quarta-feira, 12 de maio de 2021 - 20:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / brasileirao / Diretoria do Fluminense trabalha para que atraso salarial não vire problema

Diretoria do Fluminense trabalha para que atraso salarial não vire problema

Matéria publicada em 12 de maio de 2015, 18:33 horas

 


Rio  – O elenco do Fluminense está sofrendo com atrasos salariais. Os jogadores não receberam o pagamento referente a abril e dois meses de direitos de imagem estão em aberto. Isso sem falar no 13º salário.

A diretoria está trabalhando junto ao mercado para ver se consegue receita para quitar a pendência até o fim de semana. Nas Laranjeiras o ambiente ainda é de tranquilidade e os atletas não reclamam publicamente do fato. Porém, os dirigentes demonstram preocupação com o fôlego do clube até dezembro. O rebaixamento do Botafogo para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, no ano passado, muito originada pelas pendências salariais, ainda estão vivas na memória dos torcedores cariocas.

Peter Siemsen, presidente do Fluminense, tem orientado o departamento de futebol a manter contatos diários com os atletas, porém, a falta de uma previsão de pagamento dificulta até mesmo qualquer tipo de conversa, mesmo com o grupo se mantendo tranquilo.

Também na linha de frente, o técnico Ricardo Drubscky tem procurado minimizar o fato.

– Não tenho visto nenhum clima de insatisfação por parte dos jogadores, que estão entendendo o momento dos clubes. Tem um atrasinho, mas não é apenas o Fluminense. Outro dia eu vi uma entrevista do Danilo falando do atraso salarial do Corinthians e garantindo que os atletas confiam na diretoria. Aqui vejo os jogadores se empenhando da mesma maneira – disse Ricardo Drubscky.

A crise financeira do Fluminense foi ampliada com o fim da parceria com a Unimed, que era a principal patrocinadora do clube e que optou por não renovar o contrato para 2015. Se antes deste fato o clube já atrasava a sua parte no pagamento dos salários, desde que teve que arcar com exclusividade com a folha salarial o problema aumentou consideravelmente.

Neste cenário, a negociação de jogadores pode começar a ser encarada como a possibilidade de se conseguir um fôlego financeiro para manter a folha salarial em dia. Quem está mais perto de ser negociado é o atacante Kenedy, que está próximo de ter os direitos federativos repassados a um grupo de empresários que o colocaria no Chelsea, da Inglaterra. O também inglês Manchester United e a italiana Internazionale de Milão também pretendem contar com o jogador. O meia Gérson, outro revelado nas categorias de base, também segue nos planos de alguns clubes europeus.

MAGNATA SE DESTACA

Realizado apenas por suplentes, o treino tático comandado por Ricardo Drubscky nesta terça-feira teve Magno Alves como principal destaque. O atacante mostrou boa movimentação nas Laranjeiras e deu até carrinho para marcar os zagueiros do time adversário. Após ‘veto burocrático’ na rodada de estreia no Brasileirão, ele pode ganhar chance no Fluminense contra o Atlético-MG neste domingo.

Enquanto Magnata tentava impressionar Drubscky na atividade com bola, os titulares que enfrentaram o Joinville fizeram trabalho regenerativo na academia. O atacante ficou de fora da vitória por 1 a 0 no último sábado por cautela do departamento jurídico do Fluminense.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document