sábado, 22 de janeiro de 2022 - 05:29 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Justiça determina nova eleição no Sindicato dos Metalúrgicos

Justiça determina nova eleição no Sindicato dos Metalúrgicos

Matéria publicada em 26 de maio de 2019, 14:43 horas

 


Justiça determina que presidente do Sindicato seja destituído do cargo (crédito Paulo Dimas)

Volta Redonda – O Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região determinou a realização de nova eleição para escolha de diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense. Por determinação judicial, o atual presidente da entidade, Sílvio Campos, não poderá estar a frente da organização do pleito eleitoral.

A decisão é do desembargador Marcos de Oliveira Cavalcanti, relator do processo impetrado pelo metalúrgico da CSN, Edimar Miguel Pereira Leite, pedido a anulação da eleição do ano passado. No processo o metalúrgico alegando que o sindicato não cumpriu o estatuto aprovado em abril de 2008 em assembleia da categoria, que proíbe a terceira eleição consecutiva de um mesmo presidente.

Em primeira instância, a juíza Monique da Silva Caldeira Kozlowki de Paula, da 2ª Vara do Trabalho de Volta Redonda, já havia anulado a eleição do ano passado – decisão que, apontou o desembargador, “não merece reparos”.

O sindicato entrou com recurso (pedido de liminar)  contra o que foi decidido pela juíza. Agora, também poderá recorrer ao próprio TRT-RJ, mas, enquanto não houver mudança na sentença monocrática, terá que cumprir o que foi decidido.

Além de determinar o afastamento de Silvio Campos da comissão eleitoral, Cavalcanti – em decisão proferida na última quinta-feira – manteve o prazo do de 90 dias para a publicação do edital de convocação de novas eleições. Ordenou ainda que o MPT designe o presidente da comissão, a ser escolhido entre os integrantes do novo comitê eleitoral e verifique a regularidade do processo, acompanhando todo o procedimento “de forma que assegure o cumprimento das normas Estatutárias e a ausência de frades nas eleições”.

O desembargador negou ainda o pedido da oposição para determinar a utilização de urnas eletrônicas no pleito. Porém, ressaltou que decidir sobre tal pedido à Justiça Eleitoral deverá ficar a cargo da nova comissão eleitoral a ser constituída.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

8 comentários

  1. Tchutchuca da Coqueria

    Essa diretoria do sindicato é boa, sim…eles trabalham pelos trabalhadores…quando eles sentem que a corda vai arrebentar pro lado mais fraco eles recuam, pois senão vai terminar em demissão…enfim, não pode ser irresponsável nestas horas, não…mas na nova eleição, Silvio vai motrar que ganham folgado desses caras da conlutas, desse tarcisio e do jordão que era vice do renato soares no 1º. mandato dele…o tarcisio tava no sindicato com o perrut quando da noite pro dia eles viraram de força sindical para cut…então, o trabalhador se engana que com conlutas vai resolver…vai nada…as pessoas por trás desse conlutas são as mesmas que já estiveram dentro do ATUAL sindicato…o que eles querem na verdade é uma BOQUINHA…só isso…e tem mais, o conlutas FECHA EMPRESAS no vale do paraíba, ESPANTA INVESTIMENTOS, CAUSA DEMISSÕES…

  2. capeta da grota do Santa cruz

    …vai voltar a LABUDA no maravilhoso mundo mágico da tal siderúrgica

  3. Esse Silvio além de não saber falar direito é um bosta

  4. SE RECORRER $$$$$$$$ JÁ SABEMOS QUAL SERÁ O RESULTADO,MAS UMA NOVA ELEIÇÃO TALVEZ SÓ MUDE A COR DA RAPOSA POIS O GALINHEIRO SEMPRE SERÁ O MESMO.ISSO É BRASIL.

  5. Vai esquerda! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  6. Mesmo com o fim do famigerado imposto sindical ninguém quer largar o osso. Debaixo desse angú tem carne

  7. Eu achei muito estranho , a última eleição com uma só chapa., até então ! Nunca tinha vista isto acontecer no sindicato …ou estou enganado ?

    • Tem de cumprir o estatuto!

      Tanto o estatuto de uma organização como uma lei, seja qual for deve ser cumprida porque foram legalizadas de comum acordo para todos. É inconcebível em 2019 ainda termos gente envolvida nos casos que não observa as obrigações e deveres.

      Na Administração Pública está cheia de gente assim. Aqui são os próprios eleitores que colocam qualquer um, qualquer despreparado na função pública. Aí o resultado não poderia ser outra senão as tragédias deles, e certamente, mais dívidas para todos e menos serviços públicos de qualidade.

      Aqui sempre repito: VAI VNEDO Aí o que dá votar em candidatos que NÃO CONHECEM a Administração Pública e NÃO ENTENDEM de Gestão Pública.

Untitled Document