sexta-feira, 14 de maio de 2021 - 11:20 h

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Botafogo teve um ano de reconstrução

Botafogo teve um ano de reconstrução

Matéria publicada em 25 de dezembro de 2015, 10:00 horas

 


Botafogo: A diretoria escolheu o goleiro Jéfferson como o símbolo da reconstrução, e ele brilhou em todos os momentos

Botafogo: A diretoria escolheu o goleiro Jéfferson como o símbolo da reconstrução, e ele brilhou em todos os momentos

Rio de Janeiro – O ano de 2014 terminou com o Botafogo vivendo talvez a maior crise de sua história. O rebaixamento para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, as contas bloqueadas na Justiça, uma dívida bilionária e nenhum centavo em caixa. A expectativa para 2015 era a pior possível. O presidente Carlos Eduardo Pereira, que estava assumindo o mandato, optou por definir logo os nomes que cuidariam de sua área mais nobre, o futebol. Antônio Lopes foi chamado para ser diretor de futebol e René Simões assumiu o comando do elenco. Antônio Carlos Mantuano ficou como vice de futebol, mas durou pouco por conta de desentendimentos. René também não resistiu a uma eliminação na Copa do Brasil. Mas Lopes conduziu o processo até o fim, sendo auxiliando no segundo semestre por Ricardo Gomes, que retornava à carreira de treinador depois de superar um AVC.

Mas ainda voltando a janeiro, o Botafogo começou o ano quase sem time. Alguns jovens de valor, como o volante Gabriel e o meia Daniel deixaram o clube na Justiça, por conta de atrasos salariais. A maior parte do time rebaixado não valia nenhum investimento. A diretoria escolheu o goleiro Jéfferson como o símbolo da reconstrução, e ele brilhou em todos os momentos.

Lopes e René foram ao mercado de maneira cirúrgica. Apostaram em atletas que estavam desvalorizados em seus clubes, como os laterais Luis Ricardo e Carleto, em baixa no São Paulo, em outros que precisavam mostrar que ainda estavam em atividade, como o zagueiro Roger Carvalho, além de achar no cenário nacional nomes com vontade de brilhar, como o zagueiro René Simões, o volante Willian Arão e o atacante Rodrigo Pimpão. Todos esses deram certo, minimizando alguns erros, como o atacante Bill, que saiu no início da Série B, ou o atacante Jobson, mais uma vez envolvido nos afastamentos por conta de supostos casos de doping.

Ao longo da caminhada vieram outros nomes que apenas somaram, como Daniel Carvalho, que ressurgiu das sombras da aposentadoria para ser o maestro na Série B, e os atacantes Neilton e Navarro, que garantiram gols importantes. As categorias de base foram valorizadas, com peças como os laterais Diego e Jean, o zagueiro Emerson, o volante Diérson, o meia Fernandes e os atacantes Sassá e Luis Henrique se tornando conhecidos dos torcedores.

– Montar o elenco do Botafogo realmente não foi uma tarefa das mais tranquilas, mas conseguimos com muito trabalho. Desde o início falamos que brigaríamos no Carioca e que chegaríamos aos objetivos na Série B. Hoje posso dizer que cumprimos a nossa parte – analisou Lopes, que vai permanecer para 2016, assim como Ricardo Gomes.

A missão foi cumprida. O Botafogo, quando ninguém esperava, conquistou o título da Taça Guanabara e ainda foi vice-campeão estadual, perdendo a final para o Vasco. Na Série B o acesso veio com relativa facilidade e o título foi a cereja no bolo. Ao longo de 2015 foram 63 jogos oficiais, com 36 vitórias, 14 empates e apenas 13 derrotas, sendo algumas em jogos sem grande importância. O time marcou 108 gols e sofreu apenas 53, com impressionantes 55 gols positivos.

Em termos individuais, Bill e Sassá terminam o ano como artilheiros do time com 11 gols marcados, dois a mais que Navarro e Rodrigo Pimpão.

Campeonato Carioca

Desde o começo o Botafogo mostrou que não faria feio no Campeonato Carioca. A vitória sofrida na estreia, 1 a 0 sobre o Boavista, e o empate por 2 a 2 com o Volta Redonda, na sequência, foram minimizadas por uma série de resultados convincentes. A certeza de que a coisa caminhava bem veio no triunfo por 1 a 0 sobre o Flamengo, no primeiro clássico da temporada.

O Botafogo se classificou com tranquilidade para as semifinais e ainda garantiu o título da Taça Guanabara com um triunfo de 1 a 0 sobre o Macaé, que foi auxiliado pelo empate sem gols entre Flamengo e Nova Iguaçu.

– Aquele momento foi importante porque nos deu a confiança necessária para seguirmos na temporada. Essa confiança não foi quebrada nem mesmo com a perda da final. Todos sabíamos que o principal objetivo, a Série B, seria conquistado – analisou o meia Elvis, autor do gol contra o Macaé.

Mesmo perdendo Jéfferson, lesionado, o Botafogo conseguiu superar o Fluminense nos pênaltis após ambos trocarem vitórias por 2 a 1. Renan, o substituto, brilhou no segundo jogo, marcando o pênalti decisivo após seu colega Diego Cavalieri desperdiçar a sua cobrança. Na grande decisão, porém, o Vasco conseguiu quebrar o jejum de 13 anos sem título e ergueu a taça.

Copa do Brasil

Se alguma competição foi marcada pelo fracasso para o Botafogo em 2015 ela atende pelo nome de Copa do Brasil. O time nunca conseguiu convencer no torneio e acabou sendo eliminado na terceira fase, sem sequer atingir as oitavas de final.

A estreia foi contra o Botafogo-PB e a classificação não foi tranquila. Após empate por 2 a 2 na Paraíba, o Glorioso venceu por 4 a 2 no Rio de Janeiro, porém, os paraibanos, com os dois gols anotados, ameaçaram quase que até o fim.

Na segunda fase o momento de maior tranquilidade, uma vez que o rival foi um Capivariano desmontado após a participação no Campeonato Paulista. O Glorioso, percebendo a facilidade, preservou os titulares nos dois jogos e venceu ambos: 2 a 1 fora de casa e 3 a 0 no Rio de Janeiro.

Contra o Figueirense, na terceira fase, o Botafogo arrancou um empate por 2 a 2 em Santa Catarina. No Rio de Janeiro, segurou o empate sem gols até os acréscimos, quando um gol do artilheiro Marcão eliminou o Glorioso e decretou a demissão do técnico René Simões.

Série B

Quando derrotou o Paysandu por 1 a 0 no Pará, na estreia, o Botafogo mostrou que o torcedor poderia confiar no time que disputaria a Série B do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro venceu seis dos primeiros cinco jogos e a primeira derrota veio apenas na nona rodada. A saída de alguns jogadores, como o lateral-direito Gilberto, o volante Marcelo Mattos e o atacante Rodrigo Pimpão, porém, fizeram com que a irregularidade aparecesse entre a metade do primeiro turno e as duas primeiras rodadas do returno.

O Botafogo, porém, mesmo quando foi irregular sequer deixou o G-4, a zona de acesso. Além disso, conseguiu algumas goleadas que mostravam a sua superioridade. Casos dos 5 a 0 no Sampaio Corrêa, do 4 a 1 sobre o Náutico, como visitante, e dos 4 a 0 diante do Bragantino.

Em outras partidas os gols marcados no fim demonstraram que a sorte estava ao lado do time. O que falar dos 2 a 1 sobre o Vitória, na Bahia, quando os baianos empataram aos 45 minutos do segundo tempo e levaram o gol da derrota, anotado por Sassá, três minutos depois. Um típico jogo capaz de mostrar que pode ser usada para o bem a frase que tem coisas que só acontecem com o Botafogo.

A vaga para a elite do futebol nacional veio com quatro rodadas de antecipação, com um triunfo por 1 a 0 sobre o Luverdense, no interior do Mato Grosso. O título foi confirmado na penúltima rodada, por ironia do destino, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), com um triunfo por 2 a 1 sobre o ABC.

– O Botafogo mostrou que teve um grupo que conseguiu honrar a camisa do time o tempo inteiro. Fomos premiados com todos os objetivos porque lutamos sempre – disse o goleiro Jéfferson.

Perspectivas para 2016

O Botafogo vai precisar mostrar superação e criatividade em 2016 para superar as suas limitações financeiras. A base que conquistou a Série B foi desfeita e do time considerado titular permanecem apenas o goleiro Jéfferson, o volante Rodrigo Lindoso, o meia Fernandes e o atacante Neilton. O zagueiro Renan Fonseca ainda negocia a renovação.

O único reforço apresentado foi o zagueiro Joel Carli, argentino que jogava no Quilmes e que está longe de empolgar. Porém, o investimento no futebol, se ainda limitado, será maior do que em 2015, o que faz com que a torcida dê um crédito de confiança para a diretoria, que conseguiu montar uma equipe competitiva com ainda mais limitações no início deste ano.

Acompanhe abaixo todos os jogos oficiais do Botafogo ao longo da temporada de 2015, assim como os principais números do elenco durante o ano:

BALANÇO:

Jogos: 63
Vitórias: 36
Empates: 14
Derrotas: 13
Gols Pro: 108
Gols Contra: 53
Saldo: + 55

Artilheiros:
Bill – 11
Sassá – 11
Alvaro Navarro – 9
Rodrigo Pimpão – 9
Roger Carvalho – 7
Willian Arão – 7
Jobson – 6
Neilton – 6
Fernandes – 5
Carleto – 4
Diego Jardel – 4
Luis Henrique – 4
Daniel Carvalho – 3
Lulinha – 3
Tomas – 3
Diego Giaretta – 2
Elvis – 2
Gegê – 2
Luis Ricardo – 2
Renan Fonseca – 2
Gilberto – 1
Ronaldo – 1
Tássio – 1
Gols contra – 3

CAMPEONATO CARIOCA

31/1 – Botafogo 1 x 0 Boavista – Rio de Janeiro – Gols: Roger Carvalho
4/2 – Volta Redonda 2 x 2 Botafogo – Volta Redonda – Gols: Rodrigo Pimpão e Diego Jardel
7/2 – Botafogo 4 x 0 Bonsucesso – Rio de Janeiro – Gols: Diego Jardel, Bill, Carleto e Fernandes
11/2 – Bangu 0 x 3 Botafogo – Xerém – Gols: Bill (2) e Jobson
18/2 – Friburguense 0 x 3 Botafogo – Nova Friburgo – Gols: Bill, Jobson e Gegê
21/2 – Botafogo 2 x 1 Nova Iguaçu – Rio de Janeiro – Gols: Paulo Henrique, contra, e Jobson
1/3 – Botafogo 1 x 0 Flamengo – Rio de Janeiro – Gols: Tomás
8/3 – Fluminense 3 x 1 Botafogo – Rio de Janeiro – Gols: Jobson
11/3 – Botafogo 3 x 0 Tigres do Brasil – Rio de Janeiro – Gols: Renan Fonseca, Jobson e Gilberto
15/3 – Botafogo 3 x 0 Resende – Rio de Janeiro – Gols: Tássio, Jobson e Rodrigo Pimpão
22/3 – Cabofriense 0 x 1 Botafogo – Cabo Frio – Gols: Sassá
25/3 – Barra Mansa 1 x 1 Botafogo – Volta Redonda – Gols: Roger Carvalho
29/3 – Vasco 1 x 1 Botafogo – Rio de Janeiro – Gols: Roger Carvalho
5/4 – Botafogo 4 x 1 Madureira – Rio de Janeiro – Gols: Carleto, Renan Fonseca, Fernandes e Bill
8/4 – Botafogo 1 x 0 Macaé – Rio de Janeiro – Gols: Elvis
11/4 – Fluminense 2 x 1 Botafogo – Rio de Janeiro – Gols: Willian Arão
18/4 – Botafogo 2 (9) x 1 (8) Fluminense – Rio de Janeiro – Gols: Fernandes e Bill
26/4 – Vasco 1 x 0 Botafogo – Rio de Janeiro
3/5 – Botafogo 1 x 2 Vasco – Rio de Janeiro – Gols: Diego Jardel

COPA DO BRASIL

1/4 – Botafogo-PB 2 x 2 Botafogo – João Pessoa – Gols: Bill (2)
15/4 – Botafogo 4 x 2 Botafogo-PB – Rio de Janeiro – Gols: Bill, Tomas, Willian Arão e Sassá
29/4 – Capivariano 1 x 2 Botafogo – Capivari – Gols: Sassá e Daniel Carvalho
6/5 – Botafogo 3 x 0 Capivariano – Rio de Janeiro – Gols: Gegê, Sassá e Luis Ricardo
20/5 – Figueirense 2 x 2 Botafogo – Florianópolis – Gols: Diego Giaretta e Luis Ricardo
14/7 – Botafogo 0 x 1 Figueirense – Rio de Janeiro

SÉRIE B DO CAMPEONATO BRASILEIRO

9/5 – Paysandu 0 x 1 Botafogo – Belém – Gols: Rodrigo Pimpão
16/5 – Botafogo 4 x 1 CRB – Estádio Nilton Santos – Gols: Bill, Lulinha, Willian Arão e Elvis
23/5 – Atlético-GO 0 x 0 Botafogo – Brasília
30/5 – Botafogo 2 x 0 Vitória – Rio de Janeiro – Gols: Diego Giaretta e Willian Arão
2/6 – Paraná 1 x 2 Botafogo – Curitiba – Gols: Zé Roberto, contra, e Rodrigo Pimpão
5/6 – Botafogo 3 x 0 Mogi Mirim – Rio de Janeiro – Gols: Rodrigo Pimpão, Bill e Lulinha
9/6 – Oeste 0 x 1 Botafogo – Osasco – Gols: Rodrigo Pimpão
19/6 – Botafogo 1 x 1 Boa – Rio de Janeiro – Gols: Rodrigo Pimpão
27/6 – Macaé 4 x 2 Botafogo – Macaé – Gols: Daniel Carvalho e Roger Carvalho
3/7 – Botafogo 5 x 0 Sampaio Corrêa – Rio de Janeiro – Gols: Luis Henrique (2), Rodrigo Pimpão (2) e Carleto
7/7 – Ceará 0 x 0 Botafogo – Fortaleza
10/7 – Bragantino 1 x 0 Botafogo – Bragança Paulista
18/7 – Botafogo 1 x 0 Náutico – Rio de Janeiro – Gols: Lulinha
25/7 – Bahia 1 x 1 Botafogo – Salvador – Gols: Luis Henrique
28/7 – Botafogo 0 x 0 Criciúma – Rio de Janeiro
1/8 – Botafogo 0 x 0 Luverdense – Rio de Janeiro
8/8 – Santa Cruz 1 x 0 Botafogo – Recife
11/8 – Botafogo 3 x 1 ABC – Rio de Janeiro – Gols: Navarro (2) e Neilton
15/8 – América-MG 1 x 2 Botafogo – Belo Horizonte – Gols: Carleto e Neilton
23/8 – Botafogo 2 x 3 Paysandu – Rio de Janeiro – Gols: Daniel Carvalho e Sassá
28/8 – CRB 2 x 1 Botafogo – Maceió – Gols: Neilton
1/9 – Botafogo 4 x 0 Atlético-GO – Rio de Janeiro – Gols: Navarro (3) e Willian Arão
5/9 – Vitória 1 x 2 Botafogo – Salvador – Gols: Navarro e Sassá
8/9 – Botafogo 2 x 1 Paraná – Rio de Janeiro – Gols: Sassá (2)
11/9 – Mogi Mirim 0 x 3 Botafogo – Vitória – Gols: Roger Carvalho, Tomas e Luis Henrique
15/9 – Botafogo 1 x 1 Oeste – Rio de Janeiro – Gols: Roger Carvalho
18/9 – Boa 0 x 1 Botafogo – Varginha – Gols: Fernandes
22/9 – Botafogo 2 x 1 Macaé – Rio de Janeiro – Gols: Igor Julião, contra, e Fernandes
2/10 – Sampaio Corrêa 2 x 2 Botafogo – São Luís – Gols: Neilton e Navarro
17/10 – Botafogo 4 x 0 Bragantino – Rio de Janeiro – Gols: Navarro (2), Willian Arão e Neilton
20/10 – Botafogo 0 x 1 Ceará – Rio de Janeiro
24/10 – Náutico 1 x 4 Botafogo – Arena Pernambuco – Gols: Sassá (3) e Diego Jardel
31/10 – Botafogo 1 x 0 Bahia – Rio de Janeiro – Gols: Neilton
7/11 – Criciúma 1 x 0 Botafogo – Criciúma
10/11 – Luverdense 0 x 1 Botafogo – Lucas do Rio Verde – Gol: Ronaldo
14/11 – Botafogo 0 x 3 Santa Cruz – Rio de Janeiro
20/11 – ABC 1 x 2 Botafogo – Brasília – Gols: Roger Carvalho e Willian Arão
28/11 – Botafogo 0 x 0 América-MG – Rio de Janeiro


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document