sexta-feira, 23 de outubro de 2020 - 21:25 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Prefeitura de Angra dos Reis incentiva a legalização de empresas

Prefeitura de Angra dos Reis incentiva a legalização de empresas

Matéria publicada em 5 de dezembro de 2015, 11:20 horas

 


Secretaria de Assuntos Econômicos realiza cadastro e orienta o microempreendedor individual

angra

Correto: Confeiteira Gabriela Neves regularizou seu negócio, conseguindo a licença de vendedora ambulante na cidade de Angra dos Reis (Foto: Divulgação)

Angra dos Reis – Transformar em empresa o negócio da família ou o trabalho informal pode ser mais simples do que se pensa. Em Angra dos Reis, a Secretaria de Atividades Econômicas oferece apoio e incentiva quem busca a condição de microempreendedor. De acordo com o secretário de Atividades Econômicas, Marcelo Oliveira, o município de Angra tem grande interesse em facilitar a vida de quem quer ter um negócio próprio.
– A prefeitura orienta a todos que já tenham ou queiram abrir um negócio que procurem a Secretaria de Atividades Econômicas, onde recebem informações e consultoria do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Desde o início da nossa gestão, temos essa política de incentivo ao microempreendedor – afirmou, citando os dados de uma pesquisa divulgada em março deste ano pela revista Exame, na qual o Brasil ficou em primeiro lugar em empreendedorismo no mundo.
Segundo Oliveira, a secretaria funciona em paralelo à Delegacia da Junta Comercial de Angra dos Reis, e que, desde a inauguração desta, em 2013, foram registrados 15,5 mil atendimentos. Deste total, cerca de cinco mil foram sobre o registro de MEI (Microempreendedor Individual).
– Esse número mostra que existem muitas pessoas interessadas em se tornar MEI e o que nós fazemos é orientá-las, mostrando que qualquer pessoa que tenha um trabalho autônomo pode ser um microempreendedor – ressaltou.
O secretário explicou que, para ter seu negócio regularizado sob a forma de MEI, é necessário ir até a secretária, que está localizada na sede da prefeitura, no Centro de Angra dos Reis. Lá, um servidor dá entrada em um processo que leva cerca de três dias para ser finalizado. Além da documentação, o trabalhador também tem acesso, na própria secretaria, à consultoria do Sebrae.
– Por meio da nossa parceria com o Sebrae, a pessoa recebe orientações sobre o negócio e a área em que atua ou deseja atuar. É fundamental ter esse conhecimento de mercado antes de se abrir uma nova empresa – acrescentou Oliveira, lembrando que o município aderiu à campanha “Compre do Pequeno”, realizada pelo Sebrae, em outubro, em incentivo à micro e pequena empresa.
Para ele, a regularização de um negócio ou serviço é importante para que se evitem problemas futuros, como a apreensão de mercadorias ou até o impedimento de realização da atividade. Em contrapartida, ter uma empresa legalizada, segundo Marcelo Oliveira, dá ao trabalhador toda a segurança do mercado formal.
– Uma vantagem é o acesso a créditos, por exemplo. Existem bancos que oferecem microcrédito para esse tipo de empresa. Mas, para ter acesso a essa e outras facilidades, é preciso estar cadastrado como MEI – citou.
Em tempos de crise econômica, de acordo com o secretário, é necessário usar a criatividade e enxergar alternativas. Para isso, ele reafirmou o incentivo da prefeitura.
– Não existe fim da linha e nós estamos aqui para isso mesmo, para ajudar quem deseja se legalizar. Buscamos valorizar o trabalho das pessoas e oferecemos meios para fazer o negócio dar certo. Existem diversos serviços à disposição do trabalhador e ele deve buscá-los. Usando de criatividade e meios legais, o negócio tem tudo para deslanchar – acrescentou.

Um exemplo que deu certo

A confeiteira Gabriela Neves regularizou seu negócio, conseguindo a licença de vendedora ambulante na cidade de Angra, e se destacou na última edição da Feira do Empreendedor do Sebrae, no Rio de Janeiro, em novembro passado. Na Mesa de Food Truck, ela falou sobre os brigadeiros gourmet, brownie e bolo de pote, que fabrica e vende na sua Sweet Bike.
Faz 13 anos que Gabriela trabalha como confeiteira, mas há três, teve que encarar o desafio de se mudar para Angra, deixando toda sua clientela na cidade de Niterói (RJ). Para recomeçar e conquistar um novo mercado, ela usou de muita criatividade, fazendo propaganda, promovendo eventos de degustação, promoções com sorteios de doces e oficinas de cupcakes.
Em 2014, teve a ideia de sair às ruas para comercializar seus produtos. Para pôr em prática, Gabriela encomendou uma bicicleta especial, desenvolveu marca e identidade visual, além de um cardápio cheio de delícias. A confeiteira contou que procurou, então, a Prefeitura de Angra, para licenciar o negócio. Ela foi, a princípio, à Subprefeitura de Jacuecanga, no setor de Postura da Secretaria de Fazenda, e por último, à Secretaria de Atividades Econômicas.
– Em todos os setores, fui muito bem recebida e orientada sobre o que fazer para desenvolver meu negócio dentro da legalidade. Segui as orientações e consegui a licença de vendedora ambulante e a autorização para estacionar minha bicicleta em Jacuecanga. Para minha surpresa, foi tudo muito rápido – disse.
Licenciada, Gabriela conseguiu não só conquistar uma extensa clientela, mas também tornar sua marca conhecida até nas cidades vizinhas. A próxima meta é levar a bike à cidade de Niterói e ao Centro de Angra – ideia que está sendo analisada pela TurisAngra (Fundação de Turismo deAngra). O sucesso já exigiu da confeiteira a contratação de um funcionário e, agora, Gabriela já pensa na ideia de transformar seu negócio em franquia.
– A criação da Sweet Bike e o apoio da prefeitura fizeram meu empreendimento crescer de uma forma que nem eu esperava. Hoje, expandir o negócio me parece inevitável – analisou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar
    Maria das Graças Chagas

    Volta Redonda precisa aderir a Angra dos Reis

Untitled Document