sexta-feira, 3 de abril de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Flamengo conquista a Taça Guanabara

Flamengo conquista a Taça Guanabara

Matéria publicada em 22 de fevereiro de 2020, 20:11 horas

 


Rio de Janeiro – O Flamengo é o campeão da Taça Guanabara! Em final contra o Boavista, o time rubro-negro confirmou o favoritismo após susto, e, de virada, venceu por 2 a 1, conquistando o primeiro turno do Campeonato Carioca. Assim, garantiu vaga na decisão do Estadual. Jean abriu o placar para o time de Saquarema, mas Diego e Gabigol fizeram a alegria dos torcedores da equipe da Gávea.

Vale ressaltar que, se o Flamengo vencer a Taça Rio, segundo turno do Carioca, só será campeão se tiver o maior número de pontos no somatório das duas partes da competição.

Pelo Estadual, os times voltam a campo no próximo fim de semana. O Rubro-Negro recebe a Cabofriense, no Maracanã, no sábado, enquanto o Boavista enfrenta o Botafogo, no Nilton Santos, domingo.

Klever

De todas as figurinhas carimbadas do Boavista, quem se saiu melhor foi o goleiro Klever. Cria do Fluminense, o goleiro de 30 anos fez grande partida contra o Flamengo no Maracanã. Além de não ser culpado pelos gols, o camisa 1 do Boavista parou o ataque rubro-negro com grandes defesas, e foi o melhor em campo na decisão da Taça Guanabara, apesar da derrota.

Leo Pereira erra tudo no primeiro tempo

O Flamengo começou mal o jogo, e o lado esquerdo da defesa era o mapa da mina para o Boavista. Foi nas costas de Renê e contando com péssima atuação de Léo Pereira que o time de Bacaxá abriu a jogada. Antes, o zagueiro já tinha “engrossado”, mas o adversário não aproveitara. Depois, o camisa 4 ainda falhou mais três vezes, levando um amarelo e errando a maioria dos passes na saída de bola. O ex-Athletico foi o pior do Rubro-Negro no Maracanã.

Boavista – começo intenso e recuo

Quem esperava um Boavista acanhado no campo de defesa no Maracanã se enganou. O time de Paulo Bonamigo começou o jogo em intensidade maior que a do Fla, que costuma iniciar “voando”, e imprimiu pressão nos primeiros 15 minutos. Além do golaço de falta de Jean Victor, o Verdão criou muitas chances pelo lado direito de seu ataque, nas costas de Renê e Léo Pereira. Com Erick Flores recuado para armar com Fernando Bob, o time passou a se postar mais recuado a partir dos 25 minutos, mas levou muito perigo nos contra-ataques.

Na segunda etapa, a equipe voltou mais recuada, é verdade, mas seguiu enfrentando o Fla de igual para igual. Cansados, Jefferson, Michel e Caio Dantas não conseguiam mais dar opções na frente para Fernando Bob e Erick Flores, os dois melhores do Boavista na linha. Por isso, ainda que jogasse avançado, a equipe criou pouco. Embaixo das traves, Klever parou o poderoso ataque rubro-negro com grandes defesas, salvando o Boavista no Maracanã.

Flamengo – testes de Jesus e começo ruim

Com o segundo jogo da Recopa Sul-Americana, contra o Independiente Del Valle (EQU), na próxima quarta-feira, o técnico Jorge Jesus optou por colocar um time praticamente reserva em campo, com apenas o zagueiro Gustavo Henrique e o atacante Gabigol dos considerados titulares. O volante Thiago Maia fez a estreia.

A equipe esteve sob um esquema mais ofensivo, porém, Vitinho e Michael jogam mais abertos que Arrascaeta e Everton e são atacantes, o que faz com que não construam muito. Além disso, a linha de marcação muito alta “estourou” nos zagueiros, principalmente em Leo Pereira. Assim, o Boavista abusou dos lançamentos e levou bastante perigo, mais notavelmente pelo lado esquerdo da zaga.

Após o intervalo, porém, os comandados de Jesus conseguiram ditar o ritmo e criar diversas chances. De tanto insistir, veio a virada – com o faro artilheiro de Gabigol.

Cronologia do jogo

O Flamengo começou a partida com os jogadores “desconectados”. A equipe rubro-negra, quase toda reserva, mostrava não estar entrosada e errava bastante. Já o Boavista, conseguiu imprimir um bom ritmo e criou chances. Em meio a essa “blitz” inicial, Jean abriu o placar para o time de Saquarema, em cobrança de falta.

Após a parada técnica, porém, o Flamengo pareceu se encontrar e teve mais presença no campo ofensivo. Pedro, que cabeceou para fora, e Michael, que obrigou Klever a fazer grande defesa, chegaram perto de balançar a rede.

A pressão deu certo e, nos minutos finais da etapa inicial, o Rubro-Negro chegou ao empate, com Diego, que arriscou de fora da área e contou com um desvio para a bola chegar ao barbante.

A volta do intervalo mostrou um panorama diferente. O Flamengo começou melhor, “empurrou” o Boavista para o campo de defesa e passou a ditar o ritmo do duelo, criando chances de virar o marcador. O Boavista, por sua vez, apostava nas saídas em velocidade, aguardando o erro do adversário.

Jorge Jesus, então, colocou em campo Arão, Everton Ribeiro e Gerson, titulares do time, para buscar um novo cenário em busca da virada.

De tanto insistir, Gabigol decide de novo

Falta estrela para Gabriel Barbosa? Atuando com a camisa 24 nas costas, em homenagem a Kobe Bryant e se juntando à campanha “#NúmeroDoRespeito”, o atacante não fez partida brilhante, é verdade, mas decidiu novamente para o Flamengo em uma final. Foi dele o gol da virada do Fla no Maracanã, dando mais uma taça para a coleção rubro-negra. Antes, havia criado chances pelas pontas, pelo meio e também as desperdiçado, com finalizações tortas. Mas na hora da decisão, a Nação sabe que pode contar com seu ídolo.

Que isso, César?

No fim, Jefferson Renan mandou a bola para a área e César saiu mal do gol. O goleiro se chocou com Michel, a bola bateu no adversário e foi a caminho do gol, mas João Lucas salvou.

Ritmo de folia

Com o Carnaval, muitos rubro-negros deixaram para comprar ingresso em cima da hora. Por isso, faltando pouco para a bola rolar, ainda tinham muitas filas nas bilheterias do Maracanã e alguns entraram apenas depois do apito inicial.

Informações do Uol


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. Avatar

    Gostaria de pedir aos idiotas abaixo que parassem de me imitar.
    Vou acionar os Homens aff, da lei.

  2. Avatar

    Os “sícios do clube” do VOLTAÇO devem estar felizes da vida por sempre lutarem para manter o time na Série D nos últimos anos. Aceitaram sempre o OBA OBA dos técnicos e diretoria sem falar nada, sem falar onde havia erros, mas depois que a vaca foi para o brejo (que eles não viram antes) pedem a cabeça dos técnicos.

    • Avatar

      …pedem a cabeça do técnico depois de verem os erros que eles não enxergaram. Depois que a ilusão de antes, o OBA OBA, se torna realidade. kkk KKK

    • Avatar

      Já pedi para pararem de me copiar. Todo mundo sabe que isso é crime dos esquerdistas.
      Eu não tenho nada com isso e qualquer policial acha a pessoa na net mais rápido que nas ruas.

Untitled Document