;
quarta-feira, 25 de novembro de 2020 - 16:23 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Vale usa sistema de bateria para reduzir consumo e custo de energia elétrica

Vale usa sistema de bateria para reduzir consumo e custo de energia elétrica

Matéria publicada em 26 de agosto de 2020, 08:56 horas

 


TIG em Mangaratiba vai usar sistema de bateria gerando economia de energia (crédito Vale)

Mangaratiba – A Vale está instalando no Terminal da Ilha Guaíba (TIG), em Mangaratiba, um sistema de armazenamento de energia em bateria para suprimento de demanda elétrica do país. O BESS (Battery Energy Storage Systems, na sigla em inglês), que está sendo desenvolvido em parceria com a Siemens e a MicroPower Comerc (MPC), irá reduzir em cerca de 20% o custo com energia do porto ao substituir o fornecimento da rede elétrica da concessionária nos horários de pico de demanda, quando a tarifa é mais cara.

O equipamento tem capacidade de armazenamento de 10 megawhatts-hora, o suficiente para atender a 45 mil residências por uma hora. A aplicação desse tipo de tecnologia é um passo importante na estratégia de descarbonização da Vale. O uso de baterias é uma das tecnologias que deverá ser aplicada para substituição de diesel por energia elétrica renovável em equipamentos de transporte, como locomotivas e caminhões fora de estrada, incluída no programa Power Shift, que está sendo implementado pela empresa.

Um dos projetos é a construção de uma locomotiva 100% elétrica, que entrará em teste-piloto na Unidade de Tubarão, no Espírito Santo, ainda neste semestre. A locomotiva também será movida a bateria. Recentemente, a empresa anunciou investimento de ao menos US$ 2 bilhões para reduzir em 33% suas emissões absolutas diretas e indiretas até 2030, com base nas premissas do Acordo de Paris, além da intenção de tornar-se carbono neutra em 2050.

“À medida que a Vale continua a descarbonizar suas operações, o uso de baterias se tornará uma parte cada vez mais importante na eletrificação da nossa frota de equipamentos”, explica o diretor de Energia da Vale, Ricardo Mendes., acrescentando que “o projeto permite testar em campo uma nova tecnologia para acelerar a transformação de energia da Vale, alcançando a autossuficiência e aumentando a geração de energia elétrica principalmente através das fontes solar e eólica em complementação a geração hidrelétrica”.

O TIG receberá um dos maiores sistemas de armazenamento de energia em bateria para suprimento de demanda elétrica do país  Composto por baterias de íon-lítio fabricadas pela Tesla, o equipamento será carregado sempre que a demanda por energia do TIG estiver baixa, para, assim, poder substituir a rede da concessionária nos momentos em que essa demanda for mais alta. Este tipo de aplicação é conhecida como Peak Shaving e que, no caso do porto, poderá gerar a redução de aproxidamente 20% no custo final de energia consumida. Com a redução de custo, o BESS irá remunerar a Micropower e trará economia para a Vale, além de liberar capacidade para a rede elétrica local. A MPC será a responsável ainda pela operação do equipamento.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Aos que possuem limitações cognitivas tipo gado ruminando, só resta aplaudir ironicamente pois são incapazes de formular uma contra-argumentação!!

  2. Avatar

    E solução para as vítimas de suas barragens e o passivo ambiental?? Ah esqueci!! Meio ambiente e o povo não são pautas da agenda do atual governo, quanto mais das empresas privadas!!

  3. Avatar
    Carlos Magno de Oliveira

    Esta grande mineradora que é uma das maiores do mundo na extração de ouro e minérios e um dia foi brasileira e que infelizmente foi DOADA por FHC aos representantes de outras nações e investidores estrangeiros poderia hoje estar investindo muito mais na exploração racional e preservação ambiental e sendo ainda o orgulho de nossa nação. Um dia quem sabe poderemos repatriar tudo que nos foi tirado por estes políticos corruptos e entreguistas que estão destruindo o nosso Brasil nestes últimos 56 anos.

Untitled Document