>
quarta-feira, 6 de julho de 2022 - 04:36 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Força-tarefa inicia abordagens à população de rua de Volta Redonda

Força-tarefa inicia abordagens à população de rua de Volta Redonda

Matéria publicada em 25 de janeiro de 2016, 18:51 horas

 


Representantes das secretarias de Ação Comunitária e Saúde, Guarda Municipal, policiais civis e militares participaram da ação

(Foto: Divulgação PMVR)

Grupo de oito pessoas que estava no Memorial Getúlio Vargas, na Vila Santa Cecília, foi abordado i(Foto: Divulgação PMVR)

Volta Redonda – Teve início nesta segunda-feira (25) o trabalho de abordagem a pessoas em situação de rua em Volta Redonda. A ação teve foco a Vila Santa Cecília, local onde tem sido registrado transtornos a pedestres, moradores e comerciantes. A operação foi realizada na parte da tarde e contou com a participação de representantes das secretarias de Ação Comunitária (Smac), Saúde (SMS) – através do Consultório de Rua, do Serviço de Saúde Mental –, Guarda Municipal, além de policiais civis e militares.

Um grupo de oito pessoas, cinco homens e três mulheres, foi abordado no Memorial Getúlio Vargas, embaixo da Biblioteca Municipal Raul de Leoni. Duas delas foram encaminhados para o Cais Aterrado pelas equipes da Saúde Mental; dois para o Albergue Seu Nadim; dois para atendimento pela Smac e outros dois homens levados para a delegacia da cidade (93ª DP). Um deles por estar foragido da Justiça e outro por desacato.

– Este trabalho será feito de forma rotineira, em diferentes horários, até conseguirmos o encaminhamento de todas estas pessoas: seja para tratamento médico, seja para um abrigo ou residência alternativa, seja para um emprego. É um público sensível, eles têm o direito de ir e vir, não podemos interferir nisso, mas o Poder Público está oferecendo ajuda para aqueles que realmente precisam – salientou o chefe de gabinete da Smac, Israel Carlos da Silva.

Reunião define rumos

Mais cedo, na parte da manhã, o prefeito Antônio Francisco Neto convocou uma reunião com a participação de equipes da Smac, Saúde, Guarda Municipal, além do vice-prefeito Carlos Roberto Paiva. O encontro serviu para discutir a situação dos moradores de rua na cidade, que desde o final do ano passado vêm crescendo, principalmente com a presença de pessoas de fora de Volta Redonda.

Segundo as equipes da Smac e Saúde, responsáveis pelas abordagens, algumas destes moradores, que não são os já conhecidos pelos profissionais, estão apresentando um comportamento agressivo, pedindo dinheiro e incomodando a população. Também há relatos de comerciantes da área de que algumas destas pessoas invadem os estabelecimentos, ameaçando clientes. Essas atitudes têm reflexo nos números de queixas que chegam até a Guarda Municipal.

– Nós queremos oferecer tratamento e encaminhamento para um emprego para estas pessoas, ajudando ainda aqueles que são de fora a retornarem aos seus locais de origem – disse Neto, que solicitou a formação da força-tarefa para a realização das abordagens a este público. Por telefone, o prefeito fez contato com o comandante do 28º BPM, César Augusto de Souza Rosa, e com o delegado titular da 93ª DP, Eliezer Lourenço Costa, pedindo o reforço da Polícia Militar e da Polícia Civil na operação, já que foram registrados casos de ameaça às equipes da Smac e da Saúde Mental que fazem o trabalho rotineiro de abordagem.

Durante a reunião, a secretária municipal de Cultura, Rosâne Gonçalves, relatou que na tarde da última sexta-feira (22), um caso de vandalismo aconteceu na biblioteca municipal. Segundo ela, algumas pessoas invadiram o saguão do local, defecaram e esfregaram fezes nos vidros da entrada, além de vomitarem no espaço.

– Nós chegamos a acionar a GMVR, mas os indivíduos fugiram. Os usuários da biblioteca ficam assustados, eles (população de rua) estão pedindo dinheiro com uma certa agressividade, vêm causando muito incômodo, e agora depredaram o patrimônio público – comentou Rosâne.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Concordo com o Matias, a rodoviária dependendo do horário, se tornou um local perigoso, bem como a Vila Santa Cecilia.

  2. chefe é chefe né pai

    Talvez passar fezes nos vidros seja a única forma desses pobres seres humanos se manifestarem. A arte descobre a vida . paz e amor. Bla bla bla.

  3. Muito oportuna essa atitude da prefeitura! A situação não pode chegar ao ponto que está na capital onde as pessoas em situação de rua impedem os demais de andar na rua!

  4. Senhoras estão deixando de frequentar a Vila Sta Cecília em função desse acúmulo absurdo de pedintes. Prejuízo maior para o comércio como um todo.

  5. Bom, DEVERIAM TER chamado a defensor público e a promotor, para participarem da reunião.

    Entretanto, em breve, talvez tenhamos alguma ação ajuizada para impedir abordagem e condução destas pessoas, assim como aconteceu com os flanelinhas.

    2) Pelo menos o Neto não é omisso como a prefeitura de barra mansa, que NADA FAZ no entorno do jardim das preguiças entre outros pontos.

    3) em breve, com a liberação das drogas, teremos essas pessoas e outras fumando, cheirando ou injetando nas portas da residências, escolas e comércio. Aguardem !!!

  6. SR.PREFEITO manda uma força tarefa também para a rodoviária Francisco Torres. está uma vergonha, e pessoas pedindo dinheiro, e um verdadeiro albergue.

Untitled Document