quarta-feira, 20 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / E nós com isso? / O medinho da privatização

O medinho da privatização

Matéria publicada em 25 de agosto de 2019, 05:14 horas

 


Empresas geridas pela iniciativa privada são mais eficientes e geram mais benefício ao consumidor que estatais

Uma coisa que o colunista leu em uma rede social, a respeito das privatizações anunciadas esta semana pelo governo, extrapolou todos os limites do razoável. Alguém quis insinuar que a privatização piorou as telecomunicações.

Isso é o cúmulo do absurdo. Antes de as teles serem privatizadas, quem queria uma linha telefônica fixa precisava entrar numa fila gigantesca e esperar por anos. Aí era obrigado a comprar ações da empresa que comercializava as linhas.

O negócio era tão complicado e tão caro que as pessoas deixavam linhas telefônicas como herança, da mesma forma que acontece com imóveis hoje em dia.

Os celulares – que felizmente conviveram pouco tempo com a era das teles estatais – custavam tanto quanto um carro usado, tinham contas astronômicas… eram coisa só pra “rico”.

Hoje em dia, a pessoa se muda de endereço e pede a instalação da internet (quase ninguém usa mais telefone fixo) como quem pede a ligação de água e de energia (que, não nos esqueçamos, é responsabilidade de empresas privadas). Celular é uma coisa que a gente não pergunta se a pessoa tem: pergunta o número, porque é quase impossível um adulto ou adolescente não ter.

As estradas são outro exemplo: quem usava a Rodovia Presidente Dutra antes de ela ser concedida à iniciativa privada sabe muito bem como era a principal rodovia do país. Buracos, falta de manutenção… hoje se paga pedágio, mas as condições são infinitamente melhores que as de antes da concessão.

Então, não cola dizer que as estatais prestam melhores serviços ou vendem melhores produtos, porque é mentira. Pergunte a qualquer pessoa que vai receber alguma encomenda se ela quer via Fedex, DHL ou Correios…

O argumento do “patrimônio do povo” também é falho. Basta fazer avaliações corretas das empresas. Já vi muita gente reclamando que os compradores da Vale e da CSN pagaram a aquisição com os lucros das empresas. Isso significa que as empresas passaram a dar lucro, porque era comum entrarem no vermelho.

 

Corda em casa de enforcado

CSN privada é mais rentável e sustentável que sua versão estatal

Falar em privatização em Volta Redonda é difícil. Nos anos 80 do século passado, mesmo durante a ditadura militar, Volta Redonda era claramente uma cidade diferente das outras: era privilegiada porque era basicamente sustentada por uma estatal.

Boa parte dos clubes funcionava em terrenos cedidos pela empresa, a ETA da siderúrgica fornecia água para grande parte da cidade, a equipe de segurança patrimonial da empresa circulava por bairros construídos para prover moradia a seus empregados, como Vila Santa Cecília, Conforto e Laranjal, a Rádio Siderúrgica pertencia à empresa, e por aí vai.

Além disso, a grande maioria dos empregados da Companhia – em todos os níveis – preparava os filhos para serem também empregados da empresa. A Escola Técnica Pandiá Calógeras era uma porta de entrada para a empresa.

Havia uma sensação de segurança em relação ao futuro, que seria suprido pelo governo, através da CSN. O desempenho da empresa, se ela dava lucro ou não, era apenas um detalhe.

O resultado é que a CSN da pré-privatização era, para começar, um cabide de empregos. Tinha gente demais, recebendo salários acima da média do mercado. Além disso, a maioria dos empregados não se importava em faltar ou sair “de ponto aberto” para tratar de problemas pessoais.

Economizar insumos, energia, ou mesmo o papel higiênico dos banheiros? Pra quê? Era do governo, mesmo…

Quando saía o balanço e este apontava prejuízo, sempre havia alguém para bancar o paladino dos trabalhadores e conseguir que o governo pusesse dinheiro na empresa para pagar a “Girafa”, como era chamada a PPR da época.

Resumo: quando a empresa começou a ser preparada pra ser privatizada, houve demissões. Antes da privatização, porque um item no edital proibia que houvesse demissões de pessoal da época de estatal.

E como a empresa estava botando gente pelo ladrão, foi necessário cortar pessoal. Pessoalmente, para os demitidos, com certeza foi triste. Mas não havia outro jeito. Se não tivesse sido privatizada, a CSN acabaria sendo fechada.

Quanto à cidade, basta procurar fotos do fim dos anos 80 e comparar com as atuais. A cidade não depende mais da CSN para nada além dos deveres tributários e ambientais. A atividade econômica gera um mercado consumidor que transformou a cidade em polo de comércio e serviços, e outras indústrias se instalaram na cidade.

Se parar pra analisar, a Volta Redonda da CSN privatizada é melhor que a da CSN estatal. A situação só piorou para quem era empregado ou para quem fazia negócios com a empresa em condições “de pai pra filho”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

23 comentários

  1. Avatar

    Essas empresas foram construídas com o dinheiro do povo, do trabalhador, não é justo no final das contas venderem, ou melhor, darem de graça e ficarmos sem nada. Essas empresas pertencem ao povo e não a eles.

    • Avatar

      Apoiado.

      Vamos sanear!

      Aumentar lucro!

      Não viu a CSN, paga uma miséria para os empregados.

      Quando os funcionários da CSN , ganhavam bem , movimentava o comércio, a cidade, a roda girava e a prefeitura arrecadava horrores de impostos de bens e serviços.

      Agora a coisa tá difícil pra todos!

      As pessoas tem que pensar no quadro geral.

      O metalúrgico ganhava bem, consumia bens e serviços, aí os comerciais, também consumiam bens e serviços, a prefeitura com mais dinheiro arrecadado podia investir mais na cidade e todos se beneficiavam: o pipoqueiro, o cabeleireiro, as lojas de roupas, materiariais de contrução, o dono de cursinho, supermercado, mais gente empregada, que também consumiria…

  2. Avatar
    Meu nome é Zé Pequeno!

    O autor não é o mesmo que escreveu meses atrás que a “Montanha de Escória” era algo inócuo e sem riscos ambientais?
    Lembremos! A CSN foi vendida é realmente podemos ver melhoras no seus lucros, assim como, implantação de projetos antes “congelados” exemplifiquemos: a instalação da Termoelétrica e da construção da cimenteira ambas no inteiro da usina, a implantação do laminador de aços não planos, etc.
    Em contra partida vários acidentes de grandes proporções, desemprego em massa, baixos salários, várias propriedades utilizadas pelos empregados e hoje abandonados (Escritório Central, clubes, Posto de Puericultura), etc.
    Voltemos a nossa atenção para a privatização das chamadas “Teles”…
    Sim! Houve melhorias ao acesso pela população, mas em contrapartida são campeãs em reclamação.
    Aquela grande mineradora brasileira foi subavaliada e vendida, mas e as tragédias recentes e as inúmeras perdas de vidas?
    Falava-se que a pessoa poderia comprar “a energia elétrica” de quem o consumidor quisesse…Ocorreu?
    Paremos aqui porque a lista de vantagens e desvantagens é enorme e necessita de uma análise profunda e séria.
    E se as nossas empresas e os negócios onde atuam são tão ruins assim porque inúmeras “estatais e empresas estrangeiras privadas” querem tanto, não é mesmo?

  3. Avatar

    Falou besteira pura. Reportagem politica.

  4. Avatar

    Os correios tem mesmo que privatizar pois além de cabide de empregos não funciona.Entregam as contas depois do prazo de vencimento “somem” com encomenda valiosa e fica por isso mesmo..Quem gosta de estátal ê político. E malandro ñó cego também pois recebe sem trabalhar.

  5. Avatar
    Cidadão consciente.

    Afirmar que a telefonia melhorou com a privatização é falta de bom senso. O que houve foi uma evolução tecnológica nas comunicações, em todo o mundo. Antes das privatizações, o custo das ligações era barato, não havia imposição de serviços imprestáveis ( piadas, receitas de cozinheiros, músicas ridículas de “sertanejos’ ridículos nas chamadas, etc…) ; não havia golpes nem cobranças indevidas das operadoras, atualmente as mais reclamadas pelo consumidor. Privatizar setores estratégicos é um grande erro. Privatizar setores com atividades não afins com o objetivo do governo , como as siderúrgicas por exemplo, deve ser feita, mas de maneira justa, sem entrega, e com a imposição aos compradores de compromissos com a preservação do meio ambiente. O que não aconteceu com a CSN, entregue a preço de banana ( no mínimo, como outras siderúrgicas, 20 vezes menor do que seu valor real), “ganhando” vários outros bens e terras agregados, que hoje explora o trabalhador e polui mais intensamente o rio e o ar da cidade. Conheço siderúrgicas que antes de serem privatizadas, deram lucro, pois colocaram pessoas competentes para administrá-las, sem politicagem, cortaram superfaturamento de empresas fornecedoras ligadas a políticos e demitiram empregados preguiçosos. A privataria no Brasil só nos trouxe preços absurdos e piora dos serviços, desastres ao meio ambiente, desemprego, exploração de mão de obra e evasão de divisas.

  6. Avatar

    Queria ver se surgisse um governo querendo estatizar a imprensa para ver se colocaria na manchete “medinho”. Privatizar como foram as últimas onde nem levantamento de propriedade fora feito, agradecemos.

  7. Avatar

    Olha o lado dos.empregados amigo … ja viu a merreca que os piao da csn ganha agora ?? No caso de correios . Petrobras . Quem trabalha la estudou muito pra conseguir esta la . Desculpa mas essa postagem sua e brincadeira de mal gosto para os trabalhadores . Mandou muito mal ..

  8. Avatar

    Totalmente contra privatizar empresas como Petrobras, Eletrobras, Caixa e BB. Todas dão lucro e são estratégicas para o país.

    • Avatar

      Estratégico pra manter cabides de emprego pros amiguinhos com disputados cargos comissionados, gerar renda pra político e manter vivo esse cartel que só faz o preço dos combustíveis subir enquanto a qualidade cai conforme fazem o estatismo desmoronar com essa ideia natimorta de economia planificada.
      O gado muge orgulhoso de não ter opção melhor de combustível nacional pois o “nosso petróleo” vira essas porcarias que saem das bombas nos postos.
      Os políticos de estimação agradecem! E não se importam em pagar tão caro nos combustíveis, afinal, até isso o gado paga kkkkk.

  9. Avatar

    Privatizar é necessário, contudo não da forma como foi feita pelo PT que tomou as empresas estatais como se fossem propriedades privadas do partido para favorecer empresários corruptos como os Odebretchs da vida!
    Eles pegaram a Petrobrás para eles e quase acabaram com a empresa, pois não a viam como uma empresa, mas como a galinha dos ovos de ouro, que enriqueceram muitos empresários corruptos e políticos comunistas inescrupulosos. A Lava-Jato está devolvendo ao Brasil bilhões de dólares que esses petistas roubaram de ‘suas empresas’!
    O que dizer dos políticos corruptos do PT, que usaram empresas públicas para enriquecimento ilícito?!
    Como diria o ex-traficante Pablo Escobar: “Não existe no mundo alguém que goste mais de dinheiro vivo do que um homem de esquerda.”

    • Avatar

      Guto vc parece com alguns personagens das ficções de realismo fantástico, parece que saiu da novela Saramandaia, como o homem que soltava formiga pelas ventas. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  10. Avatar

    Toda pessoa que entra num debate sobre privatização e utiliza o caso da telefonia como exemplo se mostra um desinformado ou mal intencionado. Nessa mesma época fazia-se fila em supermercado para comprar carne.Isso serve como exemplo que tomamos rumos diferentes. O Brasil tornou-se líder mundial na produção de carne e outros países como a Finlândia reduziu sua produção de celulose e inundou o mundo com celulares através da Nokia. Isso fez parte da história. Ponto. Privatização significa melhores serviços com menores preços em função da concorrência. Ao nobre colunista pergunto, me indique uma privatização ocorrida no país que isso aconteceu? Realmente comprasse celular em qualquer esquina, mas a que custo? Veja os procons da vida, todas as operadoras estão lá, péssimos serviços, sem atendimento presencial e com um dos custos de transmissão de dados mais caro do mundo. Vamos lá, privatizaram mineradoras , siderúrgicas, petroquímicas. O que ficou para a população? Cartéis, destruição do meio ambiente , desemprego e manutenção de impostos e financiamentos como se ainda fossem estatais. Sai uma estatal e entra uma empresa privada e a mudança ocorre fazendo redução do quadro, aumento do preço do serviço e loteando o orgão fiscalizador. Onde houve melhoria para a população? Na realidade precisamos privatizar as empregas privadas.

  11. Avatar

    Excelente texto, tem que privatizar mesmo, só não concordo com a maneira que foi feita dando a cidade quase toda, tem que privatizar os correios que chega no final do ano vira um caos, a delegacia para fazer um BO o cidadão fica 6 horas esperando a boa vontade dos policias que estão tudo batendo papo. Sou a favor de privatizar tudo mesmo. Vai no IML da ate revolta do tratamento que temos e sabendo que nós pagamos os salarios desses empregados que estão la para fazer do jeito que quer e da maneira que quer.

  12. Avatar

    A privatização só foi bom para o empresário, que agora ganha rios de dinheiro e não repasse para os funcionários. A empresa tornou-se mais eficiente, claro, as custas de baixos salários, empregados explorados e o lucro remetido totalmente ao empresário.

    • Avatar

      Hey…tá ouvindo? Esse papinho do século 19??? KKKKK

      MUUUUUUUUUUUUUUU MUUUUUUUUUUU
      Muge o gado!

    • Avatar

      Esse bovino gadoso, tá em todas…

      Adora mandar os outros pastarem!

      Mas quem pasta é bovino, no caso ele, e não nós, humanos.

      Tá ficando chato!!!

      Antes tinha umas tretas boas do Emir Cicutiano e do Vai vendo.

      E outros que não me recordo o nome.

      Discordavam em quase tudo, mas
      justificavam.

      Era legal!

      Quando ao Emir, gostava de uma foto de rato.

    • Avatar

      kkkkkk Muuuuuuu!!!

      Não mandei ninguém pastar ainda, meu caro. O gado faz isso sozinho.
      É que ouço cada mugida aqui que eu não aguento…kkkkk…fico apaixonado!
      Enfim…eu tô aqui pra fazer a festa com o gado pagador de imposto!

      E já que estou escrevendo, não custa reiterar: paguem seus impostos! Os reis do gado agradecem!

  13. Avatar

    O problema não é privatizar e sim entregar. No processo de privatização da CSN (que é uma siderúrgica) foi dado de brinde clubes, hospital, escola técnica, terrenos, uma verdadeira sacanagem já que essas áreas de interesse social, cultural e esportivo foram construídas com dinheiro público como infraestrutura para os primeiros operários que chegaram a VR.

  14. Avatar

    Um dos melhores textos publicados no DV nos últimos tempos. Além de bom, é oportuno, mas o tema é polêmico e controverso… Não sou favorável à privatização de atividades-fim do Estado. Essas devem ser apenas concedidas, como é feito com rodovias, ferrovias, fornecimento de eletricidade, transporte coletivo, água, telefonia, dentre outras chamadas essenciais… Os Correios, assim como a CEF e o Banco do Brasil, exploram atividade lucrativa, concorrendo no amplo mercado, contudo possuem certos serviços de caráter privativo do Estado e de restrito interesse público, como o Banco Postal, a Fundação Banco do Brasil, o PROGER, o Sistema Financeiro de Habitação e vários outros que subsidiam programas sociais e implicam em renúncia de lucro que um ente privado jamais faria. Essas instituições bancárias, altamente lucrativas, não deveriam ser privatizadas jamais, sob o risco de o governo perder seu braço financeiro para inúmeras políticas públicas de geração e distribuição de renda… Os Correios, um caso à parte, poderiam ser transformados em empresa de economia mista (como é o próprio Banco do Brasil) ou até mesmo concedidos, mas não privatizados, por oferecer muitos serviços não realizados pela iniciativa privada…

    • Avatar

      Privatizar o que dá prejuízo em tese, seria o ideal…

      Mas pra que privatizar o que dá lucro?

      E não teria como sanear essas empresas para darem lucro para o governo?

      Sem falar que certos lugares que dão lucro, como no setor elétrico, cobrem outros que não dão lucro, mas são de serviços essenciais a população do local.

      Nada é tão simples.

Untitled Document