segunda-feira, 6 de dezembro de 2021 - 21:58 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Mulher adotada em Barra Mansa procura pela família

Mulher adotada em Barra Mansa procura pela família

Matéria publicada em 19 de julho de 2018, 17:19 horas

 


Ela descobriu que era adotada somente quando já tinha 34 anos e desde 2013 busca por mãe biológica

Barra Mansa – O caso de Verônica Lucia da Silva Mattos, 39 anos, que descobriu há cinco anos que era filha adotiva, pode ser somado a inúmeros outros considerados como “Adoção à Brasileira”. Ou seja, famílias que decidem sobre o processo de doação sem passar pelos órgãos judiciais. Verônica descobriu que era adotada somente aos 34 anos. Desde a  morte da mãe, em 2002, ela passou a buscar informações sobre suas origens. A procura, no entanto, não tem sido nada fácil.

– Tudo que sei é que me chamava Juliana e fui entregue para uma família de Barra Mansa, enrolada em uma coberta rosa e com algumas feridas na cabeça – resumiu a mulher, lembrando que também conseguiu descobrir que era uma criança doente e frágil e que a mãe biológica teria ficado arrependida da adoção, o que, segundo ela, dificulta a busca pela família de origem da criança, caso ela queira conhecê-los.

O presidente do Grupo de Apoio à Adoção “Filhos do Amor”, Claudio Mendonça, de 43 Anos, explicou que a entrega do filho para a adoção é um direito assegurado às mães e gestantes. Ele ressalta que as adoções previstas em lei tem benefícios: passam por acompanhamento de assistentes sociais e um rigoroso processo de avaliação familiar.

– Não temos acesso às adoções. Nossa prioridade é explicar, encaminhar e orientar essa gestante para que a mesma procure a Vara de Infância mais próxima de sua cidade para ser atendida pelas profissionais responsáveis – ressaltou Mendonça, enfatizando que a escolha deve ser respeitada “por se tratar de um ato que demonstra respeito à criança e a mãe que evita medidas mais drásticas como o aborto ou o abandono”.

Nos casos em que a criança ainda está em gestação, o coordenador da entidade explica que é importante a mãe procurar a Vara de Infância e Juventude, antes do nascimento, para receber acompanhamento psicológico.

– Ao decidir doar um filho, através das vias legais, a mulher demonstra respeito com a criança, evita a adoção ilegal, a chamada “adoção à brasileira” e facilita que o filho mais tarde, possa conhecer sua história através do processo de adoção que fica registrado – explicou Claudio.

Verônica Lucia da Silva Mattos, de 39 anos, faz uma verdadeira via crucis para achar a mãe

Verônica Lucia da Silva Mattos, de 39 anos, faz uma verdadeira via crucis para achar a mãe

 

 

Por: Isabelle Prado


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Tem alguma pista? Nome da mãe, Local de nascimento, cidade ou qualquer pista?

  2. marcilene…..vamos fazer amor e deixa esse povo pra la

  3. Tem comentários que nota-se que na mente! o bem não pode prevalecer.expor uma nescessidade tão valorosa é um dia poder estar nos braços de quem te gerou.

  4. QUERIA VER, SE TIVESSE HERANÇA NA ATUAL FAMILIA.

Untitled Document