Greve dos bancários continua após reunião terminar sem acordo - Diário do Vale
segunda-feira, 27 de setembro de 2021 - 03:08 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Greve dos bancários continua após reunião terminar sem acordo

Greve dos bancários continua após reunião terminar sem acordo

Matéria publicada em 29 de setembro de 2016, 05:56 horas

 


São Paulo – Terminou sem acordo a reunião entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o Comando Nacional dos Bancários nesta quarta-feira (28), em São Paulo, informou o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. Com o fracasso da negociação, a greve dos bancários continua. Essa é décima rodada de negociação, que começou com a entrega da pauta de reivindicações dos trabalhadores no dia 9.

O Comando Nacional rejeitou a proposta dos bancos e convocou assembleia para segunda-feira (3), às 17h, na quadra dos bancários. Mesmo assim, o Comando diz que vai se manter de plantão em São Paulo caso a Fenaban queira fazer uma nova proposta.

Na reunião de terça (27), os bancos fizeram uma proposta de novo modelo de acordo para a categoria, com validade de dois anos, em vez de um, como ocorreu nos últimos anos. A Fenaban manteve o reajuste em 7%, com abono de R$ 3,5 mil e, para o ano que vem, propôs 0,5% de aumento real, o que representaria perda real, nesses dois anos, de 1,9%, de acordo com informações do sindicato dos bancários.

“A Fenaban perdeu a oportunidade de resolver a greve. Em sintonia com a política do governo, banqueiros querem reduzir o custo do trabalho no acordo com os bancários. A greve continua e estamos à disposição para nova negociação com a Fenaban”, disse Juvandia Moreira, presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários.

Reivindicações

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 14,78%, sendo 5% de aumento real, considerando inflação de 9,31%; participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários acrescidos de R$ 8.317,90; piso no valor do salário-mínimo do Dieese (R$ 3.940,24), e vales alimentação, refeição, e auxílio-creche no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880). Também é pedido décimo-quarto salário, fim das metas abusivas e do assédio moral.

Atualmente, os bancários recebem um piso de R$ 1.976,10 (R$ 2.669,45 no caso dos funcionários que trabalham no caixa ou tesouraria). A regra básica da participação nos lucros e resultados é 90% do salário acrescido de R$ 2.021,79 e parcela adicional de 2,2% do lucro líquido dividido linearmente entre os trabalhadores, podendo chegar a até R$ 4. 043,58. O auxílio-refeição é de R$ 29,64 por dia.

Um balanço feito pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região mostra que 838 locais de trabalho, sendo oito centros administrativos e 828 agências fecharam nesta quarta-feira (28), na base do sindicato, com mais de 29 mil trabalhadores aderindo à greve.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

8 comentários

  1. Isso é vergonhoso para o país, um desrespeito, vai ver o assalariado se tem as mesmas mordomias que o empregado do banco tem…

    ….lastimável

  2. por isso que tem que privatizar tudo mesmo , só falta o banco do brasil e caixa economica federal ser privatizada ai acaba com esta palhaçada ,

    o BANCO MERCANTI DO BRASIL que fica ao lado ITAU na paulo de frontim, TEM UM CAIXA ELETRONICO QUE VC PAGA QUALQUER BOLETA ATE AS 24HS , DE QUALQUER BANCO , É SIMPLES , VC VAI ATE CAIXA ELETRONICO , PASSA CODIGO DE BARRAS E ENFIA AS NOTAS E AO PAGAR ELE TE DA O TROCO , QUEM NAO CONHECE VALE A PENA CONHECER , MUITO BOM .

  3. Queria saber porque já não mandou uma renca embora e contratou mais que rapidamente acabava essa palhaçadas

    • A senhora trabalha??? Já lutou por seus direitos? deve ser um dos que precisam do banco apenas para sacar seu bolsa-família, por isso não sabe o que é trabalho digno.

    • Carlos Augusto, também concordo e te apoio, temos que lutar por nossos direitos sempre, principalmente agora que estão querendo tirar todos e nos transformar em escravos, só não entendi o porque atacar quem saca bolsa família, o que essas pessoas tem com a causa dos bancários, eu não recebo bolsa família mas acredito todos nós temos nossos direitos, não é tentando exterminar uma parte da população que vamos conseguir resolver nossos problemas. Espero que você entenda o meu recado e não pense de forma alguma que estou contra você, neste momento em que o Brasil inteiro acredito eu esteja sofrendo, é que temos que nos unir e não pisotear nossos semelhantes. Denise, ser mesquinho é tão triste e desprezível, não caia nessa armadilha.

  4. Sinceramente muitos cargos que existem nos bancos hoje são praticamente obsoletos. A grande maioria de nossas pendências do dia a dia como contas para pagar…etc… fazemos pela internet. Claro que existem coisas específicas que precisam ser resolvidas pessoalmente. mas são poucos. Tanto que o banco está todo esse tempo de greve e eu não estou sentindo falta nenhuma…

    • Oas Sindicatos não estão enxergando que os bancos, continuam funcionando, e a informatização vai acabar com muitos empregos.

    • Eu também continuo resolvendo tudo pela internet, como sempre fiz, já deve ter anos que não piso em bancos, principalmente depois que aprendi a ter todos os cuidados ao tratar de assuntos bancários pela internet, porque corremos riscos tanto no banco físico como nos sites, depois que a pessoa aprende a não cair em armadilhas idiotas e ofertas que até criança percebe que é maracutaia, as vezes o nosso próprio olho grande nos faz cair em alguns trambiques.

Untitled Document