sexta-feira, 15 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Após dois anos de queda, venda em shoppings cresce 6% no Natal

Após dois anos de queda, venda em shoppings cresce 6% no Natal

Matéria publicada em 26 de dezembro de 2017, 13:24 horas

 


São Paulo – As vendas em shoppings centers de todo o país tiveram crescimento nominal (sem considerar a inflação) de 6% neste período do Natal, na comparação com o período ano anterior, segundo levantamento da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) divulgada hoje (26), na capital paulista. O faturamento estimado, que levou em conta o mês de dezembro, foi de R$ 51,2 bilhões. As informações são da Agência Brasil.

De acordo com Nabil Sahyoun, presidente da Alshop, a alta de 6% significa inversão da curva de queda, já que, nos últimos dois natais, o setor havia apresentado retração. “A gente pode festejar”, disse Sahyoun. No ano passado, houve queda 3% no Natal. Em 2015, a redução foi de 2%.

“São boas perspectivas com todas as reformas, a taxa de desemprego caindo, as contas inativas do FGTS, que injetaram mais de R$ 44 bilhões, o saque do PIS/Pasep e a taxa Selic em 7%. Estamos tendo um retorno ao emprego, de forma lenta, mas é importante essa recuperação. São todos números importantes para esse inicio de retomada do crescimento”, avaliou Sahyoun.

Faturamento anual

A estimativa é que os 773 shoppings brasileiros tenham movimentado R$ 147,5 bilhões durante o ano de 2017, alta de 5% em relação a 2016. Por segmentos, brinquedos respondem pelo maior crescimento, correspondente a 10%. Em segundo lugar estão óculos, bijuterias e acessórios, com 9,5%. Artigos para animais de estimação ficaram em terceiro lugar, com 7,5%. Eletrodomésticos e celulares tiveram 6% cada um.

A maioria dos pagamentos para as vendas realizadas em shoppings (55%) foi com cartões de débito e crédito. Já 25% utilizaram o próprio cartão ou carnê da loja. Em menor escala, 10% optaram por cheques e 10% pagaram em dinheiro.

Consumidor

A pesquisa do perfil do consumidor aponta que 52% são mulheres e 48%, homens. A frequência é semanal para 48%, quinzenal para 17%, mensal para 14% e ocasional para 19%. Os principais motivos para a visita são comprar (35%), passear (20%), alimentar (15%), usar banco ou caixa eletrônico (12%), usar serviços variados (7%) e ir ao cinema (3%).

A maior parte dos shoppings está localizada na Região Sudeste do país (50,54%). Em seguida estão o Sul (17,51%), o Nordeste (16,79%), Centro-Oeste (9,75%) e Norte (5,42%). Este ano, foram inaugurados 12 novos shoppings no Brasil, menos que os 20 inaugurados no ano passado. Estão em construção 43 shoppings, com previsão de inauguração para os próximos três anos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

5 comentários

  1. Avatar

    PATINHO QUEM CANTA É O GALO E NÃO A GALINHA, COMUNISTA GOSTA É DE COMER MANDIOCA COM MOLUSCO PRESO (24/01).

  2. Avatar

    Isso são dados concretos…. Foram criados esse ano mais de um milhão de empregos, para desespero dos petistas! Há uma revisão para cima de crescimento desse ano de um por cento…
    A sensação de bem estar ainda não está estabelecida na sociedade, e a razão é muito simples, o desemprego criado pelo monstro Dilma foi de 14 milhões de desempregados, Temer criou um milhão, nesse sentido existe ainda um grande número de desempregados! Contudo isso é uma questão de tempo, pois o crescimento da economia está aí!
    No devido tempo, haverá um aumento gradativo da sensação do bem estar e os sonhos da esquerda voltar ao poder será cada vez mais enfraquecido! Certamente no último trimestre de 2018 a sensação de bem estar estará bem estabelecida na sociedade e aqueles que apoiaram a construção da MAIOR CRISE ECONÔMICA QUE O BRASIL JÁ TEVE, não conseguirão voltar ao poder.

  3. Avatar

    CHORA PETISTA COMUNISTA, VENEZUELA TE ESPERA.

  4. Avatar

    Viu, gente! Como disse nosso presidente Temer, está mais barato viver no país!!

Untitled Document