quinta-feira, 13 de maio de 2021 - 15:18 h

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Thiago fica a algumas braçadas de se tornar o maior medalhista Pan-Americano

Thiago fica a algumas braçadas de se tornar o maior medalhista Pan-Americano

Matéria publicada em 15 de julho de 2015, 21:20 horas

 


Nadador conquista ouro no Revezamento 4×200 Livre e bronze nos 200m peito; Thiago supera Gustavo Borges e meta agora é passar ginasta cubano

Brilhou: Thiago Pereira é o maior medalhista de todos os tempos do Brasil em Pan-Americanos (Foto:Divulgação)

Brilhou: Thiago Pereira é o maior medalhista de todos os tempos do Brasil em Pan-Americanos (Foto:Divulgação)

Toronto, Canadá – Definitivamente não é para qualquer um. O nadador voltarredondense Thiago Pereira se tornou com sobras o maior medalhista brasileiro em Jogos Pan-Americanos, com 21 pódios. E está a apenas uma medalha de igualar o ex-ginasta cubano Eric López, que é o maior de todos os tempos com 22 medalhas. Na noite desta quarta, em Toronto, no Canadá, Thiago ficou com o terceiro lugar nos 200m peito e com o ouro no Revezamento 4x200m Livre.

Thiago começou as finais desta quarta-feira empatado em número de medalhas com o ex-nadador Gustavo Borges, ambos com 19 pódios na carreira. Bastava um bronze nos 200m Peito para ele deixar o veterano para trás, e foi justamente o que aconteceu. O também brasileiro Thiago Simon ficou com o ouro na prova e exaltou a carreira do xará, a quem tem como ídolo.

– Thiago Pereira é um ídolo e nadar ao lado dele é meio que um sonho, que tenho desde os 9, 10 anos. Fico feliz demais com o resultado e de nadar ao lado do meu ídolo – disse o campeão da prova.

Após breve descanso, o voltarredondense, de 29 anos, mostrou que tem fôlego de sobra e foi ajudar o Brasil a vencer o Revezamento 4x200m Livre. Ao lado de Nicolas Oliveira, João de Lucca e Luiz Altamir ele garantiu o 21º pódio em Jogos Pan-Americanos. Thiago foi o terceiro a cair na água e entregou a prova para Nicolas Oliveira em primeiro lugar. Com muita garra, Nicolas superou o atleta do time norte-americano e garantiu o ouro.

Ao final das finais, Thiago foi ao encontro de Gustavo Borges para uma passagem simbólica do bastão. Gustavo, então, perguntou ao pupilo se tinha sido fácil bater a antiga marca.

– Não, com certeza não foi. Isso não começou da noite para o dia, foi um trabalho de anos e anos – afirmou Thiago, para em seguida emendar:

– Via esse cara nadar (Gustavo Borges) e pensava: “Será que um dia vou chegar lá?”. Tive a felicidade de fazer a transição de uma geração ao lado dele. No meu primeiro Pan nadei com Gustavo em 2003 e agora consegui ultrapassar a contagem de medalhas dele. Isso é bom não só para o Thiago, mas para todo o Brasil, que poderá ter o maior medalhista Pan-Americano. Tomara que eu consiga, ainda falta uma para igualar o cubano e duas para ultrapassar. Assim, poderei incentivar a garotada a fazer esporte e um dia bater minhas marcas – disse Thiago Pereira.

Próxima Meta

Thiago agora vai atrás de outro recorde, desta vez para se tornar o soberano de medalhas entre os atletas Pan-Americanos de todos os tempos. A marca hoje pertence ao ex-ginasta cubano Eric López, que conquistou 22 medalhas (18 de ouro, três de prata e uma de bronze) ao longo de sua carreira. Para bater o recorde o nadador tem uma verdadeira maratona programada para os próximos dias.

Nesta quinta-feira ele nadará os 100m Borboleta e os 400m Medley. Na sexta tem os 100m Costas e no sábado, fechando a participação nos Jogos de Toronto, disputará os 200m Medley e o Revezamento 4x100m Medley.

O atleta começou o Pan de Toronto com 18 medalhas conquistadas em outras três edições de Jogos Pan-Americanos. Agora tem 21 medalhas: sendo 14 de ouro, três de prata e quatro de bronze. Na terça-feira ele já tinha garantido o ouro no Revezamento 4×100 Livre, após ajudar a equipe brasileira na fase de classificação. Já seria bom o bastante para qualquer um, mas o nadador voltarredondense mostra um espírito competitivo dos mais aguerridos. São mais cinco provas até sábado. Quem é capaz de apostar que Thiago não baterá o recorde?


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document