segunda-feira, 13 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Bancários em greve há 17 dias têm nova rodada de negociações

Bancários em greve há 17 dias têm nova rodada de negociações

Matéria publicada em 22 de outubro de 2015, 09:59 horas

 


Brasil – Representantes do Comando Nacional dos Bancários e da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que representam os banqueiros, voltam à mesa de negociações hoje (22), às 14h, depois de fracassada ontem (21) mais uma tentativa de acordo. Os bancários estão em greve há 17 dias. As informações são da Agência Brasil.

Os bancos elevaram o percentual de reajuste de 7,5% para 8,75%. A categoria rejeitou porque o percentual está abaixo do pleiteado (16%) e da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que é 9,88%, representando perda de 1,03%.

Os bancários querem a reposição da inflação mais 5,6% de aumento real, piso salarial de R$ 3.299,66 e a Participação em Lucro e Resultados (PLR) de três salários-base, com parcela adicional fixa de R$ 7.246,82, entre outros itens como vales refeição e alimentação no valor de R$ 788 e melhores condições de trabalho, com o fim das metas individuais.

– Vamos manter a negociação pelo terceiro dia consecutivo. Esperamos uma proposta condizente com os lucros bilionários dos bancos – disse ontem (21) Roberto Von der Osten, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e um dos coordenadores do comando nacional.

De acordo com balanço divulgado pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, a paralisação atingiu ontem 12.638 locais, sendo 12.603 agências e 35 prédios administrativos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    Al Fatah,
    Minha admiração por você cresce à cada post….
    Tem sido muito lúcidos!

  2. Avatar

    PEAOZADA……

    CONCORDO CONTIGO

    E ACRESCENTO, SE OS BANCARIOS NAO QUEREM TRABALHAR TEM DEZ CANDIDATOS NO MINIMO P CADA

    VAGA DELES….TA INSATISFEITO PEDE CONTA, NAO FICA ATRASANDO A VIDA DA POPULAÇÃO, QUE ALIAS,

    TA DESEMPREGADA DURA E SEM PERSPECTIVA DE MELHORA, LIBERA O POSTO E DEIXA QUEM QUER E

    PRECISA TRABALHAR. PROPÕE P ELES TROCAR DE SERVIÇO COM QUEM TA NA CSN POR EXEMPLO

    ELES VÃO APRENDER A RECLAMAR DE BARRIGA CHEIA…

  3. Avatar

    Tudo que não funciona nos bancos, a resposta sempre é a mesma: É para a sua segurança, senhor(a).
    Então, para a minha segurança, é melhor correr de qualquer banco. Não ajuda em nada mesmo…

  4. Avatar

    A greve é direito de todo trabalhador, mas a população não pode ser barrada para entrar no banco pelos sindicalistas e pessoas terceirizadas pelo sindicato que proibe a nossa entrada, como esta acontecendo na agencia do Banco Itau (337) Av.Paulo de Frontin- Volta Redonda. É um absurdo, se não tem dinheiro da população passando pelo banco, não tem empregos para bancários. Onde está a o SAC (Serviço de atendimento ao cliente do BANCO ITAU ) que não esta verificando estes desmandos.

  5. Avatar

    Eu acho que os patrões tinham que dar o aumento pedido 16%, e retirar este aumento em demissões, ai queria ver se os sindicalista iam sustentar os funcionarios demitidos.
    graça ao ]Fernando Henrique que privatizou a CSN , se não seriamn mais uma Petrobras em roubo.
    agora tem que privatizar banco Brasil e Caixa Economica, nunca vi um pais devendo em crise e patrocinar tiem de futebol, Naser na formula 1 , isso é brincadeira.
    vais vamos la brasil , vamos pagar a CPMF para ajudar.

    • Avatar

      Pimenta no dos outros é refresco? Quando vc faz greve é justo, mas quando são os bancários é abusivo? Quem é vc pra discutir valor de salários e merecimento? Não é porque vc ganha mal que os outros devem ganha igual, não vivemos em uma economia planificada…

    • Avatar

      Show de resposta Al Fatah. Parabéns. Essa conversa é de gente recalcada que não passou em concurso público e agora fica com dor de cotovelo.
      Esses críticos de plantão, se trabalhassem em banco jamais falariam tanta besteiras.

Untitled Document