quarta-feira, 28 de julho de 2021 - 18:17 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Eletronuclear antecipa desligamento da Usina Nuclear Angra 1

Eletronuclear antecipa desligamento da Usina Nuclear Angra 1

Matéria publicada em 8 de maio de 2015, 07:50 horas

 


Angra dos Reis – Em função de problemas na rede elétrica externa, a parada de reabastecimento da Usina Angra 1, que estava programada para iniciar no dia 9 de maio (sábado) à meia-noite, foi antecipada. Assim, a unidade já se encontra desconectada do Sistema Interligado Nacional (SIN) desde às 14h58 de ontem (8).

Trata-se de uma parada com duração estimada de 37 dias. Durante este período, o Operador Nacional do Sistema (ONS) realizará manobras no sistema elétrico de forma a garantir o abastecimento seguro de energia.

Cerca de 1/3 do combustível nuclear será recarregado, além de serem realizadas atividades de inspeção e manutenção periódicas e também instalações de diversas modificações de projeto, que precisam da Usina desligada para serem realizadas.

Foram contratadas firmas nacionais e internacionais que irão disponibilizar 1.350 profissionais (sendo 130 estrangeiros) para dar suporte aos técnicos da Eletronuclear.

Dentre as cerca de 3.900 tarefas planejadas para o período, destacam-se:

Recarregamento do combustível do reator;

Manutenções nos Transformadores de 500kV e 138kV;

Manutenção na Chave de Abertura em Carga – LBS;

Execução de inspeções e testes nos Geradores de Vapor;

Revisão do Gerador Elétrico Principal e Excitatriz;

Substituição das Juntas de Expansão das Extrações de Vapor da Turbina;

Inspeções, limpeza e troca do revestimento dos condensadores;

Substituição do Motor de uma das Bombas de Água de Circulação;

Manutenção e substituição de itens das Bombas de Refrigeração do Reator;

Revisão Geral dos Barramentos;

Reparo dos Trocadores de Calor do Sistema de Refrigeração de Componente;

Manutenção de uma das linhas de Água de Serviço;

Teste dos cartões do Sistema de Proteção do Reator.

As paradas para reabastecimento ocorrem a cada 12 meses, aproximadamente, e são programadas com pelo menos um ano de antecedência, levando-se em consideração a duração do combustível nuclear e as necessidades do Sistema Interligado Nacional. Neste ano, em especial, o planejamento também precisou considerar a realização das Olimpíadas em 2016, de modo a não comprometer o fornecimento de energia durante o período dos jogos.

Sobre a Eletronuclear – Subsidiária da Eletrobras, a Eletronuclear é a responsável por operar e construir as usinas termonucleares do país. Conta com duas unidades em operação na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), com potência total de 1990 MW. Hoje, a geração nuclear corresponde a aproximadamente 3% da eletricidade produzida no país e o equivalente a um terço do consumo do Estado do Rio de Janeiro. Angra 3, que está em construção, será a terceira usina da Central. Quando entrar em operação comercial, em 2018, a unidade (1.405 MW) será capaz de gerar mais de 10 milhões de MWh por ano – energia limpa, segura e suficiente para abastecer as cidades de Brasília e Belo Horizonte durante o mesmo período.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Cara, isso é grosseria da sua parte. Sugiro que faça algumas pesquisas primeiro na internet sobre geração de energia elétrica por termonucleares e também sobre as tecnologias empregadas nas usinas brasileiras desse tipo.
    Verás que seu comentário foi mais que equivocado.
    Outra coisa: Tudo hoje em dia é o governo da Dilma. A construção de Angra 3 foi interrompida ainda nos anos 80 meu caro. Nada tem a ver com Dilma ou Lula.
    Informe-se!

  2. Governo de circo! Enquanto o mundo pensa em desativar as nucleares, o Brasil em contrapartida contrói mais uma! Todos falam que estão preparados pra algum problema mas depois que vaza radiação ninguém sabe oque fazer!

    • Maldita inclusão digital

      Pense e pesquise antes de escrever bobagem na internet. Existem dezenas de usinas sendo construídas no mundo nesse momento. É uma energia limpa e que o Brasil possui abundância de matéria prima do combustível usado para gerar energia. Numa época de crise energética, com pouca água nos reservatórios e sem previsão de melhora, seria ridículo o Brasil não investir nesse tipo de energia.

Untitled Document