>
segunda-feira, 15 de agosto de 2022 - 16:56 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Servidores deixam Alerj após três horas de ocupação

Servidores deixam Alerj após três horas de ocupação

Matéria publicada em 8 de novembro de 2016, 11:48 horas

 


Rio – Servidores estaduais de diversas categorias deixaram o prédio da Assembleia Legislativa (Alerj) após três horas de ocupação. Eles protestam nesta terça-feira (08) contra o pacote de medidas anunciado pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB)  para enfrentar a crise financeira do estado e que deve começar a ser votado pelos deputados no próximo dia 16.

Rio de Janeiro - Servidores estaduais de diversas categorias fazem manifestação em frente à Assembleia Legislativa (Alerj). Eles protestam contra o pacote de medidas anunciado pelo governador Luiz Fernando Pezão par
Servidores estaduais em manifestação em frente à Assembleia Legislativa (Alerj)Tomaz Silva/Agência Brasil

O pacote inclui 22 projetos de lei já publicados no Diário Oficial. Um dos principais pontos é o aumento da contribuição previdenciária. Além desse aumento, a proposta do governo é que todos os servidores, incluindo aposentados e pensionistas que ganham menos de R$ 5.189, atualmente isentos da taxa, tenham um desconto previdenciário extra por 16 meses. No fim da tarde de ontem, a Justiça do Estado do Rio suspendeu a tramitação do projeto de lei.

O policial militar Josué Divago disse que o protesto é para que os servidores tenham seus direitos respeitados, assim como o posicionamento em geral da classe contra o pacote de medidas do Estado. Divago lembrou que o aspecto psicológico, já pesado, que os militares enfrentam em seu dia de trabalho soma-se agora com a preocupação pelo futuro das próprias famílias.

“Estamos exigindo que nossos direitos sejam respeitados. Do jeito que está, não tem nenhuma condição de continuar. Nós já vivemos em uma tensão constante que é não saber se voltaremos para casa no fim do expediente e agora, além de não recebermos, seremos descontados no pouco que ganhamos. E quando ganhamos, há de se ressaltar. Um bom pacote seria a redução dos salários dos políticos que estão lá na Alerj e até do próprio Pezão. Por que não?”, indagou.

A aposentada da área de saúde do estado, Maria das Graças, se mostrou indignada com o que ela chamou de “pagar o pato” por conta de uma má administração do governo estadual. Maria disse que, com os descontos em seu salário, ficará impossível cuidar da própria saúde, setor em que ela trabalhou por mais de 20 anos.

Rio de Janeiro - Servidores estaduais de diversas categorias fazem manifestação em frente à Assembleia Legislativa (Alerj). Eles protestam contra o pacote de medidas anunciado pelo governador Luiz Fernando Pezão par
A servidora Maria das Graças se mostrou indignada com o que chamou de “pagar o pato”  Tomaz Silva/Agência Brasil

“Eu recebo R$ 900 de aposentadoria e serei descontada em R$ 300. Como viver com R$ 600? Será que o Pezão viveria com isso? Essa quantia não dá conta de, por exemplo, arcar com meu plano de saúde. Isso me entristece demais, pois passei grande parte da minha vida trabalhando em prol dessa área e agora eu tenho que recorrer aos planos privados, já que o Estado está sucateado e nos sucateando”, lamentou.

Em nota divulgada ontem (7), o procurador-geral de Justiça do Rio, Marfan Vieira, disse que as medidas, caso aprovadas, poderão produzir efeitos penosos e imediatos sobre a população em geral e não apenas sobre o funcionalismo público estadual. Já a assessoria de imprensa do Governo do Estado disse que não irá se posicionar diante desta nova manifestação e das acusações realizadas durante a mesma.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Como pode um babaca aqui citar a pm….estas medidas atingirá todos os funcionários do estado, saude, educação, segurança e outros órgãos….pense antes de falar….os funcionários não podem pagar por uma má administração, corrupta…..antes de cortar de quem ganha pouco, deve se primeiro cortar deles mesmo os salários e regalias….acordem população, vamos apoiar, pois o estado fazendo isto….em breve chegarao as prefeituras…. atingindo o setor privado e o comércio….não sejamos burros….temos q dar um basta nesta política corrupta de nosso país….

  2. Estranho que ninguém fala nada do Sérgio Cabral… Não vão investigar nada não???

  3. Eu alertei aqui para não votarem no PMDB e ALIADOS. Agora aguentem que via piorar, infelizmente.

    Alertei os empresários tbm. Agora aguentem e não repassem aos preços porque é inflação na certa. Se fizerem isso já fiquem sabendo que vai piorar mais ainda a economia.

    • Alertou empresário? Nem empresário quitandeiro de periferia vai dar moral pra aspone / cabo-eleitoral fracassado como vc, ETA POVINHO…

  4. Põe o salário do deputados governo e indicados a 1000 e sem verba pra gabinete carro tel gasolina correio etc etc que dou 30 do meu em cheque todo mes

  5. Onde está Sergio Cabral ?
    Fizeram a farra toda e agora temos que pagar a conta. Temos que dar um basta nessa roubalheira.

  6. Fonte: Transparência ONG Brasil.
    Cada Senador custa em média 33,4 milhões anuais, são 81 Senadores,
    Cada Deputado federal custa 6,6 milhões anuais, são 513 Deputados,
    Cada Deputado Estadual RJ custa em média 2,5 milhões anuais, são 70 Deputados
    Ainda te a câmara de Vereadores do município
    SÓ PERDEMOS EM CUSTOS COM LEGISLATIVO PARA OS ESTADOS UNIDOS,QUE TEM UMA ECONOMIA INFINITAMENTE MAIOR QUE A DO BRASIL.

    AGORA, O JUDICIÁRIO É CAMPEÃO. É O MAIS CARO DO MUNDO, NOVE VEZES MAIS QUE NOS ESTADOS UNIDOS.

    Um festival de mordomias: Só pra citar um exemplo, talvez o mais emblemático AUXILIO EDUCAÇÃO R$ 1.010,00 POR FILHO.

    UM JUIZ QUE RECEBE EM TORNO DE R$ 31.000,00 SENDO LIQUIDO R$ 22.000,00 PRECISA DE ALGUM AUXÍLIO FINANCEIRO PARA SEUS FILHOS ESTUDAREM? Mil reais é mais do que ganha metade da população brasileira para todas as despesas.

    Aí a Constituição Federal diz que tem por objetivo reduzir as desigualdades sociais. Esse ano deram um grande passo pra “redução das desigualdades”, uma aumento de 41% pro judiciário. E as pessoas vão pra rua pelo motivo simbólico de 2 centavos de aumento na passagem de ônibus. O nome desse País é COMÉDIA.

  7. A PM sabe onde pegar a diferença ja aye começou com Blitz e reboque sem identificação , vai da p viver siim ja os professores e PMs aposentados ferrou.

    • Devia ser ex analfabeto deve ser por isso achando que os policiais vão roubar para se sustentar nem todos são iguais a vc ex

  8. Isto é vergonha, inplantar estas medidas com a justificativa de obter receita para o pagamento dos servidores da segurança publica! Isdo é a má administração do dinheiro publico pelo governo atual! Agora nós q teremos q pagar pela farra q fizeram apos copa do mundo, jogos olímpicos e isençoes fiscais milionárias? E mais cadê me salário este mês?

Untitled Document