;
quinta-feira, 26 de novembro de 2020 - 18:07 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Morre adolescente que se queimou na explosão de lancha em Angra dos Reis

Morre adolescente que se queimou na explosão de lancha em Angra dos Reis

Matéria publicada em 9 de janeiro de 2017, 13:08 horas

 


Rio e Angra dos Reis- O adolescente Diego Saar Bregolato, de 14 anos, que teve 70% do corpo queimado após a lancha “João e Maria” que estava ancorada no cais da marina no bairro Ribeira, em Angra dos Reis,explodir, morreu nesta manhã de segunda-feira (09). O rapaz chegou a ser socorrido no Hospital Geral da Japuíba, e foi transferido no mesmo dia, num helicóptero, para a Unidade de Tratamento Intensivo de Queimados, do Hospital Pedro II, em Santa Cruz, Zona Oeste, no Rio, mas não resistiu.

Ele era primo de Nicolas Prattes, o Zac, que trabalha na novela das sete da Globo, “Rock Story”. Nicolas usou uma rede social para lamentar a morte de seu primo:  “Te amarei, sempre”, escreveu ele na legenda de uma foto dos dois quando eram crianças.

O presidente da Fundação Geral do Hospital da Japuíba, Sebastião Faria, disse que outras  cinco pessoas da família de Diego, que moraram na Barra da Tijuca, no Rio, também ficaram feridas. Faria  explicou que o pai do rapaz, de 45 anos, e um irmão, de 11 anos, de Diego, sofreram ferimentos leves e foram medicados e liberados no mesmo dia.

– Já uma irmã, de 21 anos, de Diego,  a mãe, de 43, e uma cunhada, de 58 anos, sofreram fraturas nas pernas e foram transferidas para o Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, porque elas têm planos de saúde naquela unidade médica carioca. Mas o estado delas também não era grave – explicou Faria.

Ele foi informado de que a lancha era do pai de Diego e que a explosão teria ocorrido porque a embarcação foi ligada sem que o acúmulo do gás combustível no motor fosse liberado antes. Faria não soube dizer qual era a profissão do pai do jovem, apenas que a família é de classe média alta.

Delegado vai investigar o caso como explosão culposa

O delegado titular da 166ª DP (Angra dos Reis), Bruno Gilaberte, disse nesta segunda-feira I(09) que estava ciente da morte de Diego. O policial explicou ninguém foi indiciado ainda e que vai tratar o caso como “explosão culposa com resultado morte”. Gilaberte pretende verificar os vestígios deixados pelo crime e mandar periciar a embarcação, que está ancorada no cais da Ribeira

– Tenho que constar se a explosão ocorreu devido à falha mecânica, falta de manutenção, imprudência ou mera casualidade. Só depois que eu tiver em mãos esses dados poderei definir a responsabilidade ao alguém – disse Gibaberte.

O delegado pretende ouvir o depoimento das outras vítimas e seus familiares, pessoas que estavam presentes no momento da explosão, além do responsáveis pela manutenção da lancha.

– Esses são os procedimentos que tomarei no início das investigações – disse o policial.

Por Dicler de Mello e Souza


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Muito triste isso ! Que Deus o carregue em seus braços de Pai !

  2. Avatar

    Sebastião Faria. Como sempre os mesmos sempre caindo pra cima

  3. Avatar

    Uma pena! Sai pra passear, se divertir, e acontece uma merda dessa…

  4. Avatar
    Chico Cunha o mosquito

    Infelizmente ele morreu hoje…

Untitled Document