quarta-feira, 21 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Eleições 2018 / Após votar, Marina diz que violência ameaça eleições

Após votar, Marina diz que violência ameaça eleições

Matéria publicada em 7 de outubro de 2018, 14:48 horas

 


Marina Silva afirmou que, em 2014, as eleições foram atingidas pelas denúncias de corrupção e uso de caixa 2. Ao citar o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-Rio) e o atentado contra o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, ela, disse que a ameaça este ano está concentrada na violência.

Confiante de que irá para o segundo turno das eleições, Marina Silva não disse quem pode vir a apoiar. De acordo com ela, esse tipo de decisão só deve ser anunciada depois de proclamado o resultado das urnas pela Justiça Eleitoral.

De Rio Branco, Marina Silva segue para Brasília, onde passará o resto do dia e a noite. A assessoria de imprensa da candidata informou que ela pretende conceder entrevista coletiva no comitê de campanha, na aérea central de Brasília, após a divulgação do resultado eleitoral.

Polarização

Marina Silva, nas redes sociais, pediu que os eleitores usem o coração na hora de votar e deixem de lado qualquer sentimento que incentive a polarização de forças na política. “O Brasil clama para que a gente pare com essa polarização que nos trouxe para o fundo do poço. Neste domingo, eu peço o voto do seu coração.”

A candidata encerrou ontema campanha em Rio Branco, capital do Acre. No final da tarde, ela postou fotos ao lado das irmãs Maria Jesus, Zeti e Lucia. Marina Silva lamentou a ausência do pai Pedro Augusto Silva, que morreu em janeiro. Renata Martins, Enviada especial  a Rio Branco pela Agência Brasil.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document