quarta-feira, 21 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Espaço Aberto - Por Jorge Calife / Os trinta anos da noite dos OVNIs em São José dos Campos

Os trinta anos da noite dos OVNIs em São José dos Campos

Matéria publicada em 31 de maio de 2016, 09:30 horas

 


wp-coluna-espaco-aberto-jorge-calife

 

Mistério: Radares detectaram 32 objetos no céu

Mistério: Radares detectaram 32 objetos no céu

Há algo no ar além dos aviões de carreira. Este mês completou 30 anos a famosa noite dos OVNIs sobre São José dos Campos. Foi no dia 19 de maio de 1986, quando caças da Força Aérea Brasileira passaram a madrugada perseguindo luzes misteriosas no espaço aéreo de São Paulo e do Rio de Janeiro. O “Fantástico” fez uma reconstituição do incidente, cheia de efeitos especiais, mas se esqueceu de lembrar um acontecimento idêntico, que assombrou os norte-americanos, em julho de 1952.

A noite de 19 de julho de 1952 foi uma noite clara de verão na capital norte-americana. A temperatura no solo era de 25 graus e havia uma pequena inversão térmica de um grau a 300 metros de altura. Por volta das 23h, as tripulações de vários voos comerciais informaram a presença de luzes azul-brancas no céu. A princípio, as luzes se moviam vagarosamente. Mas, subitamente, uma delas acelerou para 7300 quilômetros horários e cruzou o céu de Andrews para Riverdale.

A torre de controle do aeroporto confirmou a presença de sinais no radar. Uma das luzes seguiu o voo SP 610 da National Airlines até o avião chegar a seis quilômetros da cabeceira da pista. Às 23h30, todas as luzes e sinais de radar desapareceram, mas antes, chegaram a sobrevoar o corredor aéreo restrito sobre a Casa Branca e o Capitólio. A repercussão foi tremenda e quando o fenômeno se repetiu na noite de 26 de julho, a torre de controle do aeroporto estava cheia de jornalistas.

Desta vez, os radares registraram 12 sinais não identificados. O controlador de voos pediu ajuda à base aérea de Newcastle, que enviou uma dupla de caças F-94 Starfire subsônicos. Quando os caças se aproximaram, as luzes aceleraram para velocidade hipersônica e sumiram no horizonte. Os aviões circularam por 15 minutos e voltaram para a base. Assim que pousaram, as luzes misteriosas reapareceram no céu. Um novo telefonema foi dado para o Pentágono. O Comando da Defesa Aérea respondeu: “Fiquem calmos, uma segunda esquadrilha está a caminho”.

O confronto ocorreu às 4h da madrugada. Desta vez, as luzes não fugiram dos pequenos F-94; um grupo de contatos seguiu para o norte, perseguido por um jato. O piloto informou a torre: “Estão diretamente à minha frente, parecem tremendas luzes azuis. O que eu faço?”. Antes que o comando pudesse decidir, as luzes aceleraram e sumiram de novo. O governo concluiu que o incidente fora provocado pela inversão térmica, criando sinais falsos nas telas de radar. Mas não apresentou nenhuma explicação para as luzes no céu.

Mais luzes no céu

No Brasil, a dança dos OVNIs começou às 20h50 do dia 19 de maio de 1986. O controlador da torre de São José dos Campos avistou duas luzes que pareciam estrelas vermelhas no céu. Ele entrou em contato com um bimotor Xingu que se aproximava, trazendo de Brasília o coronel Oziris Silva, que assumira a direção da Petrobrás. O piloto do Xingu, Alcir Pereira da Silva, confirmou a posição das luzes e voou ao encontro delas. A estrela vermelha sumiu do visual e do radar.

Outras apareceram logo depois. O controle de tráfego aéreo confirmou a existência de 32 contatos no radar. A Força Aérea enviou um caça supersônico Mirage, da base de Anápolis, e um F-5E, da base de Santa Cruz, no Rio de Janeiro. Capazes de voo supersônico, os jatos perseguiram as luzes, que acabaram sumindo sobre o litoral de São Paulo. O que eram, até hoje, ninguém sabe.

Sempre que se fala em objetos voadores não identificados, as pessoas pensam em visitantes extraterrestres. Mas, nenhum sinal de vida no espaço jamais foi confirmado. Talvez estejam procurando no lugar errado. Talvez essas coisas não venham de um lugar no espaço, e sim de algum lugar no tempo.

 

1952: Caça Starfire perseguiu luzes em Washington (Fotos: Divulgação)

1952: Caça Starfire perseguiu luzes em Washington (Fotos: Divulgação)

 

JORGE LUIZ CALIFE | jorge.calife@diariodovale.com.br


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    Se queres saber sobre a vida mentirosa das “celebridades” compre a revista CARAS. Muito boa a reportagem, eu não tinha conhecimento desse fato……

  2. Avatar

    Um dos melhores colunistas. Parabéns pelas pesquisas e por compartilhá-las.

  3. Avatar

    Genteeee! não tem coisa melhor para ser abordada no tema da coluna??? kkkk

Untitled Document