>
sexta-feira, 19 de agosto de 2022 - 20:04 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Governo pode arrecadar R$ 1,4 bilhão em ressarcimentos de planos de saúde

Governo pode arrecadar R$ 1,4 bilhão em ressarcimentos de planos de saúde

Matéria publicada em 9 de maio de 2015, 11:29 horas

 


Os planos de saúde vão ter que pagar mais ao governo pelos atendimentos prestados a pessoas asseguradas atendidas no SUS sistema único de saúde.O ressarcimento poderá chegar a R$ 1,4 bilhão em 2015.

As novas regras foram apresentadas nesta sexta-feira. O reembolso das operadoras ao SUS já acontecia, mas somete em casos de internação. A partir de agora, o governo será ressarcido por todos os procedimentos de média e alta complexidade feitos na rede pública. Esses procedimentos são realizados através de Autorização para Procedimento Ambulatorial (Apac).

O ministro da Saúde, Arthur Chioro diz que os planos de saúde não poderão repassar estes custos aos usuários nem aumentar mensalidades. O governo afirma que esses recursos serão usados para melhorar o atendimento para os pacientes que dependem exclusivamente do SUS.

A Federação Nacional de Saúde Suplementar pede que operadoras tenham um prazo para análise da lista de ressarcimento enviada pelo SUS, para identificar possíveis cobranças erradas, como clientes que realizaram procedimentos que não são cobertos pelo plano. No entendimento da federação, neste caso, o plano de saúde não terá que pagar ao governo.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Isso é um absurdo! Mais uma vez o governo busca equilibrar suas contas enfiando a mão no bolso da classe média! Logicamente, o aumento de custo das operadoras será repassado aos usuários dos planos – nós – que, por acaso, também somos os financiadores do SUS. Ou seja, absurdos dos absurdos!, devemos pagar duas vezes pelo SUS – por meio dos impostos e por meio da cobrança desse ressarcimento. Enquanto isso, os políticos que fazem essas leis são tratados, com o nosso dinheiro, no Sírio-Libanês…

Untitled Document