>
sexta-feira, 27 de maio de 2022 - 16:23 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / GM apreende mais de 7 mil mídias piratas em Volta Redonda

GM apreende mais de 7 mil mídias piratas em Volta Redonda

Matéria publicada em 21 de outubro de 2016, 11:25 horas

 


Operações planejadas e lideradas pelo comandante da corporação resultaram em 7.639 apreensões de produtos pirateados

midias-piratas-retiro-21-10-16-7-1280

Mídias piratas: Apreensão ocorreu em um prédio na Av. Sávio Gama, no Retiro
(Foto: Cedida pela GMVR)

Volta Redonda- A Guarda Municipal com apoio da fiscalização da SMF (Secretaria Municipal de Fazenda) intensificou as ações contra a comercialização de mídias piratas nesta quinta-feira (20), com fiscalizações em dois locais. Na parte da manhã, por volta das 10h, os GMs foram apurar denúncia recebida pela Ouvidoria da corporação sobre a venda de mídias piratas em um quiosque que estava fechado, no Mercado Popular da Av. Amaral Peixoto, no Centro.

Chegando ao local, no quiosque de nº 13 foram apreendidos total de 329 mídias piratas, sendo 189 DVDs de filmes e de jogos e 140 CDs de música. Como ninguém se apresentou como dono do quiosque, os produtos pirateados foram levados para a 93ª DP, onde foram tomadas as medidas cabíveis.

Por volta das 15h, outra operação teve à frente o comandante da GMVR, major Luiz Henrique Monteiro  que, pela sexta vez em três anos foi verificar denúncia de comercialização de mídias piratas numa loja localizada no primeiro andar de um prédio na Av. Sávio Gama, no bairro Retiro. Foram apreendidas 7.310 CDs e DVDs piratas; um aparelho de DVD; um caderno de anotações com o movimento diário e uma calculadora. A Policia Civil fez uma perícia detalhada no local e todo o material foi posteriormente levado também à 93ª DP.

Na fiscalização anterior, realizada em 23 de fevereiro, essa loja foi interditada pelos fiscais da SMF, porque não possuía alvará de funcionamento e porque já tinha sido fiscalizada quatro vezes pela GMVR e uma vez pela Polícia Civil, mas mesmo assim insistia em continuar vendendo os produtos falsificados.

– Ficamos surpresos em ver que, mesmo tendo sido alvo grandes operações, em dezembro de 2015 e fevereiro deste ano, quando foi apreendido um total de 17.801 mídias piratas, o dono da loja continua abastecendo o local com milhares de produtos pirateados e realizando as vendas, mesmo com a interdição da loja em fevereiro – afirmou o comandante.

Quando os agentes chegaram na Av. Sávio Gama, perceberam que havia um homem na porta do prédio, encarregado de tocar o interfone para avisar que havia um interessado em subir.

– O homem se assustou com a nossa chegada e saiu correndo para o interior do prédio, mas foi alcançado por nós – contou o major Luiz Henrique. Eles entraram na loja e verificaram que novamente o lugar estava cheio de mídias piratas expostas para a venda.

O homem, de 34 anos, e morador do Santo Agostinho, foi levado à 93ª DP e lá foi verificado que estava em liberdade condicional, motivo pelo qual foi negada a fiança e ele permaneceu preso. Ele tem passagens por dois assaltos ao comércio e uma por lesão corporal. Já a mulher responsável pelas vendas, de 48 anos e moradora do bairro Retiro, vai responder pela segunda vez por violação de direito autoral, tendo pagado uma fiança de R$ 2 mil.

– A venda de mídias piratas é crime, trazendo prejuízos aos artistas; perigo de danificar o aparelho eletrônico dos que adquirem o produto pirata, que não tem garantia de qualidade; prejuízo para quem trabalha, já que não há nenhum direito trabalhista garantido; sonegação de impostos e concorrência desleal com os comerciantes que funciona dentro da legalidade – salientou o comandante da GMVR acrescentando que as fiscalizações sobre mídias piratas continuarão a ser feitas e “todos os agentes que estão trabalhando nas ruas têm a orientação de fiscalizar, apreender e encaminhar à Delegacia quando houver flagrante”, concluiu o comandante.

As denúncias podem ser feitas à Ouvidoria da corporação, através do telefone 3339-9292 ou pelo e-mail [email protected]


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

19 comentários

  1. Caraca tamanha importancia q tem isso tem tanta coisa falsa nessa cidade q so prende dvd na internet parece q nao tem ninguem ve azbox ninguem compra ta de sacanagem. Combustivel mais caro no pais esta aqui as empresas denunciadas no fantastico estavam aqui e ninguem vai preso so franelinha e vendedor de dvd cade a Delta ,locanti, verdurama,agora a carioca ninguem fala nada. Cade eles isso e crime traz rombo milhonario mata milhoes na fila embusca de tratamento cade??????

  2. Prenderam 7 mil mídias piratas e agora falta prender 7 mil traficas. Bora lá GM.

  3. mercado popular então tudo é falsificado la tinha que chamar piratolandia , lá a guarda não vai , feira livre de volta redonda nem se fala tem de tudo falsificado se bobear compra ate criança lá kkkkkkkkk esses comedias agora no final que esses capatazes vão perder o emprego ficam fazendo essas coisas pra dar noticia no diario do vale comedias …….quero ver morro da conquista , eucaliptal , vila brasilia , padre josimo faz graça la , faz pra ver o que acontece comedia kkkkkkkkkkkkkk

  4. as lojas ja estao la há de anos ate guarda compra lá derrepente deu alouca e sem fazendo apreensões pra mostrar serviço pois esse comandante ja rodou junto com o prefeito e seu capangas coloca esses guardas pra multar esses carros inrregulares que andam pela cidade todo amarrados de arame tipo os da prefeitura e guada municipal , motociclista que não respeita faixa e corta pela direita , ajudar cego atravessar rua , ver se tem bueiro entupido tem muita coisa pra guarda fazer socar cabeça de frentista na pilastra de ferro como no posto jk e por ai vai ir no aue bar pra relaxar ……tem muita coisa pra guarda fazer muita mesmo

  5. Tem que prender mesmo, isso contribui e muito com o crime organizado. Agora, o que mais se falsifica é bebida alcoólica, quero vê se coibir a tal prática nas boates. A bebida é a campeã em falsificação no Brasil, porém não traz prejuízo às grandes gravadoras que estão ligadas às maiores redes de comunicação.

  6. Nossa,,mais uma vez esse papo de mídia pirata…E os produtos da feira livre, tipo: tênis, camisas piratas,,,como ficam???? Sem falar no jogo do bicho…….!!!! Nunca ví uma reportagem dessa famosa GM atuando nesses locais…..porque será????

  7. DEIXA A GALERA TRABALHAR .TODO MUNDO COMPRA .PRIMEIRO ABAIXA O PRECO DO ORIGINAL. E VAI VER A VENDA DE DROGA QUE TEM EM TODA ESQUINA

    • Cristão contribuinte

      Quem vende droga está “trabalhando” tanto quanto quem vende mídia pirata. Ambos artigos ilícitos.

    • ah tá. então porque tá caro você compra falsificado. por causa de corruptos e safados como você que o país está assim.

  8. Quando a lei valer pra todos, até concordo, mas a dita lei só condena os gatos pingados.

  9. ja sei, vou passar la vou filmar e mandar pra tv riosul e pro cidade alerta da record, acabar com o cartel da pirataria geral.

  10. e as midias piratas que sao vendidas em pleno amaral peixoto, na calçada entre a vivo e a loja ricardo eletro, ninguem nunca toma as midis daqueles caras, com certeza tem gente grande envolvida nisso, os PM fica apaisano ao lado deles, guarda municipal fardado e nao fazem nada. agente passa eles entram na frente atrapalhando agente andar na calçada e com filme de sacanagem ainda.

Untitled Document
close