quarta-feira, 23 de junho de 2021 - 17:28 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / CCR NovaDutra repassa R$ 7,9 milhões aos municípios do Sul Fluminense

CCR NovaDutra repassa R$ 7,9 milhões aos municípios do Sul Fluminense

Matéria publicada em 3 de agosto de 2016, 21:14 horas

 


Via Dutra: Recursos do ISSQN beneficiam os 36 municípios lindeiros à rodovia (Foto: Paulo Dimas/Arquivo)

Via Dutra: Recursos do ISSQN beneficiam os 36 municípios lindeiros à rodovia (Foto: Paulo Dimas/Arquivo)

Sul Fluminense – A CCR NovaDutra foi responsável pelo repasse de R$ 7.940.147,13 para as cidades do Sul Fluminense no primeiro semestre de 2016. Trata-se do valor de ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza) referente a 5% do valor bruto arrecadado das praças de pedágios instaladas na rodovia.
O valor total, repassado mensalmente, é dividido entre as cidades proporcionalmente, conforme a participação de limite territorial, ou seja, de acordo com a quilometragem voltada para a rodovia. Os recursos são destinados aos municípios para melhorias com obras e serviços e financiamento de projetos sociais. Ao todo, o valor repassado para os 36 municípios lindeiros à via Dutra foi de R$ 28.427.189,87, entre janeiro e junho deste ano.
João Daniel Marques, diretor da CCR NovaDutra, reforçou a responsabilidade social da concessionária.
– O repasse de ISSQN gera um ciclo extremamente positivo. A CCR NovaDutra presta um serviço de qualidade e parte da receita arrecadada é revertida aos municípios em forma de recursos pelo imposto. Todas as cidades às margens da rodovia recebem a alíquota máxima do ISSQN. Com isso, a via Dutra contribui para seu desenvolvimento e crescimento – comentou o diretor.
Além do repasse de ISSQN, a CCR NovaDutra, desde o início da concessão, se comprometeu em desenvolver e levar projetos ambientais, educativos e de saúde e apoia, também, diversos projetos esportivos e culturais nas cidades lindeiras à rodovia.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

11 comentários

  1. Isso é uma verdadeira esmola, esse valor de ISS é baseado em que, já que ao passar no pedágio não recebemos uma nota fiscal?
    Deve ser emitido um valor só para tapear no fim do mês. Pois de acordo com esse valor a arrecadação seria de apenas 158 milhões ou 14mil veículos em 6 meses? Cadê a fiscalização?

  2. Só lembrar que esse dinheiro é do usuário que paga um dos maiores pedágios do Brasil. Na rodovia Fernão Dias -SP/MG ,por praça paga-se R$ 1,80 . A CCR Nova Dutra deverá entregar o bastão logo ,falta pouco.

  3. A BRINK’S agradece a divulgação de imagens de sua CARRETA BLINDADA…
    Parabéns BRINK’S pelos 50 anos de BRASIL…

  4. Não é nada perto do valor que a CCR arrecada. Cade a duplicação da serra das Araras?

  5. Antonio Carlos Peludo

    Ao passar pelas vorazes cabines das praças de pedágio e de apetite insaciável 24h por dia, penso nas palavras do cronista Zuenir Ventura o mineiro de Além Paraiba . “O direito de ir e vir é cláusula pétrea da Constituição, mas como não diz que tem que ser grátis, inventaram o pedágio. Se não pagar, não vai. Nem vem”. Assim no nosso caso, é ainda pior. Pagamos para ir, e também para vir, em uma estrada que já era nossa e não recebeu nenhuma obra significativa como sua duplicação que nos aumente o conforto e a segurança para justificar cobrança de pedágio. Ou seja, para a concessionária é só venha a nós, ao vosso Reino, usuários, nada (Sub Censura).

    • liberdade e propriedade

      Os pedágios da Dutra são distantes e nos locais de menor movimentação. Manutenção é algo caro, modernização de todas as pontes também, além de socorro médico e mecânico o tempo todo. Numa nova concessão da Dutra e com pedágios melhor distribuídos, poderemos ter tarifa menor que na Fernão Dias. Basta comparar as concessões atuais com as da década de 90. Temos o direito de ir e vir, mas de algum modo temos que pagar a manutenção das estradas, ou por pedágio ou impostos, então de nenhum modo é grátis, prefiro o pedágio. Toda vez que uma rodovia é privatizada deveria cair proporcional a sua despesa de manutenção o imposto.

  6. Piraí, nesse caso, fica de Boa. Barra Mansa tbm deve receber um bom quinhão…

  7. Até parece que a Nova Dutra fez uma doação, o que faltou esclarecer é que ISSQN, é Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, ou seja é imposto que o cidadão pagou, não fé mais do que obrigação.

  8. E pra onde será que está indo todo esse recurso, que é pago pelo cidadão; de forma injusta; duas vezes através do IPVA e o pedágio; cobrado nesta e em várias rodovias do país!

  9. Legal, muito obrigado ao Diário do vale, eu havia pedido que mostrássemos como é distribuído o dinheiro arrecadado pelos pedágios, aqui já soubemos que quem nada faz leva uma boa quantia, os municípios, todo mundo quer sugar, nós pagamos, se continuarem veremos que menos de 50’/. Fica com a concessionárias que cuidam das estradas.

  10. Essa informação vem de encontro com aumento no valor do pedagio, uma coisa justica a outra…abre olho população… abaixa o valor ,a população ja não aguenta pagar tanta taxas e impostos . Vamos repassar menos e melhorar o poder de compra do trabalhador!!! Só assim a economia vai voltar crescer … se algo não mudar vamos ficar parado no tempo….

Untitled Document