terça-feira, 15 de junho de 2021 - 12:11 h

TEMPO REAL

 

Capa / Internacional / Documento que pede fim de armas nucleares será levado às Nações Unidas

Documento que pede fim de armas nucleares será levado às Nações Unidas

Matéria publicada em 1 de outubro de 2019, 08:52 horas

 


Mais de 10 milhões de assinaturas foram recolhidas para um documento solicitando que países façam parte de um acordo da ONU (crédito AB)

Japão – Mais de 10 milhões de assinaturas foram recolhidas para um documento solicitando que países façam parte de um acordo da Organização das Nações Unidas que proíbe o desenvolvimento e posse de armas nucleares.

Um grupo, que inclui o Nihon Hidankyo — a Confederação do Japão das Organizações de Vítimas das Bombas Atômica e de Hidrogênio —, vem recolhendo as assinaturas com o objetivo de convencer as nações a se juntarem ao Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares, que foi adotado em 2017.

Durante uma coletiva de imprensa realizada ontem (30), o grupo informou que o número de assinaturas tanto do Japão quanto internacionais chegaram a 10,5 milhões. O grupo também divulgou que, ainda no início de outubro, uma delegação será enviada em visita à sede das Nações Unidas em Nova York para apresentar a lista ao presidente do comitê responsável por discutir questões que incluem o desarmamento.

Até o momento, 32 países ratificaram o pacto, fazendo com que sejam necessárias outras 18 ratificações para que ele entre em efeito. O Japão não assinou o tratado, argumentando que ele não apresenta um método realístico para se alcançar o desarmamento nuclear. Nenhum dos países com capacidade nuclear faz parte do acordo.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Isso nunca vai acontecer, pois quem possui pode simplesmente esconder que têm e o outro que possui pode justamente levantar essa questão com relação ao outro país que tenha, então em um mundo onde a política é quem dita as regras, haverá sempre a dúvida no que o outro fala e assim não há confiança para que se acabe com essas armas e devido aos desafios que a nova geração terá que enfrentar e escassez que sofrerão por conta do esgotamento dos recursos não renováveis haverá no futuro um pandemônio global. Certamente como é estruturada as nações e como é a política que a governa a bagunça é certa, ou melhor o fim é certo pra tudo que existe nesse mundo.

    • Noffa…kkkkkkk que treta!
      Adoro ver os boizinho e suas histórias apocalípticas pro futuro. Nem ao menos percebem que isso também é papo de político.
      Calma, boizinho. Vai ficar tudo bem, tá? Estamos cada vez mais perto de nos livrar dos bancos centrais e seus investimentos clientelistas. Resumindo, um grande problema do mundo hoje é dinheiro infinito provido por bancos centrais injetando liquidez pra salvar os coleguinhas (grandes corporações) que querem continuar vivendo na ilha da fantasia em cima de seus unicórnios. Um bom sinal é observar investimentos à juros negativos! Louco, não? A última crise em tempos de estatismo está pra chegar. Fica tranquilo que o mundo não vai acabar não. Aliás, um novo paradigma da liberdade virá. Estaremos vivos para ver a sociedade finalmente livre da escravidão!
      O boizinho que gosta de pagar imposto vai ficar triste…mas fazer o que? kkkkk

Untitled Document