domingo, 18 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Acabou a alíquota de 20% do ICMS para novas concessionárias de veículos, diz Neto

Acabou a alíquota de 20% do ICMS para novas concessionárias de veículos, diz Neto

Matéria publicada em 8 de março de 2018, 14:13 horas

 


Rio – O estado do Rio vai ganhar cerca de 2.400 novos empregos, entre diretos e indiretos, além do acréscimo médio de R$ 30 milhões ao ano na receita estadual. A partir de agora, vale 12% de carga tributária para todas as concessionárias de automóveis, sejam as já estabelecidas ou as que vierem se estabelecer no estado. A informação foi dada nesta quinta-feira (08) pelo , coordenador da Força Tarefa Arrecadatória da Secretaria de Estado de Fazenda e Planejamento do Rio, Antônio Francisco Neto.

Segundo ele, até então, os 12% de carga tributária, fruto de uma redução na base de cálculo de ICMS, valiam apenas para as já existentes, que assinavam um termo de acordo entre elas e a Secretaria de Fazenda. A partir da entrada em vigor de uma lei estadual que proibia a concessão de novos benefícios fiscais, as novas concessionárias de veículos ou até mesmo novas filiais das já instaladas, teriam de arcar com uma carga tributária de 20%, uma vez que não foi mais possível assinar novos termos de acordo.

– Decreto 46.257 incorporando Convênio do Confaz, do governador Luiz Fernando Pezão, assinado nesta terça-feira (06), extinguiu a exigência do termo de acordo entre concessionária e estado, que garantia os 12% – explicou Neto, acrescentando que alterar a legislação era fundamental para promover a justiça fiscal e aumentar a receita: “Isto fez com que muitas concessionárias optassem por outros estados para instalar uma unidade. Até mesmo no caso de uma concessionária já instalada aqui que quisesse apenas abrir uma filial, o entendimento era de que também a filial não poderia se beneficiar da redução da base de cálculo do ICMS”.

De acordo com Neto, durante um ano, nenhuma concessionária nova ou filial foi instalada no estado.

-O Rio deixou de gerar empregos e perdeu receita. Somente no último ano, 25 concessionárias entraram com pedido, junto à Secretaria, de redução da alíquota para o mesmo patamar das demais –afirmou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Prezado Sr. Neto, atualmente não basta cortar alíquota para criar tantas vagas de emprego no RJ. Com esse desgoverno do seu MDB de Temer, Padilha, Jucá, Moreira, Geddel e, dizem, até o Eduardo Cunha, mesmo na cadeia, e com Meirelles na Economia, o povo em geral não tem como comprar, por excesso de desemprego e a ganância das instituições financeiras, que tiram o dinheiro do setor produtivo para agradar os rentistas. E o pior, os Barões da Indústria e do Comércio apoiam essa política econômica que não decola, mal dá uns pulinhos, apesar das promessas de que o voo seria alto, mas perdem muito para os Barões dos Bancos, que estão dando as cartas.

    • Avatar

      Amigo Paulão, você deixou de incluir na sua lista, também os Petistas, Lula e Dilma, afinal eles, em conchavo com Temer (vice de Dilma), nomearam em seus governos ( ? )como Ministros, Padilha, Gedel, Jucá e outros pilantras.Vem aí as eleições e precisamos TIRAR toda essa cambada dos Governos, Estadual e Federal. Fazer uma limpa também no SENADO. Está em nossas mãos, é só VOTAR CERTO.

  2. Avatar

    Esta inelegível. Nem deveria estar no Serviço Publico !

  3. Avatar
    Antonio Carlos Peludo

    Agora que descobriu a America…

Untitled Document