terça-feira, 19 de outubro de 2021 - 02:34 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Internautas de Volta Redonda aderem ao Sarahah

Internautas de Volta Redonda aderem ao Sarahah

Matéria publicada em 2 de agosto de 2017, 17:19 horas

 


Aplicativo permite mensagens anônimas e busca a usuários; plataforma no android e iOS já lidera categoria de apps gratuitos no país

Volta Redonda – Internautas da região começaram a utilizar o novo aplicativo Sarahah que permite enviar perguntas e mensagens anônimas. A plataforma já tomou conta dos internautas que iniciaram a divulgação dos perfis em outras redes sociais como, por exemplo, Facebook e Instagram para atrair outros usuários. Pra se ter uma ideia, o aplicativo, que está disponível para android e  iOS, já lidera a categoria de apps gratuitos baixados no Brasil.

O aplicativo foi criado por um árabe e o significado do nome “Sarahah” em português significa franqueza, sinceridade. Por isso a plataforma está sendo chamada por alguns de “feedback sincero”.

O funcionamento é o seguinte: o internauta cria uma conta usando um e-mail válido e um nome de usuário, e automaticamente é criado o perfil na plataforma e finalmente outros usuários podem acessar no seu perfil para fazer perguntas ou deixar mensagens. Mas, por enquanto, não é possível responder, por que afinal de contas, como responder para um anônimo. Essa curiosidade conquistou muitos internautas que esperam receber um feedback positivo pelo aplicativo, mas também estão expostos a críticas e polêmicas.

O jornalista e músico Lucas Motta, de Volta Redonda, comentou que está recebendo mensagens com elogios e incentivos e resolveu aderi ao aplicativo porque virou febre na internet e não quis ficar de fora.

– Eu resolvi aderir porque virou febre na internet. Aí a gente acaba entrando na barca pra não ficar de fora. Recebi um pouco mais de 20 mensagens, algumas com um conteúdo muito bom, de incentivo para a vida e comentários elogiosos. Mas a maioria é de pessoas que tem “crush” (estar a fim de alguém) em mim, ou que brincam que tem interesse em mim – comentou, acrescentando que mesmo não tendo como responder as mensagens está aproveitando o conteúdo do aplicativo que garante a liberdade para os usuários se expressarem.

– Como as mensagens são anônimas, e não dá pra responder, não dá pra saber se é de verdade ou não o conteúdo das mensagens, mesmo sabendo que seria assim, eu quis usar. Acho que o aplicativo dá um espaço para as pessoas falarem o que quiserem principalmente aquilo que eles não falariam numa conversa cara a cara. Para quem recebe as mensagens, resta saber lidar com isso e aproveitar ao máximo estas mensagens francas para saber se renovar, exercitar a auto-reflexão – disse o músico.

Nem todos os internautas aprovaram o aplicativo, na opinião da auxiliar administrativa Thaisa Cardozo, a plataforma se tornou sem graça por não ter como responder as perguntas.

– Perdeu a graça quando soube que não tinha como responder as possíveis perguntas. Só divulguei meu perfil uma vez e testei o aplicativo com a minha irmã que também criou uma conta. Ainda mantenho o aplicativo no celular, mas não tenho vontade de usá-lo – comentou.

Novidade: Aplicativo já lidera a categoria de apps gratuitos no Brasil (Foto: Franciele Bueno)

Novidade: Aplicativo já lidera a categoria de apps gratuitos no Brasil (Foto: Franciele Bueno)

 

Por Franciele Bueno

([email protected])

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. legal esse app e apresento um outro tbm de msg anonima muito bom experimente por esse link aqui goo.gl/z3RA5D

  2. Mais uma coisa inútil para entulhar a cabeça de vento dos adolescentes… :/

    Ridículo é pouco pra isso, vai ficar de braços dados com os spinners como ícones da geração acéfala.

  3. Politiqueiros não usarão , certamente. kkkk

    Interessante o usuário dizer que entrou só para não ficar de fora da barca. Legal! Dá para perceber que ele vota no primeiro da pesquisa pesquisa eleitoral, tbm só para não ficar de fora da barca dos demais alienados e comprados pelos politiqueiros, né?

Untitled Document