>
sábado, 28 de maio de 2022 - 03:37 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Segundo especialista, emprego pode ser maior com o preenchimento correto do currículo

Segundo especialista, emprego pode ser maior com o preenchimento correto do currículo

Matéria publicada em 2 de maio de 2015, 14:40 horas

 


Volta Redonda- Como fazer um currículo? Com foto ou sem foto? Duas páginas, ou apenas uma? Muitas são as opções de modelos, mas há um ideal? No delicado momento de mudanças econômicas, e desempregos maiores que as contratações em muitos setores, a especialista professora Mestre Patrícia Nunes Costa Reis, e que exerce o cargo de Administradora de Empresas desde 1992, e é coordenadora do curso de Recursos Humanos no Unifoa, faz observações importantes e indica o melhor caminho de se fazer um currículo diferenciado em busca da vaga desejada.

– A atitude mais importante para se conseguir uma vaga de emprego é investir em qualidade, para que você tenha um diferencial, algo que permita que você se destaque no mercado. Encontrar um emprego em momentos de crise exige ainda mais investimento e estratégia, para não perder as oportunidades. Apesar dos especialistas evidenciarem a crise econômica, penso positivamente no que tange à vaga de empregos – indica
De acordo com ela, a dificuldade em se preencher um currículo é um obstáculo para se conseguir um emprego, com bons candidatos podendo perder bons empregos.
– O curriculum vitae (também chamado de currículo ou CV) é um documento que agrupa informações pessoais de um profissional junto a sua formação acadêmica e sua trajetória no mercado de trabalho, visando demonstrar suas qualificações, competências e habilidades. De uma forma mais direta, o curriculum descreve quem você é e quais qualidades e experiências profissionais você possui.
Para ela, quem está à procura de um emprego, deve elaborar um Currículo Vitae adequado, sendo o mais interessante para o candidato, ser objetivo e sucinto.
– Aspectos como dados pessoais, objetivo; resumo de qualificações; formação acadêmica; experiência profissional (se houver) e cursos complementares são imprescindíveis na construção do currículo. A pessoa tem que pensar que através desse documento ela poderá ser chamada para uma entrevista. Em seguida ela deve ir à uma agência do Sistema Nacional de Emprego (Sine), agência de emprego, ou a um empregado.
Ela afirma que não é necessário incluir todas as experiências anteriores e de que o ideal é preparar o currículo somente para a vaga em questão.
– Os candidatos devem adequar o currículo ao tipo de anúncio o currículo, a plataforma em que as informações serão cadastradas. Por conseguinte, em um site de empregos, o currículo pode ser mais genérico, já que não é possível saber quais empresas vão procurá-lo.
Outra dificuldade apontada por ela nos dias atuais é casar a formação dos candidatos com as exigências das empresas. “Às vezes a escolha por formação é mal direcionada e não leva em conta as necessidades do mercado de trabalho. Funciona assim: de um lado, há um grande contingente de pessoas procurando emprego. Do outro, as empresas seguem em busca de profissionais qualificados”, disse, destacando que o sucesso em um processo seletivo depende muito do foco que a pessoa dá à carreira, e que coadune com o seu objetivo profissional e de vida pessoal. “Não se deve esquecer de que as atitudes estão sendo avaliadas durante todo o tempo, desde a forma como apresenta o currículo até a participação na entrevista”.

Primeiro emprego

Quando não se tem experiência alguma, caso de muitos jovens formandos do Ensino Médio ou Superior, ela recomenda que o candidato pode citar eventuais trabalhos em empresa júnior ou no centro acadêmico da faculdade, descrevendo as atividades desenvolvidas no setor. Outra dica é informar os cursos extracurriculares ou de curta duração e workshops podem ser informados.
– É importante mencionar o nome da instituição, mês e ano de início e término e carga horária. Resta por fim destacar as experiências internacionais e trabalhos voluntários. Atividades feitas fora do horário de trabalho podem ser citadas, desde que tenham relação com o emprego ou destaquem as qualidades do profissional.
Sobre o melhor modelo de currículo, a professora explica que existem vários modelos originais de Currículo Vitae disponíveis em sites especializados, como o www.meucurriculum.com e que os mesmos devem ter no máximo duas páginas, com a foto devendo ser enviada ou anexada apenas se o empregador solicitar.

Erros

Entre os maiores erros cometidos, segundo afirma estão incluir foto colorida e “sorrindo”; título “currículo vitae” ou “currículo”; pronomes pessoais (ao invés de colocar “eu desenvolvi um projeto” substitua por “desenvolvimento de projeto”); informações negativas (profissionais que não possuem algum tipo de conhecimento não devem colocar essa informação – a melhor opção é não informar nada); nome de pais, marido ou esposa e filhos; referências pessoais (contatos de pessoas que podem falar sobre o profissional não devem ser indicados); motivo de saída de empregos anteriores; pretensão salarial; cartas de referência; certificados de cursos realizados; data e assinatura.

 

Dicas para preencher cada etapa do currículo

1 – Dados pessoais
O início do currículo deve apresentar o profissional, com nome completo, idade, estado civil, endereço, cidade, região, telefone (celular, residencial ou para recados) e e-mail. Não é preciso informar o CEP.

2 – Objetivo
Neste tópico, os profissionais precisam escrever de forma direta para que a empresa veja qual é a posição de interesse. Os candidatos não devem colocar diversos objetivos juntos.

3 – Resumo de qualificações
É importante que os candidatos aproveitem esse espaço para colocar informações positivas sobre sua carreira. O objetivo é chamar atenção para que o recrutador leia o currículo até o final. Nesse item, o profissional deve pensar quais habilidades, conhecimentos e experiências que ele possui seriam positivos para a posição e companhia. A partir dessa resposta, é possível selecionar o que será colocado no resumo.

4 – Formação acadêmica
O candidato deve colocar o último grau de escolaridade que possui, ou seja, quem não tem nível superior deve citar o nível médio, e assim por diante. Profissionais com MBA, pós-graduação ou curso técnico devem mencioná-los. A descrição deve ter o nome da instituição, curso e ano ou previsão de término.

5 – Experiência profissional
Candidato sem experiência pode citar eventuais trabalhos em empresa júnior ou no centro acadêmico da faculdade, colocando as atribuições e responsabilidades que tinha.

6 – Cursos complementares
Cursos extracurriculares ou de curta duração e workshops podem ser informados. É importante mencionar o nome da instituição, mês e ano de início e término e carga horária.

7 – Idiomas
O candidato precisar ser honesto e indicar seu real conhecimento do idioma, já que o recrutador poderá testá-lo durante a entrevista. A fluência pode ser categorizada como: básico, intermediário, avançado e fluente.

8 – Informática
O profissional pode informar seus conhecimentos em cada programa e categorizá-los. Quem fez curso na área pode colocá-lo seguindo o padrão usado nos cursos complementares.

9 – Outras informações
Neste campo, o candidato pode informar experiências internacionais e trabalhos voluntários. Atividades feitas fora do horário de trabalho podem ser citadas, desde que tenham relação com o emprego ou destaquem as qualidades do profissional.

10 – O que NÃO colocar:
– Foto (Só deve ser enviada quando empregador solicitar)
– Número de documentos
– Título “currículo vitae” ou “currículo”
– Pronomes pessoais (Ao invés de colocar “eu desenvolvi um projeto” substitua por “desenvolvimento de projeto”)
– Informações negativas (Profissionais que não possuem algum tipo de conhecimento não devem colocar essa informação. A melhor opção é não informar nada)
– Nome de pais, marido ou esposa e filhos
– Referências pessoais (Contatos de pessoas que podem falar sobre o profissional não devem ser indicados)
– Motivo de saída de empregos anteriores
– Pretensão salarial
– Cartas de referência
– Certificados de cursos realizados
– Data e assinatura

Sites que servem como referência: http://www.meucurriculum.com/ ou http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/10-modelos-de-curriculo-para-todos-os-gostos-e-perfis#2. ou http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/modelos-de-curriculo.html5.

Giovanni Nogueira
[email protected]


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Somente faltou algo imprescindível na elaboração do CV e que é primordial na escolha do candidato e que todos sabem que no nosso país funciona assim exceto se for uma vaga que necessite de alta qualificação ou que não exista um candidato com todas as caracteristicas que os empregadores desejam.
    É o famoso “QI” (Quem indicou)?

Untitled Document
close