quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Motoristas devem ter cuidado maior com pedestres da terceira idade

Motoristas devem ter cuidado maior com pedestres da terceira idade

Matéria publicada em 11 de agosto de 2018, 10:30 horas

 


Uma senhora de 71 anos morreu após ser atropelada por uma moto em Barra Mansa

Cuidados: Trânsito cada vez mais intenso representa riscos para idosos no Sul Fluminense


Barra Mansa – 
A morte da idosa Helena Cantreva, de 71 anos, na manhã da última quarta-feira, dia 1º, chama atenção para um dado preocupante do Ministério da Saúde. O estudo aponta que o público da terceira idade representa as principais vítimas fatais por acidentes de transporte terrestre, respondendo por 36% dos casos de atropelamentos com morte.

Helena foi atropelada por uma motocicleta na Rua José Marcelino de Camargo, no Centro, junto com sua irmã gêmea, Elza Cantreva, que sofreu uma fratura no braço. Diante deste caso, entre outros atropelamentos de pessoas com idades acima de 40 anos já ocorridos na cidade, o comandante da Guarda Municipal de Barra Mansa, Joel Valcir, faz um alerta e afirma que os motoristas precisam ter mais atenção e cuidados com os pedestres da terceira idade.

“Os motoristas, sejam os de ônibus, carros, motocicletas e caminhões precisam ter atenção redobrada ao avistarem a aproximação de um idoso. São pessoas que têm dificuldade de locomoção, talvez um problema de audição que as impedem de ouvir a aproximação de um carro e que tem reflexos bem menores que pessoas mais jovens. Por causa da dificuldade de locomoção, eles ficam expostos ao risco de se desequilibrem, vindo a cair numa via sem que tenham tempo de se levantar antes da aproximação de um veículo”, alerta o comandante, ao ressaltar que a o mais indicado é que pessoas idosos andem sempre acompanhadas de alguém da família, principalmente em vias mais movimentadas.

Ainda de acordo com ele, motoristas podem prevenir atropelamentos de pessoa da terceira idade utilizando de sinais entre si como, por exemplo, ao buzinar, indicar redução de velocidade com as mãos e, até mesmo, reduzindo a velocidade sempre que avistar uma pessoa de idade avançada.Outro cuidado deve ser tomado pelos motociclistas que, segundo o comandante, devem evitar fazer zig-zag entre os carros nas avenidas. “A legislação não proíbe que eles façam isso, mas é uma atitude perigosa e que pode provocar atropelamentos, principalmente de pessoas mais idosas, que são mais vulneráveis”, alertou Valcir.

De acordo com o comandante, em função da rotina de corre-corre, tanto de pedestres quanto motoristas, o risco de algum problema no trânsito se torna cada dia maior. Ele ressalta que, embora não permitido, muitas pessoas trafegam em alta velocidade pelas ruas do Centro, o que acontece com mais evidência entre os motociclistas.

– Temos visto muitos condutores abusando da velocidade e cometendo exageros. As senhoras que foram atropeladas, com uma vindo a óbito, não estavam na faixa de pedestres, no entanto, tudo indica que também houve negligência por parte do condutor – destacou Valcir, ao recordar que, recentemente, um atropelamento envolvendo motocicleta também provocou a morte da Glória Rodrigues de Souza, de 61 anos, no Centro.

A mulher foi atropelada na Rua Duque de Caxias, próximo ao Parque Centenário, o “Jardim das Preguiças”. Glória, que trabalhava numa farmácia próxima do local do atropelamento, chegou a ser socorrida na Santa Casa de Barra Mansa mas não resistiu aos ferimentos.

Faixa de pedestre é uma das garantias de segurança

Conforme destaca a fisioterapeuta Marcela Amorin é muito comum nos idosos perceber maior lentidão de movimentos, de reação e percepção de estímulos, o que, segundo ela, é natural, mas uma condição merece atenção especial quando esse mesmo idoso estiver transitando nas ruas.

Segundo ela, algumas dicas são muitos importantes para evitar acidentes envolvendo esse público. Ela cita a importância de sempre atravessar na faixa de segurança, em linha reta e em local onde o fluxo de trânsito seja menor.

Ainda segundo ela, também é preciso que os idosos tenham paciência de saber esperar para atravessar com segurança, que ao descerem de um ônibus permaneçam na calçada até o melhor momento para atravessarem a rua, que evitem descer fora do ponto do ônibus e também de atravessar por trás nem pela frente do coletivo. “É Importante a família compreender que é um período de transição e que nem sempre fácil para o idoso reconhecer suas limitações. O julgamento negativo dos familiares pode dificultar a aceitação das dificuldades e, em alguns casos, inclusive desenvolver depressão ou quadros psicológicos que reduzem a qualidade da vida do idoso. É importante saber manejar as dificuldades, manter uma comunicação franca e racional, sem deixar de lado o apoio sócio emocional. Esse é o caminho para passar esse período com qualidade, tranquilidade e felicidade”, destacou a fisioterapeuta.

Com relação aos riscos de fratura, em decorrência de um acidente ou atropelamento, Marcela ressalta que pelo fato de o idoso ter a saúde naturalmente mais comprometida, ele também demora mais para se recuperar e,-em alguns casos, a recuperação não chega a ser total. Ela esclarece que a incapacidade funcional e restrição da mobilidade ocasionada pela fratura podem favorecer complicações como úlceras por pressão, problemas respiratórios e até urinários.

– Pacientes que, por exemplo, precisam ser internados em decorrência de uma fratura estão sujeitos a infecções hospitalares, como pneumonia, infecção urinária, úlcera por pressão, rigidez articular, entre outras. A impossibilidade de se locomover adequadamente pode deixar os ossos ainda mais frágeis e favorecer novas fraturas, além de causar dor crônica, perda da independência, restrições sociais e isolamento. O impacto sobre a qualidade de vida pode ser devastador e o impacto psicológico grave. Todo esse quadro poderá culminar também em complicações de fundo psicológico, como depressão e perda de autoestima. Por isso a importância de se ter cuidado para que nenhum idoso fique exposto ao risco de um atropelamento – disse a fisioterapeuta.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

18 comentários

  1. Avatar

    Obviamente., Vamos dizer também um pouco de hipocrisia no seu comentário, duvido que nunca atravessou fora da faixa, que nunca esperou o sinal, que não anda fora da guia, a me ajuda aí, vc já fez tudo isso, e nem por isso mereceu ser desrespeitado ou atropelado kkkkkkk , vc é um brincalhão.

  2. Avatar

    Quando vim morar em VR no ano de 2001 (vindo da Capital) eu e minha família admiravamos a educação no trânsito, principalmente o respeito pela faixa de pedestres.
    Atualmente poucos carros param nas faixas (apagadas, diga-se) e o coitado do pedestre tem aguardar muito para fazer a travessia.
    Ninguém mais respeita a faixa, nem o pobre com seu carro velho, tampouco o bacana com seu SUB de luxo.

  3. Avatar

    Essa foto ai e antiga em

  4. Avatar

    Esse chefe da guarda nem sai na rua, eu no meu comércio a anos nunca vi a cara dele p jogar a culpa nos motoristas, só participar mais com população que ia ver que pedestre tem mania de andar meio dos carros fora da faixa.#maisparticipaçao

  5. Avatar

    NA REALIDADE A DIREÇÃO OS DONOS DAS EMPRESAS DE ÔNIBUS EM BARRA MANSA SÃO OS MAIORES VILÕES , OS ÔNIBUS TEM HORÁRIO A CUMPRIR EM SEUS ITINERÁRIOS, OS MOTORISTAS NÃO RESPEITAM FAIXAS DE PEDESTRES NEM OS QUEBRA MOLAS ANDAM EM ALTA VELOCIDADE COMO SE ESTIVESSEM FAZENDO UM FAVOR PARA O USUÁRIO. COVARDES NA MAIORIA DAS VEZES. MAIORIA FICA TRAVADO NA ROLETA E ELES SAEM DANDO BANCADAS, QUEM DEVERIA FISCALIZAR OS NOBRES VEREADORES ESTÃO PUXANDO SACO DO MENINO PREFEITO , ESTÃO TIRANDO FOTOS DE POSTE ONDE TROCARAM LÂMPADAS OU ONDE O SAAE FEZ LIMPEZA PRA AGRADAR OS VERECAS DO PREFEITO, TÔ ERRADO ? ME AJUDE AÍ

    • Avatar

      Ônibus em alta velocidade no centro que não é, eles andam a 20km/h eu a pé sou mais rápido que estes ônibus de BM

    • Avatar

      CLARO QUE NO CENTRO NÃO TEM CONDIÇÕES DE ANDAR MAIS DE 20 KM, EXPERIMENTE ANDAR DA ESTAMPARIA A ROSELANDIA, PITEIRAS, LESTE, 9 DE ABRIL NEM SE FALA. DUVIDO QUE ALGUM VEREADOR OU SECRETÁRIO DE TRANSPORTES (SE EXISTIR EM BM) VÁ VERIFICAR

  6. Avatar

    Falando em IDOSOS a VILA DOS IDOSOS NO BELMONTE em VOLTA Redonda continua sendo ocupados pelos sem teto até hoje ninguém tomou providências nem o prefeito e membro da comissão dos direitos humanos

  7. Avatar

    Barra Mansa não tem nenhuma faixa de pedestres pintada, onde
    está nosso dinheiro do IPVA ?
    Serve para que ?
    Vergonha !!!!

  8. Avatar

    E o motociclista que atropelou as senhoras gêmeas nao prestou socorro. Vai ver nem carteira tinha… Ñ é possível q ñ tinha uma camera no local, q ninguem tenha anotado a placa…

  9. Avatar

    As faixas de pedestres deveriam ser em relevo, isto proporcionaria a redução obrigatória da velicidade…
    Tem que haver uma conscientização dos pedestres, muitos acham que motocicleta por ser menor consegue deaviar-se com mais facilidade e depois de passar um carro entram na frente das motocicletas…
    Sou motorista de CAMINHÃO, tenho um carro e uma motocicleta.
    A maioria dos pedestres NÃO tem noção que ÔNIBUS e CAMINHÕES tem MAIS áreas de PINTO CEGO.
    MOTOCICLETAS tem freios MENOS EFICIENTES …

  10. Avatar

    Principalmente, alguns motoristas de ônibus, não são todos pelo amor de Deus, mas a maioria não respeitam ninguém, sendo idoso, grávidas e até ciclistas princialmente, eu acho que as empresas deveriam dar palestras sobre o assunto, fica aqui minha reclamação. E parabéns aos que respeitam.

  11. Avatar

    Muito se falam em terceira idade e são as proprias autoridades se negam aos direitos dos idosos e as suas acessibilidades. Vejam os sinais luminosospor exemplo, raramente se ve um que dá tempo ao menos do idoso atravessar a rua, vejas as rampas junto aos meios fios elas quase não existem e quando existem, são em lugares de dificil acesso, vejam nas entradas das lojas, os burros colocaram a rampa no lado externo e impede o idoso de passar no passeio(veja no Aterrado em Volta Redonda, Barra Mansa, nas entradas dos orgãos publicos, etc etc) ocasionando a queda de varios idosos, os estacionamentos não são respeitados inclusive por carros oficiais e viaturas policiais e por ai se vão. essa conversa de idoso, da terceira idade, da melhor idade etc etc é conversa para grego ler. Melhor idade, ai meu deus, eu tenho 74 anos e sinto que a melhor idade é 25 anos. Não precisam andar de moletas, tem vistas boas, boa saúde, é independente, praticam qualquer esporte, pode correr, etc etc isso sim, é a melhor idade.

    • Avatar

      O termo “melhor idade” é um eufemismo. Eu particularmente tenho melhores lembranças da infância… Mas enfim, a época da pessoa é aquela em que ela vive, e há pessoas que chegam na terceira idade (o que é uma vitória sobre o tempo e as agruras da natureza) com a mente evoluída o suficiente a fim de contrabalançar suas limitações fisiológicas e restrições funcionais. Esses vivem bem, mas são a minoria. A maioria regride para um estado quase infantil…

  12. Avatar

    Em tempo: quanto a motociclistas a maioria teria de ter a carteira apreendida, não respeita pedestre, sinal, veículos, idosos, crianças, lei do silêncio e fazem “corredor” o que já foi decidido no supremo que em caso de acidente o mesmo não terá direito a indenização uma vez que ao fazê-lo assume o risco.

  13. Avatar

    Se repararem na foto o pedestre (principalmente o mais idoso) deve atravessar na faixa com sinal fechado para o trânsito, ou na falta dele aguardar na calçada em frente a faixa. Mania de jogar a culpa sempre no motorista.

    • Avatar

      Amigo não tem dificuldade para ninguém respeitar os seres humanos. Sou motorista e ciclista, sei que alguns pedestres são meio loucos, mas se o motorista estiver focado no trânsito, não aconteceria atropelamentos principalmente dentro das cidades, que a velocidade é de 40 km.

    • Avatar

      Hipocrisia a sua “Povo”.

Untitled Document