>
domingo, 22 de maio de 2022 - 01:23 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Sindicato dos Metalúrgicos tenta PPR para funcionários demitidos pela CSN

Sindicato dos Metalúrgicos tenta PPR para funcionários demitidos pela CSN

Matéria publicada em 21 de julho de 2020, 12:04 horas

 


Volta Redonda – O Sindicato dos Metalúrgicos afirmou que segue em negociações com a direção da CSN, em busca do pagamento do Programa de Participação dos Resultados  (PPR) para ex-empregados demitidos recentemente. O sindicato apontou que a CSN estaria em busca de uma linha de financiamento no Banco do Brasil para fazer o pagamento. “Acreditamos que em breve teremos uma resposta final sobre o assunto. Espero uma resposta positiva”, disse o presidente, Silvio Campos

Nesta quarta-feira, dia 22, completa um mês que as negociações específicas sobre o caso dos demitidos teve início. No mês passado, Silvio Campos teve uma videoconferência com o presidente da CSN, Benjamin Steinbruch, para defender o pagamento do PPR (Programa de Participação nos Resultados) para os ex-empregados que trabalharam durante o ano de 2019. “Nossa PPR está fazendo muita falta, ainda mais com esta pandemia. Estamos ainda aguardando um parecer do sindicato sobre o assunto. Nós trabalhamos todo o ano de 2019 e temos esse direito”, disse um metalúrgico em contato com o DIÁRIO DO VALE.

O valor a ser pago corresponde a 40% do Target para todos trabalhadores até o cargo de supervisor (1 salário). A primeira parcela de 50% seria paga até cinco dias úteis após aprovação do acordo coletivo, o que não teria ocorrido para os demitidos. A segunda parcela de 50%, está programada até o pagamento de setembro/2020.

Aos cargos de liderança, acima de supervisor, 40% do Target (1 salário). A primeira parcela de 40% a ser paga até cinco dias úteis após aprovação. Segunda parcela de 30%, até o pagamento de setembro/2020. E a terceira parcela de 30% até o pagamento de dez./2020.

Negociações começaram em junho

A direção do sindicato dos metalúrgicos esteve reunida entre 1 e 3 de junho com a direção da CSN para discutir o PPR dos trabalhadores. Depois de muito impasse, a empresa apresentou uma proposta, que foi levada a votação e aprovada na sexta-feira, dia 5, através de uma plataforma digital, por conta da pandemia do coronavírus.

Diante do vencimento do Acordo Coletivo, a empresa propôs um pacote que incluísse também uma proposta de renovação do Acordo Coletivo de Trabalho 2020/2022 (com validade de 2 anos).

Durante a discussão, a CSN alegou dificuldades que envolvem o quadro de instabilidade que o país enfrenta e a falta de perspectiva para as vendas, com grande estoque da produção. Tudo agravado, segundo a empresa, pela pandemia do coronavírus.

Com isso, a CSN decidiu propor pagar somente o que determina a lei/CLT, mas o sindicato destacou que o acordo garantirá a manutenção do abono de 70% de férias, hora extra com bonificação que pode chegar até 100%, adicional noturno de 40%, plano de saúde e odontológico, convênio farmácia, previdência privada (CBS), cartão alimentação, abono de atraso, adiantamento do 13% em janeiro, auxílio creche, auxílio funeral, bolsa de estudo nível superior e técnico, brinquedo de Natal, kit escolar, cesta básica, desjejum, empréstimo especial, garantia de pré aposentadoria, consultas gratuitas para gestantes e recém-nascidos, estabilidade de gestantes acima do prazo, resíduo de horas noturnas, refeição e seguro de vida em grupo. E, mesmo diante da paralisação do alto-forno 2, a empresa se comprometeu em não demitir trabalhadores em massa.

“Essa talvez tenha sido uma das mais tensas reuniões das quais já participei. Muita expectativa contra inúmeras negativas por parte da CSN”, disse o presidente do sindicato, Silvio Campos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Porque tentar se é direito do ex colaborador…

  2. É justo o que o sindicato está fazendo a respeito dos demitidos.Mas e quanto aos trabalhadores em atividade,sobre a CSN estar mudando o plano de saúde dos funcionários após a assinatura do acordo coletivo. O que presidente do sindicato tem a dizer???

    • Presidente do sindicato está junto com os pessoal da CSN.
      CSN paga esse presidente sindicato e só pode, não faz nada pra ajudar nós trabalhadores, só atrapalha.

  3. Mas esse sindicato é fraco demais se ele não faz nada para ajudar os funcionários não sô esse é uma praga não sei o que que esses cara tão aí falando ele negociar e negociar se já tem que bater o pé e fazer greve os cara não faz nada CSN TEVE LUCROde 630 milhões aí ó e estou querendo negociar tem nada negociar não é que fizeram sacanagem da pele o sindicato aí tem uma empresa e sindicato aí

  4. Os supervisores da classificação para as mulheres( capacitar ou estagiárias ), elas dão em cima dos técnicos para classificar é os quem está lá de mecânico 1 não ganha aumento, pq as mulheres dentro da csn tem mais privilégio

  5. Csn teve uns dos maiores lucros mas de 2 bilhões de lucros tá em alta disparando no minério e vem com Esse papo de pedir empréstimos para banco covardia e humilhante para nós trabalhadores sindicato pelego e peão que precisa se sujeita A isso gerencia tbm é pilantra e safada pura covardia.

  6. Antonio carlos da silva

    Quero saber se o sindicato vai fazer nesta mudança do plano de saude o bradesco saude nacional e a csn que fazer um plano de saude local se sindicato vai entrar na justica o sindicato dos engenheiro ja estar entrando na justiça

  7. O que é TARGET ?????

Untitled Document