quinta-feira, 14 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Apesar de decisão da Justiça do Rio, servidores do Degase mantêm greve

Apesar de decisão da Justiça do Rio, servidores do Degase mantêm greve

Matéria publicada em 8 de novembro de 2019, 16:18 horas

 


Órgão é responsável por socioeducação de jovens em conflito com a lei

O Sindicato dos Servidores do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Sind-Degase) informou que a greve da categoria continua, apesar de liminar concedida nesta terça-feira (5) pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinar que os funcionários retornassem ao trabalho em 24 horas, sob pena de a entidade ser multada diariamente em R$ 400 mil.

Em nota, o sindicato diz que não houve notificação oficial para o término da greve e que não há, portanto, suspensão da paralisação. Segundo o texto, para que a greve termine, é necessária a realização de uma assembleia em que servidores votem para avaliar se suspendem ou mantêm o movimento.

Vinculado à Secretaria de Estado de Educação, o Degase é o órgão responsável pela execução das medidas socioeducativas preconizadas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e aplicadas pelo Poder Judiciário aos jovens em conflito com a lei.

O sindicato informou que a categoria permanece na porta das 25 unidades de ações socioeducativas e que nesta sexta-feira (7) os servidores se reunirão às 7h, no Centro de Socioeducação Dom Bosco, na Ilha do Governador, para avaliar os rumos da greve, que começou ontem (5).

O diretor-geral do Degase, Márcio de Almeida Rocha, informou que foram atendias de imediato três reivindicações da categoria: o pagamento do Regime Adicional de Serviço (RAS), a implementação imediata do porte de armas para os agentes de segurança socioeducativos e o concurso público que se destina a preencher os cargos efetivos em vacância, já em fase de implementação do edital.

A única reivindicação não atendida foi a progressão funcional, questão que está sendo tratada com a Casa Civil, por conta do Regime de Recuperação Fiscal do Estado, explicou Rocha.

Liminar da Justiça

Na decisão, com caráter liminar, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Claudio de Mello Tavares acolheu pedido da Procuradoria-Geral do Estado, em ação movida contra o sindicato.

“A greve dos servidores, iniciada nos primeiros minutos desta terça-feira, paralisou 25 unidades do Degase. Foram afetadas atividades escolares e de cursos profissionalizantes, visitação aos internos, transferências de unidades, realização de audiências públicas, escolta e a condução a hospitais para consultas ambulatoriais (exceto em casos de emergência), atividades externas e utilização de viaturas (exceto para diligências relacionadas aos flagrantes de atos infracionais)”, diz Tavares na decisão.

Por Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil

Volta Redonda 

Em Volta Redonda, funcionários do Degase, em greve desde a última terça-feira (5), mantém os serviços básicos na unidade do bairro Roma. Os agentes estão cuidando da alimentação e higiene dos internos, assim como da assistência médica dos jovens, quando necessária. Ao todo, 140 internos cumprem medidas socioeducativas na unidade.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document