sábado, 27 de novembro de 2021 - 20:36 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Governo reafirma compromisso com equilíbrio fiscal, diz Levy

Governo reafirma compromisso com equilíbrio fiscal, diz Levy

Matéria publicada em 10 de setembro de 2015, 08:07 horas

 


Brasília – Diante do rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P), o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse ontem (9), por meio de nota, que, “o governo brasileiro reafirma seu compromisso com a consolidação fiscal”. As informações são da Agência Brasil.

Segundo ele, o projeto de lei orçamentária para 2016 – enviado ao Congresso com previsão de déficit primário de R$ 30,5 bilhões e que foi apontado pela S&P como um dos motivos para o rebaixamento – “incorpora importante disciplina nas despesas discricionárias e esforços de gestão para reduzir as despesas obrigatórias”.

Levy voltou a sinalizar intenção de perseguir a antiga meta de superávit primário para 2016. Antes do projeto de lei orçamentária com previsão déficit, o governo trabalhava com a meta de superávit de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e riquezas produzidos em um país).

– O processo para se garantir a meta de superávit primário de 0,7% do PIB em 2016 será completado nas próximas semanas com o envio de propostas na área de gastos e receitas discutidas com o Congresso Nacional, em paralelo nos próximos meses a ações legislativas de caráter estrutural para aumentar a eficiência, previsibilidade e produtividade da economia – diz o ministro.

De acordo com Levy, o governo entende que o esforço fiscal é essencial para equilibrar a economia em um ambiente global de incertezas. Segundo ele, “o esforço em 2015 se traduziu na redução de subsídios em empréstimos, o corte de R$ 78 bilhões de despesas discricionárias e na votação de importantes medidas de redução de renúncias fiscais e reforma do seguro-desemprego”.

Joaquim Levy diz também que o ajuste fiscal complementa medidas macroeconômicas “que já têm se refletido no processo de reequilíbrio das contas externas e na queda das expectativas de inflação para 2016 e 2017, entre outros indicadores”.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Um governo que só mentiu até aqui. Que credibilidade tem para afirmar compromisso? Com 7% de aprovação do governo?

    O que os eleitores petistas e demais partidos simpatizantes das bandeiras vermelhas têm a dizer?

Untitled Document