terça-feira, 15 de junho de 2021 - 14:13 h

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Tite reclama de supervalorização a técnicos no Brasil

Tite reclama de supervalorização a técnicos no Brasil

Matéria publicada em 8 de maio de 2017, 15:25 horas

 


Tite já é apontado como um dos tops entre os treinadores do continente (Foto: Divulgação)

Tite já é apontado como um dos tops entre os treinadores do continente (Foto: Divulgação)


Rio –
Símbolo da recuperação do bom futebol da Seleção Brasileira nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, o técnico Tite foi o protagonista de uma palestra feita na Confederação Brasileira de Futebol ao lado de outros grandes nomes da profissão, como “El Loco” Bielsa e Fábio Capello. Dissertando sobre diversos conceitos do mundo do futebol, o ex-Corinthians reclamou do tratamento dado pelo público brasileiro aos técnicos no país.

“Há uma supervalorização do técnico no Brasil. Então não me ilude o fato de já estarmos classificados para a Copa e ter vencido as nove partidas. Porque essa supervalorização daqui a pouco vira ‘oh, ele é o cara’. E não é. É um conjunto todo que tem responsabilidades numa estrutura. Na mesma forma, esse ‘Cara’ passa a ser o culpado depois. E essa responsabilidade tem que ser dividida. Cada um com suas autonomias”, afirmou Tite nesta segunda-feira.

Enxergando o futebol como conceito, metodologia e gestão, o treinador da Seleção canarinha pede também mais estabilidade dentro do futebol brasileiro.

“Gostaria muito de viver em um país que o profissional de futebol ganhasse em médias menos, mas que tivesse estabilidade. O futebol precisa de início, meio e fim. A gente não quer superexposição, queremos tempo para trabalhar”, acrescentou.

Elogiando seus companheiros de palestra, Tite falou sobre sua admiração pela Seleção de 1982 e por grandes nomes do futebol brasileiro, como Zagallo, Telê Santana e Rubens Minelli.

“A essência é o atleta, é a qualidade técnica individual. É o talento. A criatividade. E não os técnicos. Potencializar essa individualidade é nosso desafio”, pontuou.

Campeão do mundo com o Corinthians em 2012 e Campeão Brasileiro em 2015, o treinador também reprimiu a grande ocorrência de simulações dentro do esporte.

“Parem de simular porque depois eu perco a razão na minha cobrança e exigência como arbitro depois. E ficamos todos prejudicados em cima de simulações. Parem que vocês prejudiquem a performance de seus times”, completou.

Tendo assumido o Brasil em baixa após uma má passagem de Dunga, Tite elevou os ânimos do futebol brasileiro e, depois de nove vitórias em nove partidas, colocou a Seleção no topo das Eliminatórias para a Copa de 2018 e no topo do ranking da Fifa novamente.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document