendimento clínico especializado; assistência social; oficinas laborativas e ações de esporte, lazer e cultura. “A Apae não tem fins lucrativos e a sua função é exclusivamente prestar atendimento a pessoas com deficiência intelectual”, diz.

Segundo o empresário e atual presidente da Apae, Mário Vítor, a unidade de Volta Redonda, localizada no bairro Sessenta, há alguns anos se manteve com o apoio de convênios com o Estado e Município, além das doações, eventos e da contribuição de alguns associados voluntários. Devido à crise financeira do Estado, tanto o convênio estadual quanto o municipal foram interrompidos.

– Logo no início da minha gestão, há três anos, não tinha mais convênio e os salários estavam todos atrasados. Preocupado com a Apae, o meu primeiro ato foi reunir todos os funcionários e explicar a situação crítica que encontramos. Explicamos o que desejávamos fazer para ganhar a confiança de todos. Aos poucos, a Apae foi se recuperando, mas ainda foram necessários dois anos para se ter uma estabilidade financeira – explicou.

O presidente ressaltou que este ano já foi possível reativar o convênio do Estado, que estava há dois anos parado. “Também foi criada a central de doações, possibilitando com isso uma ligação mais direta da Apae com a comunidade. Hoje a central de doações nos ajuda na manutenção da unidade representando com suas arrecadações algo em torno de 15% da nossa despesa”, destacou.

Outra iniciativa foi criar o programa ‘Apae de Portas Abertas’, que tem como objetivo convidar empresários e pessoas influentes para visitar a unidade na Sessenta.

– Logo em seguida criamos o programa ‘Embaixadores da Apae’ onde pessoas voluntárias buscavam recursos junto a pessoas conhecidas ou do seu relacionamento. Com essas ações a Apae foi angariando novos recursos e saindo do abismo financeiro que se encontrava – destaca.

Comunidade pode contratar a Apae para serviços

Segundo o presidente da Apae, Mário Vítor, a Apae promove eventos beneficentes constantes, além de oferecer alguns serviços cobrados da comunidade como lavanderia, marcenaria, horta e cozinha experimental para vendas de alimentos produzidos no local.

– O grande segredo desta reviravolta nas finanças foi a comunidade acreditar e reconhecer o trabalho desenvolvido na Apae, com isso hoje ela não corre mais o risco de encerrar suas atividades – disse.

Outra ajuda financeira recebida pela Apae, segundo o seu presidente, veio de verbas da justiça do trabalho destinado para a compra de equipamentos, mas para recebê-los a entidade teve que estar 100% correta com suas certidões.

– Estamos também fazendo uma parceria com a construtora Gustavo César para a construção de unidades residenciais no terreno em anexo à Apae, com previsão de início das obras em 2020, com isso gerará uma renda extra para a instituição. Já o próximo evento beneficente da instituição será uma feijoada no dia 04 de agosto, domingo, no Ricardo Buffet ao meio dia no bairro Conforto – conclui.

Para quem quiser colaborar ou agendar uma visita à instituição é só entrar em contato pelos telefones: 33507714 ou 33429066.

Por Júlio Amaral


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document