domingo, 18 de abril de 2021 - 23:09 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Estrada de Ipiabas é uma das Rodovias da região que aguardam investimentos do Estado

Estrada de Ipiabas é uma das Rodovias da região que aguardam investimentos do Estado

Matéria publicada em 29 de março de 2021, 11:27 horas

 


A quantidade de buracos na pista, no trecho até Ipiabas, preocupa moradores, devido ao grande número de acidentes no local – Foto: Divulgação.

Barra do Piraí- É difícil para as pessoas leigas entenderem como funciona, na prática, a divisão entre os entes federativos: estados, municípios e governo federal. Não entra na cabeça como a prefeitura não tem a incumbência de cuidar, por exemplo, de uma estrada que passa por dentro da cidade. Mas é justamente isso que acontece, na prática, deixando muitos moradores perdidos, como no caso da RJ-137, que liga Barra do Piraí a Ipiabas, um de seus principais distritos. As más condições da rodovia chamam a atenção, assim como as de outras no Sul Fluminense, que também são de responsabilidade do Governo do Estado.

Em se tratando da RJ-137, a quantidade de buracos na pista, no trecho até Ipiabas, preocupa moradores, principalmente porque é grande o número de acidentes no local. Faz décadas que a rodovia não recebe um investimento maciço do Departamento de Estradas de Rodagens (DER-RJ). A situação precária piorou entre 2014 e 2018, quando o Rio enfrentou a pior crise financeira de sua história, com escândalos políticos e de corrupção que esvaziaram os cofres do estado.

E a RJ-137 passa longe de estar sozinha na lista das estradas abandonadas da região. A Rodovia Saturnino Braga (RJ-155) – que liga Barra Mansa a Angra dos Reis – também é uma das mais preocupantes, com mato alto e sinalização praticamente inexistente, o que preocupa os motoristas, sobretudo, devido à grande quantidade de curvas do percurso. Entra nessa lista ainda a RJ-145 (Barra do Piraí x Piraí), que corta boa parte dos bairros da Pérola do Vale, entre outras.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document