segunda-feira, 13 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Xandinho, acusado de matar caminhoneiro, vai a júri popular em VR

Xandinho, acusado de matar caminhoneiro, vai a júri popular em VR

Matéria publicada em 17 de novembro de 2014, 13:00 horas

 


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Volta Redonda

O juiz da 1ª Vara Criminal de Volta Redonda, Ludovico Couto Colacino, vai presidir no dia 9 de dezembro, o julgamento de Alexandre Pançardes Junior, o “Xandinho”, de 20 anos. Ele é acusado de matar com um tiro no pescoço, em agosto de 2013, o caminhoneiro Marlon do Valle Garcia, de 22 anos. O crime foi em frente a uma boate no Jardim Amália, após o réu discutir com a vítima por motivo fútil.

Na época, o assassinato foi gravado pelo circuito de monitoramento de um prédio localizado próximo a boate. Marlon morava em Barra Mansa.

O crime revoltou parentes e amigos do caminhoneiro que saíram em carreata pelas ruas de Barra Mansa e Volta Redonda. Cerca de 800 pessoas – segundo cálculos da PM – em mais de 300 veículos se mobilizaram em frente à delegacia de Volta Redonda, onde reivindicaram justiça.

“Xandinho” responde por homicídio duplamente qualificado, por impossibilidade de defesa da vítima e por motivo torpe.

Relembre o caso

 

Marlon foi executado com um tiro no pescoço após uma discussão com “Xandinho” na saída de uma boate no Jardim Amália. O crime foi flagrado pelo circuito de monitoramento de um prédio e mostra quando Pançardes saca um revólver da cintura, vai até o carro onde Marlon está e discute com a vítima.

Marlon desce do carro, os dois continuam a discussão mesmo com o irmão de Marlon, Jaderson Luiz do Valle Garcia, tentando apaziguar a situação. Pançardes insistia que a vítima se ajoelhasse e pedisse perdão. Logo depois, “Xandinho” dispara um tiro que atinge o pescoço de Marlon, que não resistiu e morreu no local. O suspeito foge em um Fiat Palio.

De acordo com amigos de Marlon, a desavença entre ele e “Xandinho” teria começado em uma exposição agropecuária em Rio Claro, em maio. Na noite do crime, a vítima e “Xandinho” já teriam discutido dentro da boate.

O irmão de Marlon contou em depoimento que Pançardes mencionava a todo o momento a briga que eles tiveram em Rio Claro, quando os dois se confrontaram devido ao fato de “Xandinho” ter agredido outro irmão da vítima.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document