terça-feira, 7 de dezembro de 2021 - 11:37 h

TEMPO REAL

 

Capa / Educação / Ministro da Educação pede apoio de professores para retorno às aulas

Ministro da Educação pede apoio de professores para retorno às aulas

Matéria publicada em 15 de julho de 2021, 13:16 horas

 


Ribeiro participou do lançamento de ações para o novo ensino médio

Segundo o ministro Ribeiro, o sucesso na implantação do novo ensino médio precisará do apoio dos profissionais da educação – Foto: Marcelo Camargo(Agência Brasil).

Brasília- Durante o lançamento das ações previstas para o novo ensino médio, realizado na quarta-feira, dia 14, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, pediu o apoio de professores para o retorno às aulas dos estudantes brasileiros. “Precisamos dar uma resposta a nossos jovens no presente e no futuro. Não podemos abandoná-los com escolas fechadas”, disse o ministro.

Durante o evento, foi anunciado o cronograma de implementação do projeto que abrangerá todas as escolas públicas e privadas do país. A implementação do novo ensino médio será feita de forma progressiva, a partir de 2022, nas 1ª séries do ensino médio. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), em 2023 as mudanças abrangerão as três séries do ensino médio em 2024.

Segundo o ministro Ribeiro, o sucesso na implantação do novo ensino médio também precisará do apoio dos profissionais da educação para alcançar seu sucesso. “Eu acredito no projeto e que, lá na ponta, professores e diretores e secretários são os grandes responsáveis para que esse novo ensino médio possa acontecer e ser um sucesso para os nossos jovens e para o nosso Brasil”, disse o ministro.

De acordo com o MEC, a nova organização do ensino médio amplia a carga horária total de 2,4 mil horas para 3 mil horas. Por meio de uma nova estrutura curricular, possibilitará a oferta de “diferentes itinerários formativos conforme o contexto no qual a escola está inserida e de acordo com as necessidades e interesses dos estudantes”.

O cronograma apresentado pelo ministério prevê calendários que ampliarão a carga horária para 1 mil horas anuais nas unidades escolares de ensino médio; prazos para a implementação dos novos currículos, alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e aos itinerários formativos.

Prevê também o estabelecimento de cronogramas referentes aos materiais e recursos didáticos, via Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), bem como para atualizações das matrizes do Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI), do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e da matriz de avaliação do Novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Fonte: Agência Brasil*


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Vacina para todos!!!!!

    Vacinem adultos, adolescentes e crianças aí depois libero para ir para o presencial.

    Não vou virar um número pro governo.

    Pai morto não paga escola e criança morta não vai a escola.

    No domingo (11), o presidente do Butantan, Dimas Covas, anunciou que foi solicitada, para a Anvisa, a autorização emergencial de uso da CoronaVac — vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac com o próprio instituto — em crianças a partir de 3 anos. A afirmação foi feita durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo.

    • Cada um se proteja

      Escola dos meus filhos já voltou presencial desde o início do ano.

      Covid tá correndo solto entre alunos, pais, professores.

      Só que nunca admitem que alguém se contaminou na escola.

      O que sabemos por outros pais é que é cada um por si, pois a criançada não cumpre protocolo muito menos adolescentes.

Untitled Document