Blatter se isenta em discurso e cita humilhação - Diário do Vale
terça-feira, 28 de setembro de 2021 - 08:15 h

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Blatter se isenta em discurso e cita humilhação

Blatter se isenta em discurso e cita humilhação

Matéria publicada em 28 de maio de 2015, 16:06 horas

 


Suíço tenta se distanciar de escândalo, mas jornalista garante que próximo alvo será o presidente da FIFA

Cercado: Blatter vê situação no comando da FIFA ficar cada vez mais complicada (Foto:Divulgação)

Cercado: Blatter vê situação no comando da FIFA ficar cada vez mais complicada (Foto:Divulgação)


Zurique, Suíça – 
O presidente da Fifa, Joseph Blatter, adotou tom de lamentação para falar sobre o escândalo de corrupção que resultou na prisão de sete dirigentes da entidade internacional, entre eles o brasileiro José Maria Marin. O mandatário suíço se eximiu de culpa pelos ocorridos e disse que os casos descobertos pelo FBI são uma sombra e representam humilhação na história do futebol.

Sete membros da Fifa foram presos na manhã de quarta-feira pelas autoridades suíças a pedido do departamento de justiça dos Estados Unidos por casos de corrupção em acordos de marketing, venda de direitos de transmissão de eventos e na escolha de sedes da Copa do Mundo.

– Os eventos de ontem causaram uma grande sombra sobre o futebol. Ações de indivíduos trouxeram vergonha e humilhação para o futebol e exigem ações imediatas de todos e não podemos deixar que a reputação da Fifa seja manchada -, disse o suíço em seu pronunciamento na abertura do 65º congresso da entidade internacional, nesta quinta-feira.

As prisões ocorreram na manhã de quarta, véspera da abertura da assembleia da Fifa que definirá o próximo presidente da entidade. No cargo desde 1998, Joseph Blatter tenta seu quinto mandato e terá como único adversário o príncipe jordaniano Ali bin al-Hussein, que ganhou força para o pleito de sexta-feira após o escândalo de corrupção.

Antes da abertura do congresso da Fifa, representantes da Uefa, associação europeia de futebol, reuniram-se e decidiram apoiar o príncipe jordaniano na eleição. Seu presidente, Michel Platini, pediu expressamente que Blatter desistisse de sua candidatura. Do lado de fora do prédio da entidade, manifestantes pediram a renúncia e prisão do suíço.

Por isso, Blatter tentou afastar sua imagem do escândalo de corrupção, atribuindo os casos a ações individuais em vez de um esquema instaurado na Fifa e em suas filiadas. Na tarde de quarta-feira, a entidade decidiu banir de seus quadros os dirigentes envolvidos no caso.

– Sei que muitas pessoas me consideram responsável pelos problemas da comunidade global do futebol, mas não posso monitorar a todos o tempo todo. Não podemos permitir que a ação de alguns destrua o trabalho duro e árduo de muitos, a maioria que trabalhou tão forte e intensamente pelo futebol. Esses culpados pela corrupção no futebol são minoria -, afirmou.

O discurso de Blatter foi precedido por uma atração curiosa na sede da entidade em Zurique. Um artista usou instrumentos de percussão para reproduzir a música-tema da entrada de jogadores em campo na Copa do Mundo de 2014, enquanto dançarinos subiam ao palco sacudindo as bandeiras das seleções associadas à organização futebolística.

O tom do espetáculo destoa do momento sombrio pelo qual passa a entidade, mas Blatter justificou a apresentação como motivo para os espectadores se lembrarem do verdadeiro “espírito do futebol”.

– Vocês viram a cerimonia de abertura que é sobre o futebol, o espírito do jogo, o aspecto que faz com que seja tão adorado por todos. Nossos artistas e dançarinos trouxeram o espírito que deu essa vida ao futebol dentro dessas circunstancias especiais. Espero que esse show permita que vocês se lembrem pelo que lutamos e devermos continuar lutando no futebol, mesmo que alguns nos decepcionem -, disse o dirigente, se esquivando dos escândalos.

– Aproveitem esse show, mas reflitam sobre o fato de a maioria de nós não está aqui pela cobiça, para explorar ou pelo poder, mas porque temos amor pelo jogo e queremos servir aos outros e alcançar resultados positivos com liderança e responsabilidade -, completou.

Foram presos em Zurique José Maria Marin, vice-presidente da CBF, o presidente da Concacaf e vice-presidente da Fifa, Jeffrey Webb; o presidente da Federação da Costa Rica, Eduardo Li; ex-funcionário da Federação da Nicarágua, Julio Rocha; o ex-vice presidente da Conmebol e antigo mandatário da Federação Uruguaia, Eugenio Figueredo; o presidente da Federação Venezuelana de Futebol, Rafael Esquivel; e o ex-dirigente da Federação das Ilhas Cayman Costas Takkas.

Jack Warner, ex-presidente da Concacaf e ex-vice presidente da FIFA, entregou-se às autoridades na noite de quarta-feira. Os outros indiciados pela justiça norte-americana são Nicolás Leoz, ex-presidente da Conmebol, e os empresários Aaron Davidson, Alejandro Burzaco, Hugo e Marianko Jinkis e José Margulies.

O brasileiro José Hawilla, dono da empresa de marketing esportivo Traffic, foi indiciado em dezembro passado por conspiração de fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e obstrução de justiça na investigação norte-americana. Considerado culpado, ele concordou em devolver mais de US$ 150 milhões.

 

Jornalista inglês admite ter passado
dados e diz que ‘Blatter é um alvo’

Principal inimigo público da Fifa, o jornalista investigativo Andrew Jennings é conhecido por ser o autor de uma série de denúncias feitas através de livros, documentários e reportagens sobre a corrupção nos bastidores da principal entidade do futebol. Na manhã desta quinta-feira, o escocês admitiu ter sido o responsável por passar informações “cruciais” para o FBI fazer as investigações que revelaram um escândalo de corrupção e culminaram na prisão de sete dirigentes na quarta, incluindo José Maria Marin, vice-presidente da CBF.

– Eu dei ao FBI os documentos cruciais que desencadearam nas prisões de ontem. Tem mais coisa por vir. Blatter é um alvo -, sentenciou o jornalista nas redes sociais.

Membro do programa Panorama, da emissora britânica BBC, Jennings foi um dos responsáveis pela denúncia de escândalo da falência da ISL, agência de marketing esportivo acusada de subornar dirigentes da Fifa para receber os direitos de transmissão da Copa do Mundo e de patrocínio à empresa nos Anos 90.

As investigações resultaram no livro “Jogo Sujo – O Mundo Secreto da Fifa” e acabaram na desgraça política dos brasileiros João Havelange e Ricardo Teixeira, afastados da entidade por corrupção. Recentemente, Jennings publicou “Um Jogo Cada Vez Mais Sujo”, elucidando o esquema fraudulento da venda de ingressos para a Copa do Mundo do Brasil.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Assessoria de Imprensa MTV Intercambios

    Sugestão de Pauta à Editoria de Turismo , Economia ou Empregos e indicação de personagem.

    Malas prontas para trabalhar – Jovens de São Paulo –SP estão migrando para os Emirados Árabes .

    Vontade de conhecer novas culturas e fazer dinheiro fora do País tem levado cada vez mais brasileiros a participar de programas de intercâmbio profissional e estudantil. Na bagagem, a esperança de salários até R$ 75 mil por mês

    Oportunidade de conhecer outras culturas, aprimorar a fluência no idioma estrangeiro, turbinar a carreira e, de quebra, fazer uma boa poupança. Esses são alguns dos ideais de jovens em busca da experiência de viver em outros países.

    Agencia MTV Intercambios

Untitled Document