Provedor da Santa Casa se reúne com Ministro da Saúde - Diário do Vale
terça-feira, 28 de setembro de 2021 - 07:56 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Provedor da Santa Casa se reúne com Ministro da Saúde

Provedor da Santa Casa se reúne com Ministro da Saúde

Matéria publicada em 5 de setembro de 2016, 23:15 horas

 


Saúde: Encontro aconteceu em Brasília e o objetivo foi buscar recursos para melhorias das instalações da Santa Casa (Foto: Divulgação)

Saúde: Encontro aconteceu em Brasília e o objetivo foi buscar recursos para melhorias das instalações da Santa Casa (Foto: Divulgação)

Barra Mansa – Com a intenção de buscar recursos para o Centro Cirúrgico e ampliação dos leitos da UTI, o provedor da Santa Casa de Barra Mansa, Jair Fusco, acompanhado do vice-provedor, Getúlio Pereira, esteve em Brasília na última semana, em uma reunião com o Ministro da Saúde, Ricardo Barros. Na ocasião, o ministro ressaltou a importância das entidades filantrópicas para a saúde no Brasil e garantiu um investimento de R$ 513 milhões para as santas casas, no entanto, a verba será distribuída da seguinte forma: a maior parte dos valores liberados, R$ 371 milhões, é para novas habilitações e credenciamentos de 216 hospitais filantrópicos de 20 estados. A meta é que os pagamentos sejam feitos em dezembro. Já os R$ 141 milhões se referem a emendas parlamentares dos últimos dois anos que ainda não haviam sido pagas.

Por conta dessa verba destinada ao setor, a Santa Casa de Misericórdia de Barra Mansa não conseguiu liberação de recursos para o Centro Cirúrgico e ampliação dos leitos.

– O ministro ficou de avaliar nossa pauta e deixamos 10 projetos com parlamentares para ver se conseguimos a verba, posteriormente. Estou confiante e, por enquanto, teremos que buscar outras alternativas, como a redistribuição de leitos, que se faz necessária desde a instalação do setor de oncologia – comentou o provedor.

No entanto, a Santa Casa deve ser contemplada com esse pacote de verbas divulgadas, uma vez que há emendas a serem recebidas.

– Vamos verificar onde vamos nos encaixar e quais as verbas que vamos receber – explicou Fusco, acrescentando que a reunião foi positiva, apesar da verba ainda não ter sido liberada.

– Hoje temos essa abertura de chegar até o ministro e pleitear verba para a Santa Casa. Antes era uma dificuldade. A credibilidade da Federação das Misericórdias e Entidades Filantrópicas do Rio de Janeiro tem colaborado muito para esse vínculo – adiantou.
Fusco explicou ainda que assim que as emendas parlamentares forem enfim liberadas, a verba vai para os cofres públicos municipais para só então ser liberada para a Santa Casa.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Revoltado, porque vc então nao procura saber pelos meios legais aonde está sendo gasto o dinheiro na Santa casa. Esse pseudônimo e essa ignorância sua só faz mais intolerante e medroso ao embate direto, olho no olho. Talvez porque algum parente seu não tenha sido atendido da maneira como vc quiz , aí mantém esse tom agressivo que só os covardes tem. Teria alguns adjetivos que seriam muitos pejorativos a lhe classificar mas não me igualo a um medíocre e covarde feito vc.

  2. É intrigante entender porque no passado não muito distante a Santa Casa era toda pública e agora quase toda é privada, embora seja hoje uma referencia em qualidade de atendimento para atendimentos com plano de saúde. A população aumentou e o atendimento ao público sem plano de saúde diminui. As verbas deveriam ampliar os atendimento pelo SUS. É a minha opinião.

    • Marco Andrade Barros

      Rsss, verbas do SUS, onde elas estão??? Procure saber se a santa casa tem recebido, assim como a defasagem dos valores.
      Barra Mansa deve levantar as mãos para o céu por ela não ter fechado. Se ela fosse aqui de volta redonda não ficaria de pires na mão atrás de gestores públicos e na boca de uma população que acaba com tudo que a cidade tem.

    • A Santa Casa é uma instituição privada, porém filantrópica. Sempre foi. As instituições filantrópicas têm, por lei, designar 60% do atendimento aos usuários do SUS. A Santa Casa de Barra Mansa atende, atualmente, 82%. No entanto, uma instituição hoje, não vive apenas do dinheiro do SUS, pois a tabela é defasada e não se paga custeio, por isso existe a lei para instituição filantrópica.

  3. E o dinheiro que gastou para ir lá não podia ter colocado na Santa Casa? Foi lá passear, pois já sabia a resposta. Eu já disse esse Fusco não sabe nada de Administração…

    • Só uma pergunta “Revoltado”: Por que você não sai da sombra do anonimato e fala olho no olho do cara???
      Certamente tens antipatia pessoal mas não é homem o suficiente para encarar ninguém.

Untitled Document