domingo, 5 de julho de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / ‘Rogério Ceni tem uma parcela de culpa’, afirma Dedé sobre queda do Cruzeiro

‘Rogério Ceni tem uma parcela de culpa’, afirma Dedé sobre queda do Cruzeiro

Matéria publicada em 25 de maio de 2020, 08:34 horas

 


Volta Redonda – O zagueiro Dedé, do Cruzeiro, comentou sobre o breve período em que Rogério Ceni foi o técnico da equipe mineira em 2019 durante entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN. Para o atleta, o ídolo do São Paulo também tem sua parcela de culpa no rebaixamento sofrido pelo time ao final da temporada, e apontou o que considera ser um erro do treinador: escalar os jogadores de acordo com a idade.

“Eu acho que a situação do time dar uma descida, também tem uma parcela de culpa do Rogério Ceni. Ele teve muitas oportunidades. . Não estou cornetando e nem falando mal dele. Mas ali não era só o trabalho tático e técnico do treinador. Tem o psicológico também. E estava muito inflamada essa situação psicológica”, opinou Dedé.”Um dos maiores erros do Rogério foi achar que, por idade, os jogadores não renderiam como ele queria. A gente teve um jogo que acho que foi maravilhoso, foi o jogo para a gente dar a arrancada, que foi contra o Santos, com o Sampaoli fazendo um dos melhores trabalhos, batendo em todo mundo. Fizemos um excelente jogo e ganhamos de 2 a 0, sem sustos”, recordou o zagueiro, sobre a partida que marcou a estreia de Rogério como técnico do Cruzeiro.

“Logo após isso, acho que foi uma das coisas que o Rogério Ceni falhou. Não teve discussão minha com ele e nem de ninguém (sobre as mexidas na equipe). Isso foi deixando os jogadores mexidos com a situação. Acho que foi um passo errado dado pelo Rogério. Se soubesse uma forma de conduzir a situação, daria mais certo”, apontou. Durante a passagem, Rogério deixou no banco ‘medalhões’ como Thiago Neves, Egídio e Robinho.

Ainda assim, o zagueiro garante ter feito o máximo pelo técnico. “Como ele queria muito a velocidade, ele colocou na cabeça que não dava para jogar, por exemplo, Henrique e Ariel, dois jogadores mais lentos e cadenciados. E eu entendo a forma dele, tanto que dei a vida pelo Rogério Ceni no Cruzeiro, mas, no meu modo de pensar, acho que isso é avaliado por performance. Jogador que estiver dando a resposta, acho que é a chance do jogador”, afirmou Dedé.

Ainda assim, Dedé apostou que Rogério terá uma grande carreira como técnico. “Eu tenho certeza que o Rogério vai crescer muito no futebol analisando algumas situações que ele cometeu no Cruzeiro. A gente aprende muito. Ele sabe o quanto eu me dediquei em prol do trabalho dele”, finalizou o defensor.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar
    Capeta da grota do Santa cruz

    Rapaz para de falar e vá jogar bola… De uma forca para os parentes do eucaliptal

  2. Avatar

    Esse Dedé nunca jogou nada , é um enganador , se criou não sei como.
    Um desagregador, verdadeiro trapalhão.

    • Avatar

      Menos, bem meno
      Jogou muita bola mas claramente está bichado e, como pessoa, ficou numa marra ridícula… Duvido que volte a jogar como zntes

Untitled Document