>
sexta-feira, 24 de junho de 2022 - 19:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Pescaria comprova melhoria na qualidade da água dos rios

Pescaria comprova melhoria na qualidade da água dos rios

Matéria publicada em 28 de maio de 2016, 10:58 horas

 


ETE Eng. Gil Portugal  24.03.15 (15)

Melhor: Com entrada em operação da ETE Gil Portugal, quantidade de peixes no Rio Brandão aumentou, segundo pescadores
(Foto: ACs/PMVR)

Volta Redonda- Desde a entrada em operação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Engenheiro Gil Portugal, em abril de 2015, o Saae-VR (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Volta Redonda) tem feito semanalmente testes para verificar a Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) nos rios e córregos dos bairros Vila Rica, Casa de Pedra, Siderópolis, Sessenta e Vila Santa Cecília, para monitorar a qualidade da água. E as análises comprovam os benefícios da nova ETE, que elevou o percentual de tratamento de esgoto em Volta Redonda, de 17% para cerca de 40%.
– O Saae-VR tem feito a coleta da água em vários pontos para análise e a água dos córregos e rios daquela região está bem mais clara. A análise da DBO – que atesta a boa qualidade biológica da água – comprova a situação, e um dos reflexos é o aumento da população de peixes – afirmou o engenheiro Patrick James Kent, gerente de Tratamento de Água e Esgoto do Saae-VR.

Pescaria

Outras fontes que confirmam a melhoria das condições da água são pescadores que ficam ao longo dos rios da área, como o Córrego Brandão, que vem dos bairros Casa de Pedra e Sessenta e passa ao longo da Rua 41, na Vila Santa Cecília. Luiz Antônio Malaquias, de 49 anos, caldeireiro profissional e pescador nas horas vagas, é direto e brinca com a situação do córrego.
– Olha eu pesco aqui há 40 anos e nada me aconteceu. Mas de uns tempos para cá, a quantidade de peixes aumentou muito. Na semana passada eu consegui sair com 8 quilos de tilápia, grandes e médias. Um colega meu pegou outro dia uma tilápia de 2 quilos aqui no Brandão. Tem muito peixe agora – atestou.
O amigo que pescava junto com ele, o aposentado José Laerte, que reside na Rua 165, próximo ao córrego, estava usando como isca miolo de pão, e no momento da conversa pescou dois peixes em cerca de 10 minutos. Ele também considera bom o estado atual da água do córrego. “Pede ao prefeito (Antônio Francisco) Neto para continuar investindo nas estações de tratamento de esgoto para limpar definitivamente todos os córregos, porque assim poderemos pescar muito mais peixes. Mas aqui tá bom – enfatizou.
Mais pescadores, que estavam próximos à Agência Central dos Correios – que está em obras – destacaram a melhoria na quantidade de peixes no córrego. O autônomo Wolney Andrade, de 61 anos, informou que há cerca de 5 anos pesca em pontos diferentes na cidade, mas que a pesca naquele local tem sido a mais rentável. “A pesca é um momento de lazer, mas todo o peixe retirado do córrego é depois limpo e consumido pela família, sem temor algum”, relatou.

Estação

Com a construção da ETE Gil Portugal, todo o esgoto dos bairros Laranjal, Vila Santa Cecília, Bela Vista, Rústico, Sessenta, Siderópolis, Casa de Pedra, Jardim Esperança, Jardim Tiradentes, Jardim Belvedere, Village Sul, e parte dos bairros Monte Castelo e Vila Rica – o que equivale a uma população de cerca de 75 mil habitantes. A capacidade da ETE Gil Portugal – um investimento de R$ 27 milhões, feito em convênio com o Governo do Estado do Rio, por meio do Fecam (Fundo Estadual de Conservação Ambiental) – é tratar 140 litros de esgoto por segundo.
– O Saae-VR construiu um interceptor do esgoto desde o Cidade Nova, passando por Vila Rica, Casa de Pedra, e Siderópolis, que pega o esgoto de toda essa região, direcionando para uma nova rede coletora do esgoto – no bairro Sessenta – levando-o direto para a ETE Gil Portugal – explicou Patrick Kent.
O gerente de tratamento do Saae-VR informou ainda que a empresa pública faz pesquisas frequentes para identificar ligações clandestinas da rede de esgoto com a rede pluvial, com um teste de fumaça.
– Quando identificamos essas ligações, estamos multando os infratores. Desenvolvemos também uma campanha de conscientização para que os usuários do Saae-VR não façam essas ligações irregulares, porque serão fiscalizados – enfatizou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. José Maria se não sabe brincar não desça para o play. A matéria é clara (o SAE tem feito coletas em vários pontos nos corregedor rios da região,) se a coleta fosse feito após não seria em vários pontos. Continuo com a minha opinião que uma ETE só autera a quantidade da água após o tratamento e nunca antes.

  2. Nada(r) tá bom! Vamos nadar no córrego. Será com certeza o
    teste de veracidade para os críticos.

  3. Alguém tem uma explicação, como uma estação de tratamento de esgoto modifica as condições da qualidade da água antes dela? O correto seria pós tratamento, mas não é isso que a matéria mostra. Controle de qualidade da água antes do tratamento não muda em nada as condições do rio. Mas em ano de eleição o mais importante é o marketing do que se fez, mas o povo não cai mas em propaganda enganosa.

  4. Antonio Carlos Peludo

    Um absurdo alguém se lembra do vazamento de endosulfan da SERVATIS ; pelos dados tecnicos do INEA aquilo iria ficar na lama do rio por vintenas de anos contaminando a flora e a fauna ribeirinha e a do próprio rio paraiba ate sua foz em Campos . Estamos sim sendo envenenados de vagar

  5. BOM AGORA RESTA CONSTRUIR OUTRAS ESTAÇÕES PARA PODER ABRANGER TODO O RESTANTE DA CIDADE , NÃO SOMENTE ALGUMAS AREAS NOBRES , E SIM ABRANGENDO TODA POULÇÃO ,PODERIA SER FEITO UMA GRANDE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO ENTRE VOLTA REDONDA E PINHEIRAL DIVIDINDO O CUSTO ENTRE OS MUNICÍPIOS EM PARCERIA COM OS ESTADO GARANTINDO QUE AGUA DO PARAIBA QUE PASSA POR VOLTA REDONDA SAIA DAQUI PARA OS OUTROS MUCICIPIOS MELHOR DO QUE CHEGA.

  6. A eleição esta chegando…. Reportagem veio em um momento mt bom….

  7. Interessante é alguém achar que o rio esta melhorando usando uma espécie exótica como parâmetro ou mesmo o DBO

  8. Precisa montar pontos de recolhimento de óleo usado em frituras, muitas pessoas jogam no ralo e sempre vai parar nos rios. Eu tenho que atravessar a cidade, rodar 10 kilometros para deixar meu óleo usado no posto de recolhimento na São Cristovão. Quero ajudar o meio ambiente, mais assim fica dificil.

    • Toni, deixe visível o óleo na sua lixeira que outros pegam, inclusive os catadores de reciclados. Não é preciso jogar em outro lugar na natureza. Levando no São Cristóvão ainda ganha de brinde água sanitária.

      No bairro que resido tenho orientado os moradores e tem dado certo.

Untitled Document