segunda-feira, 16 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Mais dois são mortos em troca de tiros com a PM, no Frade, em Angra dos Reis

Mais dois são mortos em troca de tiros com a PM, no Frade, em Angra dos Reis

Matéria publicada em 2 de fevereiro de 2018, 11:33 horas

 


Angra dos Reis – Mais duas pessoas foram mortas na manhã desta sexta-feira (02), no bairro Frade, durante troca de tiros entre traficantes e agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), Batalhão de Choque e do 33º BPM. Os feridos foram levados para um hospital, mas não resistiram.  Foram apreendidos ainda no Frade duas pistolas e 136 cápsulas de cocaína.

Com isso, sobe para nove o número de mortos em confronto com a PM desde a noite de terça-feira, quando cinco morreram no Belém. Na quarta-feira, em operação da polícia no Camorim Grande, outros dois morreram.

O primeiro tiroteio ocorreu há uma semana, quando traficantes do Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP) passaram a disputar o domínio dos pontos de venda de drogas, no bairro Sapinhatuba III. Moradores protestarem contra a falta de segurança no local e interditaram a BR-101 (Rodovia Rio-Santos), atravessando um ônibus na pista.

No domingo (28), mais um tiroteio foi registrado. Desta vez foi no Belém, onde traficantes do CV expulsaram os rivais do TCP, além de moradores do bairro.

Na noite de terça-feira (30), agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), e Batalhão de Choque, voltaram a trocar tiros com traficantes. Cinco pessoas morreram e foram apreendidos dois fuzis e grande quantidade de drogas. No dia seguinte, quarta-feira (31), houve nova troca de tiros em confronto entre policiais e traficantes no bairro Camorim Grande. Duas pessoas morreram.
Também na quarta-feira (31), policiais encontram várias casas abandonadas e com marcas de tiros, no Morro da Macumba, no Belém. Em um dos imóveis foram encontradas 220 gramas de cocaína e 30 pinos da mesma droga. Na tarde desta quinta-feira (01), policiais voltaram a enfrentar bandidos no Areal. Dois suspeitos foram presos.
Por conta da violência, a prefeitura decidiu adiar para segunda-feira (05), o retorno às aulas, que aconteceria nesta quinta-feira (01). A medida atendeu a três bairros: Campo Belo, Belém e Camorim Grande.

Duas pessoas foram baleadas durante operação

Duas pessoas foram baleadas durante operação


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

17 comentários

  1. Avatar

    O Bope fazendo a faxina. Tem mais lixo ainda.

  2. Avatar

    Bom dia, hoje foram mais três mortos que eu tive conhecimento… Aliás, tem um aguardando rabecão desde as 23hs… Aqui está feio… Na invasão do BOPE e CHOQUE no Belém foram mais de 30 cadáveres, claro, não tem como divulgar um número assim… Procurem jornal a cidade, vejam que vai ter mais de 10 imagens de mortos, mas são só os mais conhecidos do Areal, Angra está em clima de guerra, pensem muito bem onde vai ser o carnaval de vocês.

  3. Avatar

    Parabéns PM, vamos continuar a limpeza, não precisa enterrar, joga para os peixes. Choro para os familiares, sossego para a sociedade

  4. Avatar

    ANTES ERA COMO ?
    TÁ DE SACANAGEM POLICIÓLOGO !
    SEM CONTROLE DE NATALIDADE, SEM GESTÃO EDUCACIONAL , SEM UMA PORRADA DE COISAS E AUMENTA CONSIDERAVELMENTE O NÚMEROS DE USUÁRIOS ( MALDITOS) E O POLÍCIA É A ÚNICA BARREIRA DESSA MERDALHADA TODA ! CALE SE !

  5. Avatar

    missão dada , missão cumprida .CAVEIRA !!!!!!!!!

  6. Avatar

    Vai limpando a vagabundagem.
    Parabéns aos guerreiros da polícia militar.

  7. Avatar

    vai todo mundo pra la no carnaval

  8. Avatar

    Bope já foi em 3 bairros hj com poucos homens a pm não vai em nenhum com um batalhão… estranho né

  9. Avatar

    Não é a falta de efetivo, é a mão de macaco mesmo…

  10. Avatar

    Parabéns aos policiais do BOPE pelas ações que têm desenvolvido, mas é lamentável que a Polícia local inclusive com um Batalhão na área (mesmo que queira alegar um efetivo que não seja compatível para atender toda a sua área de policiamento, isso não serve como justificativa, pois existem várias formas de ações operacionais que não precisar ter um efetivo permanente), tenha deixado a bandidagem se instalar e mandar como situação atual. Que isso sirva de exemplo aos municípios vizinhos e do Estado do Rio para não titubearem.

Untitled Document