quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Jovens adultos apostam no Encceja a oportunidade de qualificação

Jovens adultos apostam no Encceja a oportunidade de qualificação

Matéria publicada em 1 de setembro de 2019, 14:00 horas

 


Exame voltado para pessoas que desejam obter a certificação de conclusão do ensino fundamental ou médio teve número recorde de participantes

Barra Mansa- Oportunidade de ter o certificado de conclusão do ensino fundamental e médio, melhorar o currículo e disputar uma vaga no mercado de trabalho com mais qualificação. Esses foram os principais motivos que levaram jovens e adultos da região a fazer o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), aplicado em todo território nacional, no último domingo (25). De acordo com o Ministério da Educação, neste ano o número de presentes para o exame foi recorde, alcançando mais de 1,1 milhão de pessoas.
Entre essa multidão, estava a dona Irene Bosi Azevedo, de 60 anos, que há 33 anos trabalha como agente de creche, em Barra Mansa. De acordo com ele, neste exame seu objetivo é conseguir o certificado para o ensino fundamental, no entanto, dependendo do resultado, já irá se preparar para também conquistar o de ensino médio, no ano que vem.
– Trabalho há 33 anos fazendo o serviço de secretária escolar, mas na oetnho esse reconhecimento porque não tenho estudo para isso. Agora que criei minha família quero buscar realizações que me vi privada por falta de tempo e dinheiro. Reconheço que perdi muito tempo, mas ainda dá para recuperar e eu aconselho a pessoas nas mesmas condições que a minha que também aproveitem essa oportunidade. Eu me senti uma adolescente no dia da prova e agora estou ansiosa pelo resultado – ressaltou dona Irene.

Chance perdida

A auxiliar de produção,, Rosimeire da Silva Balbino, de 40 anos, não terminou o ensino médio na idade adequada porque começou a trabalhar muito cedo, ficando inviabilizada de conciliar os estudos com o trabalho. Ela também fez o Encceja e afirma que se arrepende de não ter concluído os estudos há alguns anos. De acordo com ela, seu objetivo é poder disputar vagas no mercado de trabalho podendo assim atender a uma das principais exigências, que é o certificado de conclusão do ensino médio.
– Hoje em dia qualquer vaga que você vai disputar precisa de estudo. Recentemente eu perdi uma oportunidade de emprego e não pude fazer uma prova seletiva, na área de saúde, porque precisava ter o certificado de conclusão. Isso me fez repensar muito a importância de terminar o ensino médio e foi um dos fatores que me influenciaram a fazer o Encceja – disse Rosimeire.
O autônomo Bruno Alessandro Dias, de 35 anos, é outro que viu no Encceja a chance de ter o certificado do ensino médio, para buscar qualificação profissional. Ele que parou os estudos aos 18 anos quando cursava o segundo ano, afirma ter perdido a conta das oportunidades que perdeu, por não ter concluído os estudos. Além desse motivo, ele também acrescenta que seu maior objetivo, com o certificado, é poder cursar uma universidade.
– Como eu me arrependo de não ter escutado meus pais e ter concluído o ensino médio. Eu já perdi um emprego muito bom, que não exigia experiência, mas exigia o segundo grau e fiquei muito aborrecido, na época. Hoje eu trabalho como autônomo, vendendo roupas, justamente porque o mercado está muito exigente. Além disso, tenho muita vontade de fazer faculdade de engenharia e só com o certificado é que vou conseguir. Fico vendo meus primos se formarem e me dá muito arrependimento. Se não for aprovado pelo Encceja, vou tentar concluir de outra forma – afirmou . Dias.

Resultado das provas

Os gabaritos do Encceja serão divulgados no dia 6 setembro e o resultado das provas sairá em dezembro, ainda sem dia definido. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, considerou a aplicação um sucesso. “Tudo correu bem, foi o índice mais baixo que tivemos de eventuais pequenos problemas. A estrutura e a máquina estão funcionando perfeitamente. O sucesso do Encceja é uma prova de que tudo está dentro do que esperávamos. É um teste para o que vem para o Enem”, destacou .
Já o presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) , Alexandre Lopes, afirmou que a maior parte dos interessados no exame pretende melhorar sua situação profissional. “A gente observa que a maior parte das pessoas busca essa certificação para obter uma maior qualidade no seu emprego, buscam a certificação para fins profissionais”, disse.

Mais da metade dos brasileiros não
tem o diploma do ensino médio

O Brasil é um dos países com o maior número de pessoas sem diploma do ensino médio: mais da metade dos adultos (52%) com idade entre 25 e 64 anos não atingiram esse nível de formação, segundo o estudo Um Olhar sobre a Educação, divulgado nesta terça-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
A organização, com sede em Paris, destaca que o menor nível de escolaridade tende a ser associado com a maior desigualdade de renda. No caso do Brasil, o país registra o segundo maior nível de desigualdade de renda entre os 46 países do estudo, ficando atrás apenas da Costa Rica. O índice de pessoas que não cursaram o ensino médio no Brasil representa mais do que o dobro da média da OCDE. Na Costa Rica e no México, o percentual é ainda maior que o do Brasil: 60% e 62%, respectivamente, os mais elevados do estudo.
Outros países latinoamericanos, contudo, têm melhor desempenho que o Brasil. Na Argentina, 39% dos adultos na faixa de 25 a 64 anos não concluíram o ensino médio, no Chile, o percentual é de 35% e, na Colômbia, de 46%.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document