Três são conduzidos à delegacia durante operação contra integrantes de organizadas

Ação integrada da Polícia Civil e do Ministério Público tem como alvo principal integrante da Força Jovem Vasco

by Lívia Nascimento

Ao centro, o diretor do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE), delegado Henrique Damasceno | Foto: Governo do Estado do Rio

Rio – A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol) e o Ministério Público realizaram, neste sábado (4) uma operação para reprimir e prevenir atos de violência entre torcidas organizadas. Durante a ação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão, além de  medidas cautelares restritivas expedidas pelo Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos.

O alvo principal é um integrante da Força Jovem Vasco que publicou postagens nas redes sociais ameaçando torcedores do Fluminense. As diligências ocorreram na residência do autor, na Taquara; na sede da torcida, no bairro Vasco da Gama; e na Praia de Copacabana. Ele e dois homens foram conduzidos à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) para prestar esclarecimentos.

“A Polícia Civil tem feito monitoramento nas redes sociais e nos locais de concentração de público. É importante ressaltar que a operação não é contra o torcedor, mas sim contra as ações criminosas que ameaçam o verdadeiro torcedor que quer festejar o esporte”, disse o diretor do Departamento-Geral de Polícia Especializada (DGPE), delegado Henrique Damasceno.

As medidas cautelares restritivas se estenderão, ainda, a qualquer outro membro identificado da Young Flu, Sobranada, Força Jovem do Vasco, Raça Rubro Negra e Jovem Fla. Todos ficarão proibidos de participar de qualquer evento relacionado à final da Copa Libertadores da América. Para se fazer cumprir o afastamento dos implicados na decisão judicial, a Polícia Militar irá monitorar e atuar nos locais impactados pelas festividades.

A identificação do integrante da Força Jovem se deu por meio de uma ferramenta adquirida pelo Governo do Estado e que está em teste na Polícia Civil. A tecnologia utilizada auxilia no rastreamento de mídias sociais com o objetivo de identificar pessoas, com base em imagem prévia de referência.

O trabalho conjunto contou com atuação da Subsecretaria de Inteligência (Ssinte) da Polícia Civil, do Instituto de Identificação Félix Pacheco (IIFP), do Batalhão Especializado em Policiamento em Estádios (BEPE) e da DRCI, que instaurou inquérito para apurar o crime de organização criminosa.

O monitoramento continua para prevenir ações criminosas e as investigações seguem em andamento na DRCI.

You may also like

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996