Bancários têm nova rodada de negociação marcada com Fenaban - Diário do Vale
segunda-feira, 27 de setembro de 2021 - 03:48 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Bancários têm nova rodada de negociação marcada com Fenaban

Bancários têm nova rodada de negociação marcada com Fenaban

Matéria publicada em 12 de setembro de 2016, 18:06 horas

 


Nova rodada de negociação acontece nesta terça-feira

Nova rodada de negociação acontece nesta terça-feira

Sul Fluminense – Nesta segunda-feira (12) os bancários completaram sete dias de greve em nível nacional. A categoria cobra dos bancos uma nova proposta de reajuste salarial. Nesta terça (13), a partir das 14 horas, o Comando Nacional dos Bancários volta a se reunir com a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), para nova rodada de negociação.

Os representantes da categoria no Sul Fluminense conformaram que vão aguardar o desfecho da reunião nacional para definir os rumos do movimento grevista na região. De acordo com o Sindicato dos Bancários do Sul Fluminense, das 117 agências cadastradas na região, 116 aderiram ao movimento grevista.

Negociação emperrada

Duas rodadas de negociação foram realizadas, sendo que a primeira proposta foi de 6,5% de reajuste e R$ 3 mil de abono. Na ocasião, os sindicatos dos bancários calcularam que representa haveria perda de 2,8% para a inflação, que até então estava projetada em 9,57%. A proposta foi rejeitada em assembleia por unanimidade por cerca de 1,5 mil bancários e logo depois a greve teve início.

A segunda proposta foi apresentada no dia 9: índice de 7% mais abono de R$ 3.300. O sindicato estimou perda de 2,39% para a inflação então prevista de 9,62% (INPC). A proposta foi rejeitada pelo comando de greve na mesa de negociação e a greve continuou. “O pagamento de uma parcela de abono não se reflete em férias, 13º, FGTS, VA, VR, auxílios, previdência.  Além disso, pelo proposto, as regras para a PLR continuariam as mesmas de 2015 e o vale-cultura seria extinto a partir de dezembro. A Fenaban também não trouxe resposta para reivindicações fundamentais para os bancários, como a proteção aos empregos, mais contratações, melhores condições de trabalho, mais saúde, segurança, fim da desigualdade entre homens e mulheres, auxílio-creche maior, vale-refeição durante a licença-maternidade”, diz o sindicato.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Muitos acham que o trabalho do bancário é moleza, mas não sabem qual é a verdadeira realidade. A pressão que é exercida em cima de nós diariamente, o cumprimento de metas, e fora desaforos que escutamos diariamente. Além do mais, os profissionais que não são de carreira são demitidos do dia para a noite sem a menor explicação!! Eu já presenciei vários colegas que tinham uma vida de classe média alta enquanto exerciam função de gerente ou algum cargo equiparado, e ao ser mandado embora, o padrão de vida caiu totalmente e conto nos dedos os que conseguiram um emprego com um cargo superior ao anterior ou em uma nova agência. A maioria teve que aceitar qualquer coisa para ter que ganhar salário mínimo… Triste realidade.

Untitled Document