terça-feira, 7 de dezembro de 2021 - 19:11 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Siderurgia recupera importância nos negócios da CSN em 2015

Siderurgia recupera importância nos negócios da CSN em 2015

Matéria publicada em 16 de agosto de 2015, 19:35 horas

 


Balanço da empresa aponta que atividade de mineração vem gerando menos receita e menos caixa que a siderurgia

Plano da CSN de produzir aço bruto no Brasil e mandar para empresas de acabamento nos EUA e Europa pode ajudar a empresa (foto: Arquivo)

Plano da CSN de produzir aço bruto no Brasil e mandar para empresas de acabamento nos EUA e Europa pode ajudar a empresa (foto: Arquivo)

Volta Redonda e São Paulo –  Apesar de conter muitos indicadores negativos, o balanço da CSN referente ao segundo trimestre de 2015 traz uma notícia positiva para Volta Redonda: a siderurgia recuperou importância no portfólio de negócios da empresa, depois de a mineração ter se transformado, no período de 2010 a 2012, na “estrela em ascensão” dos negócios do grupo.

No ano passado, a mineração representava 23% da receita líquida e 28% da geração de caixa do grupo, enquanto a siderurgia tinha 65% e 58%, respectivamente; no segundo trimestre deste ano, os números eram de 17,2% da receita e 25,7% do caixa para a mineração, contra 70,1% de receita e 56,4% de caixa para a siderurgia.

Em parte, essa mudança se explica pela diferença no comportamento dos preços que a CSN consegue por seus produtos no mercado.

No primeiro semestre deste ano, cada tonelada de aço produzido pela Companhia rendeu, em média, R$ 2.172 para a empresa, que comercializou cerca de 2,7 milhões de toneladas – 60% das quais para o mercado interno e o restante para o mercado externo.

Já no que diz respeito à mineração, as vendas do primeiro semestre chegaram a 11,4 milhões de toneladas, para uma receita de R$ 680 milhões. Isso significa que, na média, a CSN recebeu R$ 113,30 por tonelada de minério vendida – pouco mais de 5% do valor obtido por cada tonelada de aço.

Nenhum dos dois produtos está com um mercado maravilhoso – o mercado interno, onde a CSN vendeu seis de cada dez toneladas de aço que produziu nos seis primeiros meses deste ano, apresenta tendência de queda geral no consumo, enquanto a China, maior compradora do minério da Companhia, também está reduzindo suas compras.

A expectativa, porém, é de recuperação das economias do mundo desenvolvido – Europa e EUA, principalmente. Isso é uma boa notícia para a CSN, que conseguiu se colocar nesses mercados com aquisições na Espanha, Portugal, Alemanha e Estados Unidos.

Nove de cada dez toneladas de aço exportadas pela CSN vão para suas subsidiárias no exterior e a continuação da expansão da economia do mundo desenvolvido vai implicar um aumento no consumo de aço e uma nova oportunidade de mercado para a Companhia.

 Cimento

Outro produto da CSN em Volta Redonda apresenta um desempenho diferente da média do mercado. Enquanto as vendas de cimento CSN totalizaram 579 mil toneladas, um crescimento de 10% em relação ao trimestre anterior, gerando uma receita líquida de R$115 milhões, a produção brasileira de cimento caiu 7,2% nos seis primeiros meses do ano em relação ao mesmo período do ano anterior, seguindo o desempenho da Construção Civil, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF) do IBGE.

De acordo com a Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), as vendas de materiais de construção caíram 7,0% no primeiro semestre de 2015 em relação ao do mesmo período do ano passado. No mês de maio, a associação revisou sua projeção para este ano, de um crescimento de 1% para uma queda de 2% nas vendas de materiais de construção, frente ao ano passado.

O detalhe é que a CSN é uma participante recente nesse mercado e está crescendo às custas de vendas que toma de seus concorrentes.

No segundo trimestre de 2015, o EBITDA ajustado do cimento atingiu R$32 milhões no período, com margem EBITDA de 28%, em linha com a performance do trimestre anterior.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Empresa sucateada, poluidora da cidade, destruidora da saúde da população tem que fechar. Já trabalhei lá e sei com propriedade o que ocorre lá, principalmente à noite enquanto a população dorme. VR não depende mais desta famigerada empresa. Viu fumaça vermelha saindo do teto da Aciaria na Vila, tenha certeza que você é sua família terão problemas respiratórios. População deveria mover uma ação coletiva.

  2. E eles ainda falam em crise numa empresa desse porte ela ganha de um lado perde do outro mais no fundo os números na hora da reunião acentica pra fazer lavagem celebral sempre e de crise.

Untitled Document