quinta-feira, 2 de dezembro de 2021 - 15:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / Educação / Preço da passagem urbana cai de R$ 3,80 para R$ 3,60 em Resende

Preço da passagem urbana cai de R$ 3,80 para R$ 3,60 em Resende

Matéria publicada em 11 de abril de 2017, 09:02 horas

 


Resende – O prefeito Diogo Balieiro Diniz anunciou nesta segunda-feira (10), data em que a atual administração completa 100 dias, uma notícia aguardada pela população: a redução do valor da passagem dos ônibus urbanos, que cai de R$ 3,80 para R$ 3,60. O decreto número 9953/2017, assinado pelo prefeito no final da tarde, entra em vigor a zero hora da próxima quarta-feira, dia 12, e cumpre um dos principais compromissos assumidos por Balieiro com a população.

– Hoje completando 100 dias de governo, reafirmo meu compromisso exclusivo com a população de Resende, ao assinar este decreto – uma medida que a população de Resende aguardava desde janeiro. Durante estes três meses, trabalhamos diariamente buscando mecanismos legais para tomar esta medida, como manda a Constituição. Mas é importante ressaltar que esta iniciativa terá continuidade. Vamos agora intensificar a fiscalização para exigir um serviço de mais qualidade – destacou Diogo.

O decreto 9953/2017 assinado hoje suspende, por prazo indeterminado, a tarifa de R$ 3,80, estabelecida pela administração passada, através do decreto 9.760. Editado pela gestão anterior, no dia 1º de dezembro de 2016, o decreto reajustou a passagem acima do índice previsto. Agora, com o cancelamento do documento, a Prefeitura pode aplicar o índice oficial, e justo, de 6,29% referente ao IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), fixando a passagem em R$ 3,60, na próxima quarta-feira.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Meu nome é Zé Pequeno!

    Nós moradores de Resende queremos que haja a salutar medida capitalista da livre concorrência é não um monopólio de trinta anos.
    Aliás! Parece-me que foi promessa de campanha do atual gestor acabar com este império baiano, mas acho que vai acabar no gogó pelo caminhar das coisas.
    Enquanto na cidade do Rio de Janeiro as pessoas brigam para que a frota seja 100% refrigerada, aqui no Sul Fluminense temos o tradicional vento para nos refrescar e alguns ônibus sujos e sem horário para nos esgolearmos de tanto reclamar.
    Órgão fiscalizador só se for do tipo TCE.
    Fora isso em VR, BM,etc algumas linhas como a Circular 15 continua aquela superlotação e fica por isso mesmo.

Untitled Document