>
quinta-feira, 11 de agosto de 2022 - 13:53 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Construtora discute desenvolvimento regional em encontro com investidores

Construtora discute desenvolvimento regional em encontro com investidores

Matéria publicada em 3 de junho de 2022, 18:21 horas

 


Cerca de 350 empresários e autoridades do Sul do Estado participaram do evento em Volta Redonda

Foto: Divulgação
Carlos Magno reforçou a importância do setor da construção civil para a economia, que voltou a registrar números positivos

Volta Redonda – A Construtora Polo promoveu nessa quinta-feira, 02/06, o “Encontro com Investidores” para cerca de 350 empresários e autoridades do Sul do Estado, no Vila Vetri, na Casa de Pedra. O objetivo foi discutir o desenvolvimento da região e fazer uma análise da economia nacional. Hoje, o país apresenta um déficit habitacional de 5 milhões e só no estado do Rio, ultrapassa 481 mil imóveis. E a construtora, com uma tradição de 21 anos de mercado, é uma das que mais investem para mudar essa realidade no Sul do Estado. Só para o segundo semestre deste ano há a previsão de lançamento de mais quatro novos empreendimentos.

A abertura do encontro foi com o empresário Carlos Magno Ávila, sócio da construtora, com mais de 210 imóveis construídos. “Já entregamos mais de 80 mil metros quadrados de obras, além de geramos cerca de 500 empregos. Hoje, o setor da Construção Civil, com uma participação de 7,6% no Produto Interno Bruto do país, é responsável por 7% da população ativa empregada no Brasil. Quando se fala no segmento da indústria, a participação no PIB aumenta para 34%. Além disso, 13 milhões de pessoas trabalham direta ou indiretamente no nosso setor. Isso mostra a importância de se manter a construção civil em crescimento, porque ela impulsiona outros segmentos, que vão desde os insumos para a obra, passando por artigos de decoração, até utensílios”, afirmou.
Carlos Magno citou ainda, na sua apresentação, que a construtora oferece estudo de viabilidade econômica financeira e de mercado, além de análise de permutas, captação de investidores e produtos imobiliários para investimentos e parcerias. Segundo ele, o grupo tem profissionais nas áreas jurídicas, de engenharia, arquitetura, desenvolvimento de produto e comercialização. O empresário pontuou que as pesquisas indicam que a demanda hoje por um imóvel de dois quartos é responsável por 66% das vendas.
“A Construtora Polo tem sua estratégia orientada para a satisfação do cliente, buscando a melhoria contínua de nossos produtos. Investimos em controle e monitoramento dos processos, emprego de materiais de qualidade, parcerias inteligentes, capacitação e aperfeiçoamento dos nossos colaboradores por meio do constante atendimento aos requisitos do sistema de gestão, implementado. Isso nos permite a entrega do produto final com pontualidade e alta qualidade”, acrescentou.

Já o seu irmão e sócio, o empresário Luís Ávila, tanto na construtora quanto na rede de supermercados Empório Brasil, fez uma apresentação sobre os dados econômicos da região e do país. Ele falou sobre as oportunidades de investimentos, com o atual cenário econômico, e a expectativa de crescimento. “A expectativa de novos investimentos, liberação de recursos públicos para infraestrutura, por exemplo, traz otimismo e ajuda a aquecer ainda mais a economia e a região precisa acompanhar essa demanda, estar preparada”, comentou.

Os convidados puderam assistir ainda um painel regional com o presidente do Sicoob Credrochas, Tales Pena Machado; o presidente da Unimed Nacional, Luiz Paulo Tostes Coimbra; e o superintendente da TV Rio Sul, Arnaldo Cezar Coelho. A palestra de encerramento foi com o ex-secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação e ex-assessor especial do Ministério da Economia, Jorge Lima, que também atuou na Subsecretaria de Ambiente, Negócios e Competitividade e hoje é vice-presidente de Estratégia e Negócios do Grupo H.

Para os organizadores, foi uma oportunidade para discutir o atual cenário da economia, potencialidades de investimentos, mas também de fazer uma reflexão do que é necessário para que a região possa continuar se desenvolvendo. Segundo Carlos Magno, é importante criar esses espaços de debate para se pensar juntos, sociedade, empresas e Poder Público, porque os projetos precisam ser criados com todas as lideranças de todos os setores envolvidas. “Não é só instalar uma empresa, a cidade também precisa de infraestrutura para receber investimentos do setor privado, além de incentivos”, analisou.

 

Dados econômicos

 

O Encontro com Investidores, promovido pela Construtora Polo, também falou sobre os números econômicos do Rio, que é o quarto estado do país com maior saldo de empregos criados em 2022, segundo dados do Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. Só em março, foram abertos 11.385 empregos, representando um aumento de 145% no acumulado dos últimos 12 meses, em comparação ao mesmo período anterior.

A análise dos dados do período de abril de 2021 a março de 2022 aponta a geração de 187.755 empregos com carteira assinada, número três vezes maior que o dos 12 meses anteriores, que tiveram saldo negativo (-76.561). Atualmente, o PIB (Produto Interno Bruto) do estado gira em torno de R$ 800 bilhões, o segundo maior do país. Do total dos empregos gerados, 67% trabalham com carteira assinada, a grande maioria nos setores de comércio, serviço e indústria, que vem crescendo nos últimos anos.

O setor de construção civil foi o segundo que gerou mais empregos em março, com saldo positivo de 25.059 postos de trabalho, seguido pela indústria (15.260 novos empregos) e comércio, com saldo de 352. Na região, esse segmento acompanha essa alta, impulsionado pela demanda de imóveis, principalmente, com dois quartos, criando novas oportunidades de negócios também para o setor imobiliário.

Os dados mostram que o saldo positivo do nível de emprego em março foi registrado em quatro dos cinco grupos de atividades econômicas. A maior parte, no total de 111.513 novos empregos, foi gerada no setor de serviços, distribuído principalmente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document