segunda-feira, 17 de janeiro de 2022 - 21:26 h

TEMPO REAL

 

Capa / Educação / Escolas particulares se organizam para volta às aulas

Escolas particulares se organizam para volta às aulas

Matéria publicada em 28 de janeiro de 2021, 13:11 horas

 


Instituição está com protocolos que incluem capacitação dos profissionais, orientação dos pais e responsáveis e ainda higienização constante dos ambientes – Foto: Divulgação

Volta Redonda – Assim como os governos estão se organizando para a retomada, presencial ou remota, das aulas na rede pública, as instituições particulares também já definiram um plano para a volta às atividades. Algumas já anunciaram que estão organizadas para receber os alunos e outras que montaram novas estratégias para a continuidade do ensino remoto.
O Colégio do Instituto Batista Americano é uma das instituições que vão manter, pelo menos neste início de ano letivo, as aulas remotas.
-No início foi muito difícil para todos, tanto para os pais quanto para a escola, por se tratar de algo novo. Nós já tínhamos a nossa plataforma, mas não era a nossa fonte principal de transmissão de conteúdo. Aos poucos fomos nos adaptando, escola e pais, e a aceitação foi muito boa. Por enquanto não vamos voltar as aulas presenciais, o prefeito ainda não assinou um decreto para funcionamento, nesta semana recebemos uma mensagens da supervisão para a continuidade do ensino remoto – contou a coordenadora pedagógica do ensino fundamental II e ensino médio, Jucymara Soares de Amorim Carneiro.
Para esta retomada, o colégio traçou metas e se organizou para melhorar o que, segundo a coordenadora, deu certo em 2020.
– Esse período sem aulas presenciais utilizamos a nossa plataforma de ensino, que é da rede Pitágoras, e também os aplicativos ‘Meet’ e Zoom’. Oferecemos aos alunos plantão de dúvidas, videoaulas, ‘aulão’ para o Enem, seminários, palestras e diversos outros projetos online. Não deixamos de realizar o que seria presencial, fizemos tudo de forma remota. A partir deste ano as aulas serão realizadas no colégio, todas as nossas salas estão sendo equipadas com kits multimídia e os professores vão ministrar as aulas de dentro da escola. Com isso vamos minimizar problemas que tivemos ao longo do ano, como por exemplo o carro do ovo passando na hora da aula e outras interferências – explicou.
A coordenadora ressaltou ainda que caso haja uma autorização para ensino hibrido, a instituição já está preparada para receber os alunos.
– Com a liberação do ensino hibrido, os alunos não vão perder a qualidade das aulas, pois os estudantes que estiverem na escola e os que estiverem em casa vão ter acesso ao mesmo conteúdo em tempo real. Então neste ano vamos continuar com as mesmas plataformas utilizadas no ano passado, mas com uma novidade que é o programa bilíngue com a ‘Cloe’ – destacou.
Outra instituição que já está preparada para a volta às aulas é o Instituto Presbiteriano de Educação. De acordo com o diretor do colégio, a unidade está preparada para a retomada presencial dos alunos. Foram realizadas uma série de reuniões para que essa decisão fosse tomada da melhor maneira e com segurança.
– A equipe diretiva e pedagógica do Instituto realizou várias reuniões a fim de levantar possibilidades para o retorno presencial. Fizemos um levantamento de todos os protocolos estabelecidos pelas autoridades de saúde e vigilância sanitária para observar a possibilidade de retorno dentro das estruturas existentes no Instituto. E diante de vários estudos, levantamos estratégias e ações para esse retorno no mês de fevereiro de 2021. Tivemos várias reuniões com o Sindicato das Escolas Particulares cuja pauta foi a importância desse retorno presencial. O atual prefeito já demonstrou de forma pública sua opinião e decisão a respeito do retorno das escolas particulares. Estamos muito seguros e confiantes em relação à segurança que será oferecida a toda a comunidade escolar – afirmou o diretor, Filipe Jardel Lima Martins.
Para a tomada de decisão, de acordo com o diretor foram levados em conta diversos pontos, como por exemplo a importância da socialização no aprendizado.
– Alguns pontos pesaram na decisão de retomar o ensino presencial, como a presença na escola para aqueles que ainda não possuem acesso à internet ou equipamentos de qualidade para uma aula on-line significativa, por acreditar que a presença física do professor enquanto mediador do conhecimento é fundamental para o crescimento do aluno em sua vida acadêmica e social e ainda o fator da socialização, que é vital. O fato de estar próximo de outros alunos e de seus professores, mesmo com distanciamento e tomando todas as medidas necessárias, gera maior qualidade emocional para os alunos acarretando uma aprendizagem significativa – explicou.
Ainda segundo o diretor, os pais e responsáveis já foram avisados da decisão e apesar de alguns estarem receosos com esta volta presencial, houve grande adesão para a retomada.
– Alguns responsáveis estão ainda temerosos quanto ao retorno presencial, pois tem em sua residência familiares do grupo de risco, ou o próprio aluno possui alguma comorbidade. Os que não optarem pelo retorno presencial poderão continuar com seus filhos tendo suas aulas em formato on-line. Utilizamos a plataforma PLURALL, que nos possibilita a inserção de material de excelente qualidade para oferecer uma educação de excelência nas mais diversas modalidades de ensino. Nenhum aluno será prejudicado. Todos terão acesso a escolarização e possibilidades de continuar seus estudos da forma que julgar mais viável para esse momento – esclareceu.
Com relação a segurança no ambiente escolar, Felipe Jardel revela que foi montado um protocolo para o retorno presencial.
– Todos os profissionais que atuam no Instituto foram capacitados e treinados para oferecer a segurança necessária para nossos alunos. Estabelecemos um protocolo com a utilização de máscaras em todos os ambientes, higienização das mãos com álcool em gel 70% nas entradas e durante os procedimentos de aula, higienização de todo ambiente escolar com sanitizador, distanciamento mínimo de 1,0m nas filas e salas de aula, ambientes arejados com ventilação natural e climatização com aparelhos que diminuem o risco de contágio, número de alunos reduzidos por salas, aferição de temperatura corporal nas entradas e saídas da escola, tapetes sanitizantes, demarcações por toda a unidade, informações visuais por todo o ambiente escolar, oficinas de higienização para os alunos, troca de máscara de 2 em 2h, entre outros. Faremos também uma reunião on-line com todos os responsáveis, a fim de informar os protocolos adotados pelo colégio promovendo a conscientização e informações necessárias para trazer maior tranquilidade para um retorno seguro – detalhou.
Com relação a possíveis contaminações, o diretor explicou que o protocolo de segurança também traz orientações quanto a casos positivos no meio escolar.
– Conforme estabelecido no protocolo de retorno do Ministério da Saúde, em situação de caso confirmado, os profissionais e a comunidade escolar devem ser informados, e as atividades escolares devem ser reavaliadas, repensando de acordo com a complexidade de contato anterior e quantidade de pessoas que possam ter sido expostas. O protocolo também orienta a promover o isolamento imediato de qualquer pessoa que apresente os sintomas característicos da COVID-19, orientando-a e a seus familiares, a seguirem os procedimentos indicados pelas autoridades de saúde pública. A mesma deverá ser encaminhada para casa, só podendo retornar à unidade escolar mediante apresentação de laudo médico. Estamos preparados para um retorno seguro. Mesmo em meio ao distanciamento social e com todos os protocolos a serem seguidos estamos muito felizes com a possibilidade desse retorno, pois assim poderemos realizar um trabalho com maior excelência – finalizou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse, em entrevista à TV Cultura, que a variante do novo coronavírus detectada primeiramente em Manaus pode provocar uma megaepidemia no Brasil em 60 dias. Na avaliação de Mandetta, a transferência de pacientes da capital amazonense para outros estados e a falta de controle podem “plantar” a nova cepa em todo o território brasileiro, agravando a situação da pandemia no Brasil. Há indícios de que a variante aumenta a transmissibilidade do vírus….

  2. Melhor parte , o carro do ovo.

    Protocolo?

    Onde?

    Cheio de gente sem máscara nas ruas, shoppings, supermercados…

    Adultos não cumprem protocolos.

    Isso é o me engana que eu gosto.

    Temperatura pra quê?

    Criancas transmitem , mas são assintomaticas em sua maioria. Mas são ótimos transmissores.

    Covid pega pelo ar, coliformes fecais, efeito aerossol do wc, superfícies, objetos, etc

  3. Vão para escola os filhos de quem não está cumprindo protocolo.

    Shoppings e ruas tá cheio de crianças sem mascara e sem juizo.

    As crianças que se cuidam seriam infectadas e se deixariam levar. Pois são crianças.

    Crianças são assintomaticas, logo não parece que estão se infectando.

    Vi nas ruas professores e coordenadores de escola particular caminhando pelas ruas sem máscara e sem juízo.

    Se ela não usa máscara pode estar contaminada e nem ligará para vigiar as crianças, se é que isso é possível.

    • Concordo ,essa conversa qye as escolas particulares estão preparadas é mentira . Estão visando o lucro apenas . Pesquisem e verão que nem os diretores e coordenadores estão cumprindo os protocolos de segurança. Parem de querer enganar o povo !!

Untitled Document