terça-feira, 11 de maio de 2021 - 20:47 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / ‘Outubro Rosa Pet’: Castração previne o câncer de mama em animais, destaca veterinário

‘Outubro Rosa Pet’: Castração previne o câncer de mama em animais, destaca veterinário

Matéria publicada em 6 de outubro de 2019, 09:00 horas

 


Animais também podem e devem receber trabalhos de prevenção ao câncer
(Foto: Divulgação)

Volta Redonda- O câncer de mama também pode afetar as cadelas e gatas de estimação. O mês “Outubro Rosa Pet” destaca a prevenção à doença, que pode ser feito através de exames e principalmente com a castração. Até o primeiro ano de vida, o procedimento pode reduzir as chances de desenvolver tumores nas mamas, como explica o veterinário de Volta Redonda, Bruno de Freitas.
– A única forma eficaz de prevenção é a castração em qualquer fase da vida, mas é indicado que faça antes do primeiro cio, que ocorre a partir do 6° mês de vida – disse, acrescentando que os donos dos pets podem fazer o diagnóstico do câncer de mama nos animais com o autoexame das mamas.
– O diagnóstico é simples e pode ser feito em casa, como nas mulheres, o primeiro sinal é encontrar nódulos na palpação das mamas. Passe as mãos nas mamas das cadelas ou gatas a procura de qualquer carocinho mesmo que bem pequeno, caso encontre leve rapidamente ao médico veterinário para confirmar o diagnóstico – comenta.
Cadelas e gatas em qualquer idade podem desenvolver a doença, entretanto é mais comum o surgimento do nódulo a partir dos 05 anos de idade, o tumor pode crescer rápido e se espalhar no corpo dificultando o tratamento médico.
– Muitas vezes não aparece nenhum sintoma, apenas o surgimento de nódulos que podem crescer rapidamente e acabar rompendo e se transformando em feridas de difícil cicatrização. Os tumores de mama também podem espalhar para outros órgãos -metástase- se não tratado rapidamente – disse o veterinário, acrescentando que: “O tratamento é cirúrgico onde é retirada além da região do nódulo, toda cadeia mamária para evitar que cresça em outra mama e também é feita a castração”, cita.
As fêmeas, não castradas, também podem desenvolver infecção de útero.
– Devido a algum distúrbio hormonal por conta dos cios, as fêmeas não castradas quando atingem a meia idade -acima de 05 anos- podem desenvolver infecção de útero também – disse.

Benefícios da castração

O médico veterinário Bruno de Freitas esclarece ainda que a castração além de inibir a procriação descontrolada, ajuda na prevenção de várias doenças, entre elas: o câncer de mama, nas fêmeas, e o câncer de próstata nos machos. A castração pode ser feita em qualquer idade, sendo que para animais mais idosos, deve ser feito uma série de exames mais completo para confirmação da saúde e redução do risco cirúrgico.
– Além do risco de gravidez indesejada, evita-se os transtornos decorrentes da ação hormonal como agressividade, demarcação de território e doenças sexualmente transmissíveis. O animal castrado tende a ser mais calmo e a realizar menos atividades físicas. Este comportamento, somado a uma alimentação inadequada causa comumente a engorda dos animais. Contudo, com uma alimentação saudável, e atividades regulares, o animal mantém o mesmo peso por toda a vida – disse.
Bruno explica o procedimento: “No caso das fêmeas é feita uma pequena cirurgia e o animal permanece em observação por algumas horas, sendo liberado no mesmo dia ao apresentar estabilidade no seu quadro de saúde”, disse, acrescentando que no caso dos machos: “o procedimento é bem menos invasivo, por isso, o animal permanece por menos horas em observação, sendo liberado em seguida ao apresentar estabilidade”, finaliza.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document