>
domingo, 22 de maio de 2022 - 20:37 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Mercado inova e entrega cestas de alimentos em casa

Mercado inova e entrega cestas de alimentos em casa

Matéria publicada em 30 de agosto de 2017, 11:46 horas

 


Ideia é, semanalmente, entregar em domicílio uma cesta com diversos produtos, como verduras, legumes e frutas.

Volta Redonda- A criatividade dos prestadores de serviços, aliada ao propósito de facilitar o dia a dia das pessoas, faz surgir ideias inovadoras que, muitas vezes, caem no gosto popular e ainda cabem no orçamento familiar. E foi pensando nisso, que empresários paulista, passam em 15 dias fornecer, no município, cestas de alimentos em casa. A ideia é, semanalmente, entregar em domicílio uma cesta com diversos produtos, como verduras, legumes e frutas.

O programa “Horta na Cesta”, já vem sendo aplicado no interior de São Paulo, e está em fase de cadastramento online, para atender, em Volta Redonda. Com preço fixo mensal são três tipos de cestas com hortifrútis da época, sendo cada uma delas, com tamanhos – P, M e G. As cestas são retornáveis e os alimentos, segundo os empresários, são frescos fornecidos diretamente por produtores da região. Boa parte dos produtos ainda segue com rótulos de orgânicos.

– Trabalhamos com alimentos e parceiros da região e de diversas localidades, garantindo ao consumidor uma cesta variada podendo ter, dependendo da época, ameixa da Espanha ou banana do alto do Tietê – explicou uma das sócias da empresa Rafaeli Ayumi.

Ao fazer o cadastro online, o consumidor escolhe o tipo de cesta, os alimentos que deseja receber em casa, além das opções que de produtos que a família não deseja consumir. Rafaeli, explicou que o cadastro detalhado permite que as cestas sejam ajustadas de acordo com a preferência de cada família. Há ainda o item aonde o consumidor poderá avaliar se os alimentos estão ou não dentro do padrão de qualidade proposto.

– Queremos facilitar a vida das pessoas que, às vezes, precisam ir ao supermercado ou feira, apenas para buscar um produto – ressaltou Rafaeli, lembrando ainda que a cesta é ideal para àqueles que moram sozinhos e que sempre acabam encontrando a geladeira vazia. “É horrível chegar em casa, abrir a geladeira e encontrar tudo vazio, por isso, com a cesta em casa, estas pessoas não passarão mais por esta dificuldade”, completou a empresária.

O cancelamento do produto, segundo Rafaeli, também é prático. Basta que o consumidor entre no site e peça o descredenciamento sem taxas de adesão ou de carência. Além das cestas a empresa envia sugestões e curiosidades sobre o preparo para os produtos da cesta, cuja quantidade de produtos vem sob medida para evitar desperdício e com qualidade necessária para ser armazenada e consumida em uma semana.

As cestas tamanho, para até duas pessoas, custam R$ 144,60/mês, nelas vem verduras, frutas e legumes. Há ainda opção de cestas de frutas – Pomarzinho – custando R$ 129,60/mês. Já as cestas maiores, também de frutas, que possam atender até três pessoas custam um pouco mais caro, saindo a R$ 189,60/mês. Há ainda uma taxa mensal de entrega de R$ 12,00.

Para a profissional liberal Josiane de Almeida, de 43 anos, a ideia vem em boa hora. Ela trabalha atendendo a diversos públicos em locais diferentes e quando termina o dia, Josiane, disse que esta cansada e não precisar ir ao mercado ou hortifrúti já ajudaria muito.

– Tem sempre alguma coisinha que fica faltando se chegarmos em casa e tivermos uma fruta, verdura ou legumes de reserva já ajuda muito – enfatizou a Josiane.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Inovacao onde? Em 1987 isso ja acontecia, eu era adolescente e me lembro do mesmo tipo de cesta sendo entregue na minha casa toda semana. Esse pessoal ta com memoria curta.

  2. QUal o site?

  3. “E foi pensando nisso, que empresários paulista, passam em 15 dias fornecer, no município, cestas de alimentos em casa.”
    Há tempos não via tantos erros numa frase tão pequena….
    Ninguém revisa o que se escreve nesse jornal? Lamentável!

Untitled Document